Retribuição

Meditação do dia 26/09/2016

Sl 116.12 “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?

 Retribuição – É uma pergunta interessante! Como podemos retribuir a Deus por todos os seus cuidados para conosco? No cântico proferido por Paulo na carta aos romanos, ele responde com outra pergunta: “Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém” (Rm 11.35,36). Como dar algo a quem tem tudo, literalmente, tudo! Claro que Deus não precisa de nada, pois Ele se basta a si mesmo; Nada lhe falta ou venha a precisar; quando pensamos na expressão auto suficiente, ela só se aplica na totalidade, à pessoa de Deus. Por outro lado, há um propósito para o qual fomos criados e somos preservados e mantidos em boas condições, que é glorificar o criador. Produzirmos louvor e honra ao seu santo nome. O homem foi criado para cultuar a Deus; isso está na nossa natureza, é vocação humana praticar adoração. Como todas as coisas na vida humana, o pecado estragou e desvirtuou todos os nossos sentidos e propósitos, houve uma corrupção generalizada na vida e na essência da pessoa e o passar dos tempos só agravou o quadro, pois o espírito de independência e a rebelião se fortaleceram ainda mais. Sendo criado para oferecer adoração, o homem pratica isso mesmo de forma involuntária, pois se ele não adora a Deus, irá adorar a outra coisa, e até a si mesmo. A idolatria é uma forma de resposta do ser humana à sua necessidade íntima de adoração, mas com o coração entenebrecido pelo pecado e a incapacidade espiritual de discernir o verdadeiro objeto da adoração, sobra então espaço para aquilo de que o coração já está cheio e inclinado. No caso do cristão, que já está na posição correta pelo novo nascimento, já está reconciliado e vivendo o propósito eterno para  o qual foi criado, dar algo a Deus se torna uma questão de reconhecimento da santidade e do caráter bondoso de Deus. Isso tem mais a ver com um relacionamento, do que com religião ou outra coisa. Em termos de recompensar a Deus por nos aceitar e nos salvar, não há nada que possamos e nem devemos tentar fazer. Somos salvos pela graça através da fé e isso não vem das obras é um dom, um presente de Deus (Ef 2.8,9). Agora, como filhos, adoramos porque Ele é digno de ser adorado e somos adoradores por natureza, então tudo se encaixa, fazemos o que devemos ao mesmo tempo que fazemos o que nos dá prazer e satisfação.

Senhor, tu és digno de inteira adoração de minha pessoa, por gratidão e reconhecimento que o Senhor é Deus em cima nos céus e em baixo na terra, como também na minha vida. Reconheço que sou obra de tuas mãos, criado para o louvor da  sua glória. Agradar a ti, me proporciona prazer e contentamento. Como teu filho, sou grato por tudo que tens para mim e por aquilo que se revela a cada dia. Graças dou por fazer parte de um propósito maior do eu e santo em todas as suas instancias. A Deus seja dada a honra e a glória em todo tempo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s