Trocaram a Coleira, mas o Cachorro é o Mesmo!

Meditação do dia 22/08/2016

Sl 81.9 “Não haverá entre ti deus alheio nem te prostrarás ante um deus estranho.

 Trocaram a coleira, mas o cachorro é o mesmo – Quando era criança, ouvi muitas vezes minha mãe citar um ditado popular que falava da mania do macaco, que “enrolava o rabo e sentava em cima e desdenhava do rabo dos outros.” Deus se revelou nas Escrituras, em todas as suas manifestações, como “O Deus Único” e nem mesmo aceitava ser representado por alguma forma material, que viesse a simbolizar sua pessoa, seu caráter, seu poder e sua revelação. Abraão, desenvolveu um relacionamento muito estreito e mesmo vivendo entre civilizações politeístas e que representavam a cada um dos seus deuses, de diversas formas; Abraão e seus descendentes sobreviveram a isso e cultivaram sua fé contra todas as adversidades. Na época do Êxodo, com uma revelação mais estreita e próxima, incluindo a revelação escrita dos preceitos e rituais de culto e fé, foram reafirmados todos os procedimentos que vinham sendo passados de forma oral de pai para filhos, geração após geração. Isso até incluiu advertência, mostrando comparativamente como era feito nas suas origens ancestrais e como eles não deveriam copiar aquilo em suas vidas e na nação futura. “Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao Senhor. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.14,15). O desvio desses ensinos e a prática da idolatria trouxe severas consequências por diversas vezes ao povo de Deus, até irem para o cativeiro na Babilonia e amargarem a escravidão e aprenderem a viver em pureza de fé e rejeitar de fato a idolatria. Na Nova Aliança, todos esses ensinos foram ratificados e as advertências contra a idolatria se confirmou e o cristianismo já nasceu com essa característica de servir ao Deus verdadeiro e único e completa negação a culto e reverencia a qualquer tipo de ídolos. “Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele” (I Co 8.6). João, o apóstolo amado, encerrou sua primeira carta com a seguinte advertência: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém” (I Jo 5.21). Porque uma advertência, se não houvesse perigo ou risco dessa prática entre os cristãos? Mas existe sim e como! Ao longo dos tempos a história da igreja mostra o avanço da idolatria e do paganismo adentrando as portas da igreja, de tal forma, antes disfarçadamente e depois assumida e escancarada. A reforma e ao avanço da fé protestante e de grupos já existentes não protestantes, mas de convicção ortodoxa, fez frente e bateu forte na prática idólatra. Mas como diz a máxima da política: “se não pode com um inimigo, alie-se a ele!” Assim estamos vivenciando uma triste página da história, onde o paganismo, ocultismo, o misticismo oriental, afro, indígenas e outros tantos, estão sendo incorporados na rotina eclesiástica que só o sangue do Cordeiro! Temos peregrinações a lugares sagrados, venda de indulgencias, relíquias, cultos à celebridades, onde “ditos” obreiros são mega idolatrados, cortejados, beijados, tocados, distribuem fotos, amuletos e um sem fim de práticas, que faria os primeiros cristãos revirarem nos túmulos e se recusarem a participarem de igrejas, se é que se pode chamar isso de igrejas. Então, trocaram a coleira, mas o cachorro ainda é o mesmo, travestido de modernidade e sofisticação. Mas que é idolatria, isso é, pode acreditar!

Senhor Deus único e verdadeiro, o Deus dos patriarcas, profetas e apóstolos, dos santos de todos os tempos que te conheceram e te amaram como um Deus zeloso que visita a maldade dos pais sobre os filhos muitas gerações e também que traz a bênção e a prosperidade sobre os que obedecem até mil gerações. Queremos e vamos cultivar uma fé simples e pura no Senhor, conforme ensina a tua Palavra. Não ninguém igual, comparável ou mesmo parecido com o Senhor nosso Deus. Não há salvador, senão o Senhor. Rejeitamos a idolatria e as práticas que ofendem a tua santidade e te invocamos como o nosso Deus, em todo tempo, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s