Vaidade

Meditação do dia 11/07/2016

Sl 39.5 “…na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade.

Vaidade – Uma definição bem simples da palavra vaidade é: “Qualidade do que é vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória.” Outra definição diz: “valorização que se atribui à própria aparência, ou quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam reconhecidas ou admiradas pelos outros.” Em termos gerais, somando tudo, o resultado é nada! No sentido em que o texto bíblico retrata aqui, diz respeito a instabilidade da vida, ou sua brevidade em termos de duração e mais ainda, a imprecisão de sua durabilidade. Uma pessoa não nasce com prazo de validade estampada e nem tampouco pode medir com precisão sua duração com base nos antecedentes e parentesco. Nesse caso, a única certeza é realmente a incerteza. Isso produz linhas de filosofias que as pessoas podem adotar e assim nortear suas decisões. Por um lado, vem aqueles que defendem a irresponsabilidade como padrão; uma vez que se está aqui e não se sabe por quanto tempo então escolhem não se apegarem a quaisquer valores e simplesmente deixar acontecer; o dia que acabar, acabou. Isso, normalmente vai induzir a uma vida de busca apenas de prazeres temporais e gratificação físicas e poucos valores morais. Resumindo – uma existência vazia e sem significado, porta aberta para crises e transtornos de toda natureza. Na outra linha, há aqueles que vendo a vida numa perspectiva de não ter nas mãos o controle de tudo, e conscientes de que só passarão por ela uma vez, então escolhem fazer disso o melhor e mais produtivo possível. Não aceitam deixar a vida passar por eles, mas eles passam por ela plantando e edificando coisas que outros herdarão e desfrutarão. Escolhem crer que Deus está no controle e que todos hão de comparecer diante dele para prestar contas e nesse caso, o melhor é estar com a contabilidade em dia. A fé cristã oferece a opção de que a vida é uma dádiva divina e uma bênção com começo meio e fim apenas no plano físico, pois o pó vai voltar ao pó mas o espírito voltará a Deus que o deu. Nossa existência passa a ser o exercício de uma mordomia responsável e prazerosa, onde tudo que temos e nos cerca na verdade são instrumentos de serviço a Deus e ao próximo. Assim, a eternidade está dentro de nós, e trabalhos e servimos sem a preocupação de haver final ou interrupção, pois continuaremos ainda mais próximos do Pai e Criador. Assim, sendo esta “insustentável leveza do ser” deixa de ser um peso e se transforma num enorme potencial de desenvolvimento em direção a uma glória cada vez maior. “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv 4.18). Bem, continuamos sendo pura vaidade, mas vaidade com propósito, fazendo sentido e fazendo diferença, para melhor!

 

Pai da vida, graças rendemos por tudo que o Senhor disponibiliza para que a nossa existência seja verdadeiramente uma vida. Jesus Cristo, o teu amado filho é vida e vida com abundancia para todos que nele creem; ele é o Verbo da vida, nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. Isso faz e dá sentido e dignidade ao que sou e ao que posso vir a ser, porque fui destinado para a grandeza e utilidade como mordomo de bens tão preciosos, colocados sob minha responsabilidade. Obrigado, de coração por viver isso e desfrutar da amizade e da comunhão com tantos outros teus filhos que faz a vida valer a pena. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Confissão

Meditação do dia 10/07/2016

Sl 38.18 “Porque eu declararei a minha iniqüidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado.

 Confissão – O maior de todos os projetos do universo, além e acima até mesmo da criação, é o da redenção da humanidade. Grande, caro, complexo, personalizado e só possível de execução por uma única pessoa em todo o universo – Jesus Cristo. O beneficiado, todo aquele que se dispuser a crer no amor de Deus e colocar sua fé Senhor Jesus Cristo, sua vida, obra, morte e ressurreição. Por um homem e um ato de desobediência o pecado e o mal grassou por toda a humanidade, não poupando ninguém. Mas o projeto de Deus, também por um só ato de justiça de Jesus Cristo, tornou possível a reconciliação de todo aquele que crê, indistintamente. Hoje, o pecado não é mais o grande problema da humanidade, pois já tem solução providenciada e disponível gratuitamente e acessível a todos. A questão é agora com cada indivíduo pessoalmente, admitir suas culpas produzidas por seus pecados cometidos. Por não reconhecer sua condição ruim de desobediências e transgressões de todas as leis de Deus é que uma pessoa será condenada no final. O salmista assume sua condição de pecador declarando, confessando, admitindo suas iniquidades. Isso é uma aceitação racional, lógica de que após se auto analisar, o saldo foi ruim; está em débito com Deus, os pecados são mais que os atos de justiça. Não somente se chega a uma conclusão racional, mas também como uma pessoa plena, suas emoções precisam participar do processo; a pessoa precisa sentir o peso de sua ações e atitudes, o pecado precisa ser visto e admitido como um mal, que ofende a Deus e degrada a pessoa, aviltando-a aos mais baixos níveis que se pode imaginar. Se os meus pecados não me aflige, não me incomodam, então estou em sério risco. Essa aceitação mental lógica, somada à atitude emocional de afligir-se e sentir-se mal por causa dos erros e pecados, que aciona a terceira faculdade da personalidade humana, que é a vontade. Eu, você, nós precisamos exercitar a vontade de sair dessa condição ruim. Está ruim, é cômodo, até mesmo poder ser satisfatório por causa do prazer que o pecado dá, mas a conta no final é desastrosa, então eu preciso querer sair disso e sair logo. As pessoas não precisam de muito estímulo para saírem de um edifício em chamas; mas se elas não sabem do risco, não veem e não são avisadas, a tendência é continuar como se nada fosse acontecer. É isso que o Evangelho faz, avisar às pessoas sobre a condição que estão diante de Deus e os riscos eternos que sobrevirá a elas e aponta o caminho da salvação.  “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17.30,31). Nossos pecados nos separam de Deus e nos levarão à ruína. O arrependimento é uma boa solução.

 

Obrigado Senhor por oferecer uma tão grande salvação, a homens tão perdidos em seus delitos e pecados. Confesso a minha culpa e a minha responsabilidade por atos que ofendem a tua santidade e denigrem a imagem do Senhor que tornar a minha alma preciosa diante de ti. Obrigado pela redenção disponível em Cristo Jesus e pelo trabalho de convencimento que o Espírito Santo exerce sobre todos nós, para nos trazer de volta para ti. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

O Prazer em Deus

Meditação do dia 09/07/2016

Sl 37.4 “Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.

 O prazer em Deus – Em todas as versões da Bíblia em português, esse versículo é apreciado e memorizado e não poucas pessoas faz uso dele nas suas orações e alguns apenas no seu imaginário de que existe uma possibilidade de ver satisfeitos os desejos do coração. Em certos casos, isso acaba desembocando num uso mercantilista de uma verdade da Palavra de Deus, para satisfação pessoal, o que certamente deixa muitos frustrados, por verem tais “promessas” se realizando. Deus tem um compromisso com sua Palavra e tudo que estiver fora disso, não em à ver com ele. Sua soberania é reconhecida em todas as suas relações e não se obriga a nada. Não é verdade, que alguém pode apontar o dedo para um trecho ou texto das Escrituras e mostrar para cima, como se mostrasse para Deus e dizer que ele está obrigado a cumprir, porque ele disse… Quem se propõe a fazer isso, não conhece a Deus e não reconhece sua grandeza, glória, poder e autoridade; tratando-o como se fosse um homem, de memória curta e nem sempre afeito a honrar palavra empenhada. O que te vem à mente, quando ouve a palavra “deleitar?” A outra versão muito comum, diz: “agrada-te do Senhor…” É gostar de Deus, tem prazer nele, se alegrar nele, por ele ser quem ele é, independente do que ele tem ou pode fazer ou faz. Gostar da pessoa de Deus e do modo como ele se porta. Não tem nenhuma ligação com cobiça, desejo de ganhar, tirar proveito, se dar bem, levar alguma vantagem ou se beneficiar dessa amizade e companheirismo. Você pode imaginar ficticiamente, uma relação de amizade entre você outras duas pessoas, onde em relação a um delas você é muito rico, bem sucedido, com bons contatos e com acessos a recursos ilimitados e essa pessoa não se importa com nada disso, nem pede qualquer favor ou ajuda, e sinceramente ambos tem muito prazer na amizade e se preocupam verdadeiramente uma com a outra? E no relacionamento com a outra pessoa, comparativamente você é muito pobre, carente, necessitado, e ela tem tudo e mais um pouco e também nesse caso, a amizade e o relacionamento de voces não leva nada disso em conta, pois o bom está no relacionamento e não em coisas que um tem e o outro não. É disso, não fictício, que estamos falando hoje. Nosso relacionamento com Deus está baseado na apreciação de quem as pessoas são; somos humanos, falhos, necessitados, etc e tal… Deus, é o soberano, todo poderoso, tem tudo, pode tudo, sabe tudo e nos ama de tal maneira que deu o seu próprio filho para morrer por nós para nos livrar de um condição miserável de pecados e condenação. Ele supre tudo para nós, de forma generosa, abundante e gratuita, por amor, não por troca, ou para receber algo de volta ou por certas condições. Deus é Deus e é satisfeito por se mesmo, se completa a si mesmo, não tem carência e nem sente falta disso ou daquilo que o leve a ter que se submeter aos caprichos para receber alguma migalha de adoração, veneração, culto e etc. Você e eu devemos entrar e desfrutar de relacionamento com Deus, porque ele é Deus e merece ser adorado, buscado e cultuado, mas não em troca de cura, bênçãos, favores ou até mesmo nos livrar do fogo do inferno. A própria salvação, é consequencia natural de sermos filhos e estarmos numa justa posição em Cristo pela fé. Tenha prazer em Deus, se alegre em Deus, se contente com Deus. As outras coisas? Elas são outras coisas, e elas serão resolvidas, no devido tempo e da melhor maneira, não se preocupe. Cuide-se e trabalhe em alinhas as suas motivações.

 

Obrigado, Senhor, por seu o tudo de que precisamos, e muito mais do que merecemos e por fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, segundo o seu poder que opera em nós. A alegria do Senhor é a nossa força, todos os dias. Graças te damos, pelo privilégio de sermos chamados filhos de Deus, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Quem é Minha Defesa?

Meditação do dia 07/07/2016

Sl 35.1 “Contende, Senhor, com aqueles que contendem comigo; combate contra os que me combatem.

Quem é minha defesa? – Que estamos em combate constante, não temos nenhuma dúvida; Também não pretendemos lutar por lutar, esperamos vencer e prevalecer para que o reino que defendemos seja estabelecido e o exército ao qual estamos alistados e engajados seja vitorioso e avance mais e mais em posições de conquistas e mantendo sujeitos a Cristo os territórios já dominados. Davi, tinha combates físicos, lutas militares por terras e povos; mas ele também tinha lutas espirituais, como todos os adoradores do Senhor Jeová. Como todos nós, mortais, ele era cercado de fraquezas e conflitos; ele também tinha um lar, esposa e filhos, e tal como cá, as coisas ficavam tensas lá também. Se nossos filhos brigam por predileção, presentes recebidos ou não, atenção e até mesmo poder entre eles, imagina na casa de Davi? Entre os vários filhos, quem se assentaria no trono? E o que falar das intrigas, das mães, tios, primos, e as terríveis participações de servos e empregados na vida doméstica do palácio! Mesmo com todas essas situações, Davi priorizava a comunhão com Deus e amava fazer isso. O coração dele era piedoso e dócil, sedento de aprender e crescer na amizade com o seu Deus. Em muitas lutas da vida, a gente não pode simplesmente sair dando cacetadas e botando gente para correr; muitas das nossas grandes lutas, são internas, pessoais, são conosco mesmo, com nossas fraquezas e fracassos, ou nosso orgulho e teimosia em fazer as coisas do nosso jeito. Inimigos físicos, Davi pegava numa lança, espada ou mesmo a sua funda e o adversário sabia que se tratava de enfrentar um habilidoso guerreiro e a chances de vitória eram poucas. Mas quando não era carne e sangue? Quando não eram pessoas? Tal como nós hoje, lutar contra idéias, conceitos malignos e filosofias mundanas que invadem nossos espaços com a bênção das leis e cultura patrocinada pelo mal, quem é que vai contender por nós? Mais do nunca precisamos estar muito bem sintonizados com os ensinamentos bíblicos, sobre como proceder nesses combates. Efésios é muito didático: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo; pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.” (Ef 6.11,12). Constitua ao Senhor como aquele que legitimamente será sua proteção e argumentará contra os seus inimigos e adversários. Argumentos humanos, são racionais e falíveis e sem muita sustentação, mas Jesus é um ótimo advogado e tem excelentes bases para vencer todas as ciladas e sofismas do mundo das trevas. pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo;” (2Co 10.4,5).

 

Em nome de Jesus, declaramos nossa pronta submissão ao domínio do Senhor nosso Deus e à sua Palavra e rejeitamos todas as obras e argumentações das trevas, contra nossas vidas, nossas famílias e nossos afazeres, que através deles, cultuamos e glorificamos àquele que morreu por nós. Aceitamos nos lavar e nos manter purificados pelo sangue de Jesus, debaixo dessa proteção, permanecemos firmes naquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos. Em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason

Os Anjos e os Servos de Deus

Meditação do dia 06/07/2016

Sl 34.7 O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.

Os anjos e os servos de Deus – O relacionamento humano com a fé e as verdades espirituais sempre foram marcadas por partes místicas e outras misteriosas, porém à luz da fé, plenamente explicáveis e aceitas. Como já sabemos, nossa fé cristã é herança da fé hebraica, de onde recebemos as Sagradas Escrituras, com seus contextos de culturas e hábitos orientais, e as verdades essenciais do nosso credo e da nossa prática espiritual, estão nessas Escrituras e na vida e exemplo desses personagens e nas suas experiências com Deus e com as realidades espirituais. Como aceitamos a Bíblia como nossa única regra de fé e prática, é nela que buscamos afirmação para as questões de todos os níveis da nossa existencia. Somos adoradores do Deus de Abraão, Isaque e Israel; Nossa literatura sagrada são oriundas de seus santos profetas, e homens inspirados por Deus e até mesmo a canonicidade das nossas escrituras tem a aprovação e a sanção desse povo. Então, os muitos relatos de manifestações angelicais registrados nas páginas do Velho Testamento, não foram refutadas por ninguém do Novo Testamento, nem Jesus, nem os apóstolos e nem os pais da igreja ao longo dos anos seguintes fugiram do padrão já aceito e crido pela comunidade judaica antiga. No Jardim do Éden, aparece menção de anjos destacados para servir e proteger; no contexto ante-diluviano temos as controvérsias dos “filhos de Deus e filhas dos homens;” Abraão, o nosso pai da fé, teve encontros com anjos e não foram raros e nem aparições relâmpagos envoltas em mistério, que sugerisse outras alternativas de interpretação. Ló e suas filhas foram salvas da destruição que sobreveio às cidades perversas de Sodoma e Gomorra; Isaque, Israel e os patriarcas também tem relatos de familiaridades com essa realidade. Moisés e os registros do êxodo, partindo do Egito até Josué entrar com o povo na posse da Terra Prometida, está repleta de manifestações, incluindo uma conversa de Josué com um General do Exército de Deus, destacado para ajudar na conquista da terra (Js 5.13-15). No Novo Testamento temos também diversas aparições angelicais e quase sempre em missão de serviço a alguém em necessidade. O apóstolo são Paulo fala de que eles fazem parte de toda a criação e organização de Deus. “o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele” (Cl 1.15,16). O escritor aos Hebreus é o mais citado em termos de definição do papel dos anjos para com os filhos de Deus. Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação?” (Hb1.14). Apenas, para constar, anjos são seres criados, portanto não podem e não devem ser adorados, servidos no sentido de orar a eles etc. Para o cristão, culto e orações são apenas dirigidos ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como Trindade Divina, ou individualmente a um deles que em essência e natureza são um só. Cuide-se para não entrar nas manias místicas tão em voga. A Bíblia deve ser sua base de orientação, digo, a Bíblia, não uma ou umas passagens retiradas da Bíblia para satisfazer certas conveniências.

 

Senhor meu Deus e pai, criador de todas as coisas e que as mantém em perfeita ordem e equilíbrio por teu poder e para tua glória. Em Cristo estão disponíveis todos os recursos necessários para nossa jornada de fé em comunidade de e comunhão com outros remidos pelo sangue de Jesus. Gratos somos pelo ministério dos anjos santos do Senhor, destacados para servir e ajudar os teus filhos que são herdeiros da salvação e de toda a herança das riquezas de glória do nosso pai. Perseveramos em olhar para ti e cultuarmos somente ao nosso Deus com corações agradecidos e cheios do conhecimento que a tua palavra nos dá. Oramos em Nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Nação Bem-aventurada

Meditação do dia 05/07/2016

Sl 33.12 “Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança.

Nação bem-aventurada – Deus ama todos os povos! Ele não faz acepção nem de pessoas individuais e nem de nações. Mesmo tendo escolhido um povo para si, exclusivo e pelo qual pré-anunciou o evangelho da graça e fez dele o berço para acolher o Messias prometido, e que produziu uma Escritura Sagrada, verdadeira Palavra de Deus e também de certa forma serviu como uma incubadora para a igreja, tal qual a conhecemos hoje; nada disso limitou o amor, o cuidado e as promessas para com todos os povos. Ao crer num Deus que fez todas as coisas, segundo um grande e eterno propósito, criando pessoas como sua obra mais preciosa, amada e investir tanto para redimir a preço de sangue, cada alma que se arrependa e aceite a generosa oferta de amor, perdão e salvação; isso nos leva obrigatoriamente a acreditar que não pode haver predileção divina em favor de “A” em detrimento de “B.” Ao olharmos as inúmeras promessas na Bíblia essa verdade se torna mais firme e confirmada. Porquanto não há distinção entre judeu e grego; porque o mesmo Senhor o é de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.” (Rm 10.12,13) Uma nação bem-aventurada é um nação comprometida com os princípios eternos de Deus. Não há nisso uma ligação entre ter Deus como centro de suas convicções e ser evangélico, protestante, reformado, isso ou aquilo. Pelo que sabemos, Deus está muito e muito acima dessas conveniências humanas. Achar que determinadas vertentes religiosas são mais justas e portanto “de Deus” tem feito estragos da na história das nações. Deus na sua sabedoria governa e controla tudo perfeitamente bem, e o único lugar que tem problema, foi onde ele delegou a administração aos homens, dando-lhe autonomia para tomar decisões e estabelecer sistemas de governos e o que temos visto é reis e imperadores e governos déspotas, tiranos, opressores e exploradores, que criaram civilizações viciadas em conquistar, subjugar, escravizar e destruir. O que chamamos de cristianismo não se livra do mal, pois serviu e ainda serve de braço do mal para em nome de Deus e da fé, oprimir e infligir males que nos envergonham até hoje e são páginas que os tempos não apagam. Não podemos cobrir o sol com a peneira, ao lembrarmos das cruzadas, da inquisição, da reforma e contra reforma, da colonização e catequização de povos do chamado terceiro mundo. Uma nação bem-aventurada é formada de pessoas bem-aventuradas, que abençoam sociedades organizadas primárias e em círculos benditos e abençoadores levam aos mais altos níveis de governo e soberania, a justiça, a retidão, e as oportunidades de pleno desenvolvimento da cidadania. Um sonho, claro, para quem sabe o que está por vir, quando Cristo assumir o controle dos reinos deste mundo. Enquanto isso, podemos praticar essa verdade em casa, na família, na igreja e na comunidade onde podemos exercer influencia e ir infiltrando o bem nos demais níveis. Isso é ser igreja, sal e luz!

 

Pai, obrigado por nos tornar participantes da tua maneira de criar e governar! A verdade e a justiça são a base do teu trono, e o temor do Senhor é o princípio da sabedoria. Como teus filhos podemos não apenas aprender o bom caminho, como andar nele e guiar os outros aos princípios da vida. Oramos a ti em função do papel da igreja como comunidade que deve influenciar para o bem e servir de referencia em todos os sentidos. Oro, Pai, pelo Brasil, que é tão grande, abençoado e produtivo, com um povo alegre, criativo e batalhador e que em fé acredita em ti e espera por soluções definitivas. Abra os nossos olhos para vermos o nosso papel individual para mudar a nossa condição atual. Me arrependo e confesso meu pecado de negligenciar submissão a ti e submeter a homens maus e corruptos que com nosso permissão se apossaram do poder e estão destruindo o que gerações construíram com esforço e trabalho árduo. Permita que o povo que se chama pelo teu nome, acorde e perceba o seu valor e o seu papel para o Senhor venha a sarar a nossa terra. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

O Perdão Faz Bem

Meditação do dia 04/07/2016

Sl 32.1 “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.

 O perdão faz bem – Nos tempos ainda de seminarista, recebemos um conferencista, que também era psicólogo ativo, com larga experiencia de trabalho em hospitais psiquiátricos, além de suas atividades pastorais numa grande cidade brasileira. Ele fez uma citação muito importante quando falava sobre a importância do perdão. O que ele falou foi o seguinte: “Seu pudesse comunicar perdão aos meus pacientes, mais da metade deles ficariam curados na primeira consulta.” Para mim, que era um jovem e aspirando entrar no ministério pastoral, aquilo foi muito marcante e revelou um horizonte sombrio pela frente, com muitas pessoas adoentadas de alma, com mágoas, traumas, recalques, feridas e melindres, que ao passar dos anos aquilo se encrustou profundamente na alma dessas pobres criaturas. Tudo por falta de perdão, dado ou recebido. Isso chega a um nível tão devastador que chega até os ossos da pessoa. O próprio salmista cita isso nesse mesmo salmo. Pecados não confessados, não tratados, vão se acumulando em grossas camadas de crostas pegajosas e nojentas, que a alma vai se curvando diante de tão pesado jugo. A amargura, o ressentimento e aquelas atitudes críticas ácidas, vão se tornando marca característica impregnando a personalidade da pessoa. Algumas até assume, que são mesmo “velhos rabugentos” e amargos, que querem mesmo é ficar no canto deles. Agora, tão ruim quanto diagnosticar situações assim, e perceber que muitas dessas almas estão dentro das nossas igrejas, se arrastando a caminho do céu, sem se apropriar da dádiva generosa do perdão de Deus já propiciado pelo sacrifício de Jesus, na cruz. As Escrituras tratam como “Bem-aventurado” aquele que tem suas transgressões e pecados perdoados e também que suas iniquidades não lhes foram imputadas. Pelo conhecimento simples e básico da cartilha da fé, todo filho de Deus sabe que nossos pecados TODOS cancelados por ocasião do novo nascimento e que o Sangue de Jesus é a provisão adequado e disponível diariamente para qualquer novo acidente de percurso. Esses pecados não são mais imputados em nossa conta, porque já o foram na conta de Jesus e o Pai na sua perfeita justiça, não cobrará uma conta duas vezes, e ele já está satisfeito com o preço pago por Cristo. Por favor, não viva sob condenação e peso de escravidão, por motivo nenhum. Não aceite ser chantageado por nada e por ninguém. Agarre-se em palavras como as de Gl 5.13: Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Mas não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros.”

 

Pai, graças te dou pelo perdão dos meus pecados, baseado na morte de Jesus na cruz. Sou agradecido por livrar-se desse fardo tão pesado e das consequências das maldades que cometi. Graças, pelo sangue de Jesus que foi derramado de tal forma que a tua justiça se satisfez e minhas culpas foram perdoadas e removidas. Perdão abundante foi colocado à disposição de todos os teus filhos, para viverem livres e vitoriosos, todos os dias. Pai, santo, que hoje seja um dia de libertação das algemas do mal que estão mantendo indevidamente vidas já que poderiam estar vivendo de forma abundante. Em nome de Jesus. Amém!

 

Pr Jason

Esforço e Fortalecimento

Meditação do dia 03/07/2016

Sl 31.24 “Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.

 Esforço e fortalecimento – Há uma citação sobre a vida de oração que afirma: “devemos agir como se tudo dependesse de nós e devemos orar como se tudo dependesse de Deus.” Me parece que a idéia do pensador era estimular o esforço equilibrado entre a ação humana necessária e a confiança serena na capacidade de Deus operar poderosamente. A parte que nos cabe, é de nossa responsabilidade, bem como a parte que é de Deus, não precisamos nos preocupar, porque ele é fiel. Também entendemos que o salmista ou qualquer outro autor sagrado, quando exige que nos esforcemos, não tem em mente induzir ninguém ao ativismo improdutivo, ou agir como se o esforço humano por si só, produzisse resultados espirituais satisfatórios. Investimos esforço nas disciplinas espirituais, que demandam atenção e cuidados, por causa da própria natureza espiritual, onde somos confrontados constantemente por forças do mal, que querem a todo custo destruir-nos ou no mínimo nos manter inoperantes, causando-lhe o mínimo de estrago possível em suas fileiras. Na prática, todos sabemos que manter uma vida de oração, de consagração, santidade e andar no espírito, não é um campo de férias no paraíso. O só manter uma regularidade devocional já é desafiante. O nosso coração precisa ser fortalecido com graça, para suportar os embates e desafios constantes. Aos Hebreus foi escrito: Não vos deixeis levar por doutrinas várias e estranhas; porque bom é que o coração se fortifique com a graça, e não com alimentos, que não trouxeram proveito algum aos que com eles se preocuparam” (Hb 13.9). Pense sobre os modos como poderá fortalecer o seu coração na confiança em Deus e assim possibilitar que seus esforços sejam produtivos de verdade. Os frutos do seu labor devem ser a expressão daquilo que Deus pode produzir através de você e não resultados do seu desgaste e esvaziamento. São frutos, que Deus espera, não obras!

 

Obrigado, Senhor, por diferenciar os frutos das obras, para que possamos concentrar-nos em ti e não no que podemos fazer pro nós mesmos em obras da carne, ainda religiosas. Que o nossa coração esteja nesse dia exposto diante de ti em consagração verdadeira, e aberto às tuas instruções. Em nome de Jesus, amém.

O Choro da Noite e a Alegria da Manhã

Meditação do dia 02/07/2016

Sl 30.5 O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

 O choro da noite e a alegria da manhã – Uma expressão muito conhecida e proclamado constantemente entre o povo de Deus. Por mais que não gostemos de admitir, o sofrimento existe e está presente até bem mais do que gostaríamos. Pais e mães sabem muito bem o que é passar uma noite sem dormir, ou mesmo deitar-se, velando ao lado da criança febril ou precisando de atenção e cuidados permanentes e como eles anseiam pelo raiar do dia, quando as chances de ajuda se tornam bem maiores. Mesmo quando pensamos em sentido figurado, quando passamos por situações difíceis e sem muitas perspectivas; então nos deparamos com promessas assim, em que podemos colocar a nossa alma em descanso, porque por mais tenebrosas que sejam as noites, sempre há um amanhã com raios de sol e luz suficiente para trazer esperança. A noite sempre está mais associada com o perigo, com o mistério e a precaução, assim como o amanhecer está diretamente associado à esperança, nova oportunidade ou livramento. Claro, que tanto um com o outro foram criados por Deus para cumprir funções muito importantes para toda a criação. Precisamos da noite tal qual precisamos do dia; enquanto um nos leva ao labor, a locomoção e à produtividade, o outro nos remete ao descanso, ao recolhimento, a busca da segurança com o propósito de recomeçar no outro dia. Jamais devemos pensar ou alimentar a idéia de que o dia é coisa de Deus e a noite é coisa do “demo;” para nós Deus é o criador e sustentador de todas as coisas! Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (Jo 1.3) A noite é tanto de Deus quanto a noite, sem distinção. Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” (Rm 11.36) Qualquer que seja a situação sua no momento, há uma promessa abençoadora do Pai celestial para você. Ele jamais abandona os seus filhos, jamais comete injustiça e não deixa que sejamos provados e tentados além de nossa capacidade de suportar e além do mais, provê os meios de livramento. Nos tempos difíceis, precisamos seguir com paciência e perseverança nas orações. O milagre existe, o livramento vem, porque poderoso é o Senhor da nossa fé. O tempo é meramente um fator que afeta a nós humanos e mortais e que não tem o mesmo peso para Deus, portanto ele não se atrasa e nem deixa passar da hora. Ele rege um plano muito maior e mais complexo do a nossa vã sabedoria conhece e costumamos medir tudo pelas nossas regras e padrões. Lembre-se, que Deus é eterno, você ganhou vida eterna em Cristo e que muitas das coisas da sua vida já devem estar funcionando nesse padrão também. Seus planos deve contemplar isso e suas expectativas devem levar em conta a eternidade, além de sua vida física limitada. Acredite, você já vive em vitória!

 

Senhor, Deus, nosso pai, criador e sustentador de todas as coisas; que bom que podemos ir ganhando compreensões maiores daquilo que é realidade no teu projeto para nossa vida. Podemos e precisamos ver e agir além do fator tempo e espaço limitados que a vida física nos possibilita. A fé no Senhor nos expõe a viver em dimensões maiores e mais produtivas. Peço-te, nesse dia, por esses teus filhos que se encontram em dificuldades e até agora não viam perspectivas de saída ou vitória, mas na tua Palavra há segurança que virá um novo dia, revelando o cuidado amoroso do Senhor para eles. Obrigado, por guia-los pelo teu Santo Espírito, para novos horizontes da fé e do conhecimento do Senhor. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Voz do Senhor

Meditação do dia 01/07/2016

Sl 29.4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.

A voz do Senhor – Em se tratando de experiências de fé, nada se compara com a idéia de ouvir a voz de Deus. Certamente não imaginamos isso como algo físico sonoro, mas não o descartamos também. A idéia cristã de Deus concebe ser ele um espírito pessoal perfeitamente bom, e sendo então uma pessoa e inteligente, entendemos e aceitamos que ele possui capacidade de comunicação, e não apenas a possui, como utiliza em seu relacionamento com sua criação e como o homem é a obra prima da criação divina, para nós, falar da voz de Deus, não é nada estranho, místico demais ou pouco razoável. Davi reservou um poema inteiro para o tema e nele está exaltado os feitos de Deus mediante a sua voz. Em todas as Sagradas Escrituras, entramos diversas manifestações onde a voz divina é exposta e a percepção de alguém detecta e discerne precisamente de quem se trata, e o propósito dela. Profeticamente, o Livro de Apocalipse a descreve como tão poderosa que humanamente parece voz de muitas águas (Ap 1.15; Ez 43.2); outras citações se mostra como voz de trovão (Jo 12.29); Até mesmo Adão e Eva que deveriam esta familiarizados com a voz do Senhor, ao reconhecerem o chamado logo após terem desobedecido, temeram e procuraram se esconder. (Gn 3.8). Acho bastante significativo a descrição que Êxodo 19.19 faz: “E o clangor da trombeta ia aumentando cada vez mais: Moisés falava, e Deus lhe respondia no trovão.” As pessoas estavam cá em baixo no pé da montanha e Moisés estava lá em cima, no cume, recebendo instruções de Deus. Para quem via de baixo, eram nuvens escuras, raios, relâmpagos e estremecimento de terra; mas para Moisés, era uma experiencia suave, gloriosa de estar na presença de Deus; enquanto o povo ouvia o que parecia trovão, para Moisés era a doce voz de Deus. O nível de comunhão e de experiencia de crescimento espiritual e devocional, transforma completamente a capacidade de percepção das pessoas. O que é terrível para uns, é glória para outros; o que afugenta uns, atrai a outros. Para alguns, até a idéia de ouvir a voz de Deus, soa estranho, perigoso ou inverídico; enquanto para outros é um anelo da alma e buscado com reverencia e piedade. Lembram-se daquele velho hino cristão, que fala da doce voz do meu Senhor? Desde 1868 abençoando vidas ao cantar essa canção.

 

Que doce voz tem meu Senhor,                       Chamou me não só uma vez,

Voz de amor tão terna e graciosa                    Tantas té que eu triste, humilhado;

Que enche o coração, da consolação,              Pude a voz ouvir, pude então sair,

Que só o crente goza.                                      Das garras do pecado.
Qual maior prazer que Lhe ouvir dizer:                  Jesus me não deixa sofrer,

Vem meu filho vem escutar;                        Sua voz me ensina o caminho;

O que Eu fiz por ti tudo o que sofri,             De vencer o mal, com firmeza tal,

Na cruz prá te resgatar?                                          Que nunca estou sozinho.

 

Deus te abençoe ricamente e tenhas hoje a oportunidade de ouvir essa doce voz!

 

Pr Jason