A Tristeza da Alegria na Hora Errada

Meditação do dia 11/01/2017

 Is 22.12 E o Senhor DEUS dos Exércitos, chamou naquele dia para chorar e para prantear, e para raspar a cabeça, e cingir com o cilício.

 A tristeza da alegria na hora errada – Não se deve brincar com a vida, muito menos a vida alheia. Governos e autoridades são responsáveis pelo cuidado e bem estar da população e as medidas necessárias devem ser tomadas levando em conta o que é mais prioritário, que é a vida humana. Lendo esse capítulo, me impressionei com a conduta adotada numa situação crítica e no entanto, via-se que as ações indicavam nada mais do que uma maquiagem para cobrir uma verdade grave e uma calamidade iminente. Hoje, em nosso sistema de governo, somos laicos e a opinião ou a crença pessoal não pode ser levada em conta nas ações oficiais de governo; lá, no tempo de Isaías não era assim, e o sistema de governo era teocrático, o rei, os ministros e todo aparto de governo eram ministros de Deus a serviço da nação. Eles deviam governar com a Palavra de Deus aberta na mesa de trabalho; a justiça não poderia se omitir dos preceitos divinos revelados; projetos de governo ao invés de orçamento e previsões estatísticas, deveriam consultar a Deus e para isso havia profetas, sacerdotes e homens profundos conhecedores das Escrituras para assessorar em decisões importantes. Mas, o que o texto revela é que eles ficaram tomando medidas administrativas, fazendo reparos e edificações, cuidando de abastecimento de água e reforço na segurança dos muros, dando ao povo a idéia de que estava tudo bem e que ficaria ainda melhor e mais seguro, de tal forma que os banquetes e churrascos rolam solto em comemorações e celebrações pela paz e prosperidade agora e futura. No final do verso 11, Deus diz que em momento algum, eles olharam para o céu, ou seja, eles lembraram de Deus e de sua Palavra u vontade; eles nem se deram ao trabalho de orarem e consultarem aquele que pode todas as coisas e que já havia declarado anteriormente o juízo e destruição que viriam sobre eles. Propositadamente eles se negaram a considerar a vontade de Deus e induziram as pessoas a uma confiança falsa que os levariam a uma derrocada terrível. Jesus previu a mesma coisa em relação aos finais dos tempos, próximos de sua vinda, quando todos deveriam estar atentos aos sinais e evidencias e se manterem puros e atentos, mas eles preferem criar a sua falsa paz e segurança e até deliberadamente excluir Jesus e seus planos de governo de suas vidas. O arrebatamento da igreja não é levado em conta já por anos nos púlpitos da maioria das igrejas; andar em vigilância e santidade é caretice e se parecer com o mundo é a moda da vez! Enquanto a Bíblia afirma que são tempos trabalhosos, fé escassa e intensa ação do ministério do engano; as pessoas parecem estar num parque de diversão e o que Deus diz, “não é bem assim, que se interpreta…” Não corremos riscos, dizem eles, já temos tecnologia, precisão e podemos solucionar qualquer crise, já podemos antecipar fatos e acidentes naturais, estamos no controle! Não se esqueça de olhar para cima, de clamar por misericórdia e se abrigar nas poderosas mãos do nosso Deus. O mundo foi sempre o mundo e sempre esteve do lado errado da vida, pense nisso!

Pai, mantenha-nos com os olhos fitos em ti e nossa confiança somente na tua Palavra, em nome de Jesus, amém!

Pr Jason

Anúncios

Atalaia na Torre

Meditação do dia 10/01/2017

 Is 21.8 E clamou: Um leão, meu Senhor! Sobre a torre de vigia estou em pé continuamente de dia, e de guarda me ponho noites inteiras.

 Atalaia na torre – Ficar de guarda, ou fazer vigilância, hoje é uma profissão regulamentada e em muitos casos, exige especialização e treinamento de alto nível. Nos tempos bíblicos isso poderia ser feito por soldados do exército ou por guardas de um regimento próprio; em tempos de guerra e com possibilidades de serem cercados ou atacados, qualquer civil poderia assumir o posto e as responsabilidades, porque isso poderia significar a diferença entre ganhar ou perder uma batalha ou a guerra; salvar vidas ou permitir um massacre.  Com tais prerrogativas de responsabilidades, essa função se encaixou perfeitamente numa situação ilustrativa da vida de oração das pessoas ou do ministério de intercessão. Gostaria de salientar que há certa distancia ou diferença entre alguém orar, gostar de orar e ter um ministério de oração ou intercessão. Não são muitas pessoas com esse chamado e ministério e mesmo os que reconhecem tê-lo, normalmente lutam muito para vivenciá-lo e exerce-lo. Assim como se pode especializar em ministério de ensino, pregação, pesquisas nos seus mais diversos ramos, assim também os ministérios de oração e intercessão é vastíssimo e não é coisa para amadores, precisa ser levado bem à sério e aprofundar-se para ser realmente eficiente e produtivo. Feliz o pastor e igreja local que tenham pessoas boas nessas áreas, atuantes e fieis; eu diria que essa igreja tem um pelotão de choque, que aparece na frente nos momentos mais críticos e o inimigo tem que passar por eles, para chegar no pastor ou na igreja e não é tarefa fácil para o inferno. Deus estava anunciando profeticamente o futuro e a derrocada da Babilonia, com reflexos também em outros povos, incluindo os hebreus e então ele fez essa citação do ministério de intercessão. Alguém que sobe para a torre das sentinelas e fica de olho, presta atenção em quaisquer sinais ou possíveis evidencia que justifique tocar o alarme e mobilizar mais forças, ou apenas mensageiros, ou também um especialista para vir analisar a descoberta. O trabalho é constante, é árduo, exige atenção nos detalhes e não se pode ficar desapercebido nem por um instante, pois o inimigo pode estar à espreita, justamente esperando um momento de distração ou um hábito de rotina, que cria intervalos e permite-lhe traçar uma operação de ataque. Quem se envolve nisso, não pode pensar apenas em si, no seu descanso ou cansaço, apenas na sua torre ou só no seu turno e o resto não tem nada à ver comigo! Tudo passa ser responsabilidade de todos e pequenos segredos ou detalhes sem importância poderão vir a ser a causa da ruína. Pessoas com esses ministérios normalmente não serão os mais vistos, os mais destacados da igreja e nem os que receberão os holofotes e os elogios, eles não podem cair nessa armadilha; se alguém gosta e precisa de paparicos e elogios e é movido por luzes e afagos, isso é uma garantia de que não é chamado para esse ministério. No caso, se Deus te chamar, você terá que morrer primeiro para o ego e a fama e aceitar o manto da invisibilidade e da humildade. Deus chama e sustenta pessoas nesses ministérios, se encaixa para você, encare e seja fiel e aprenda o valor da oração, da contemplação, da adoração, do recolhimento e da solidão, na maioria dos casos, será você e Deus, se fraquejar, será só Deus, mas ele sempre estará lá.

Àquele que fiel e justo em todos os seus caminhos, que em amor chama e capacita os seus valentes, obrigado por nos dar uma torre de vigia e ter sempre alguém lá, ainda que não visto e não reconhecido, mas eles são fiéis e se colocam na brecha, dia e noite e resistem aos ataques do inimigo, mesmo enquanto os outros estão celebrando ou descansando. Cubra-os de graça e força que só o Senhor pode dar, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Ato Profético

Meditação do dia 09/01/2017

Is 20.2b,3 E ele assim o fez, indo nu e descalço. Então disse o Senhor: Assim como o meu servo Isaías andou três anos nu e descalço, por sinal e prodígio sobre o Egito e sobre a Etiópia…

 Ato Profético – Algumas coisas que aconteciam com os profetas e outras pessoas com responsabilidades de representar a Deus e sua verdade, passaram por muitas situações no mínimo estranhas e deveras até constrangedoras, mas que tinham um significado profético e serviam de exemplo ou até ilustração para que as pessoas pudessem entender verdadeiramente o sentido e o peso daquilo que Deus estava revelando. De certa forma, as pessoas teatralizavam, dramatizavam a cena para que o público alvo captassem a mensagem. Com as conveniências sociais e as dúvidas próprias das nossa geração sem falar no direito das liberdades e garantias individuais, muitas dessas coisas seriam um tanto complexas na atualidade. Mas Deus continua sendo Deus e sua vontade continua sendo soberana e operando ele, quem impedirá? Então, sim, algo desse tipo poderia, e pode acontecer novamente. Mas o que me traz a refletir hoje, sobre essa verdade, não se trata da fé ou do constrangimento e nem tampouco da possibilidade de repetição de algo semelhante em nossos dias; mas estou pensando mais na responsabilidade ministerial profética, tanto a nível de uma pessoa, como de uma igreja ou comunidade que assume diante da sociedade uma ação profética e se dispõe a servir naqueles termos até que a vontade divina se confirme. Posso pensar, por exemplo, sem entrar nos méritos da questão, que há alguns anos atrás, o pastor da então maior igreja Evangélica do mundo, Paul Yonggi Cho, em Seul na Coreia do Sul, se apresentou com um novo nome, David Yonggi Cho, justificando-se como tendo à ver com a reconciliação das duas Coreias. Tem quem acreditou, tem quem não acreditou! Aqui no texto, Isaias atendeu a uma ordem de Deus para se tornar pessoalmente um sinal profético para o que viria a acontecer com duas nações africanas, o Egito e a Etiópia. Tres anos, vivendo nessas condições para mostrar o que Deus queria que os egípcios e etíopes entendessem. Poderíamos dizer, mas não seria o caso de Isaías ter ido para esses povos, como o fez Jonas e lá falar e mostrar a intenção de Deus? Assim como ele entendeu e acatou as instruções divinas, certamente ele o fez quanto a onde deveria fazer tal representação. Também pode ser que Deus quisesse mostrar mais aos israelitas mesmos do que a outros povos e por isso Isaías permaneceria ali. Isso nos mostra a intenção de Deus com o seu povo escolhido, Israel, ao mesmo tempo que mostra o mesmo cuidado come atenção com outras nações e todos tem seu lugar no coração e no plano divino. Deus se importa comigo, com minha família, como o mesmo é verdade para com você e sua família, e também para com nossos vizinhos, amigos, cristãos ou não, todos são alvos do amor de Deus e Jesus morreu na cruz para consumar uma obra de redenção de alcance eterno, mas também universal, sem distinção. Com certeza Deus não é batista, nem evangélico, cristão etc e tal. Deus é Deus, o criador de tudo e de todos e permanece acima dessas conveniências humanas e bairristas. Certamente fui colocado em Guararapes, para cumprir um papel e um propósito junto com a igreja que trabalho e os irmãos, assim como você está aí também por um propósito e isso é maior do que eu, do que você e do que nossas denominações e crenças. Acredito que tenho responsabilidades ministeriais que extrapolam a Monte das Oliveiras, a Guararapes, São Paulo e Brasil e preciso saber como realizar isso à contento e em obediência ao Senhor que me chamou e me sustenta e o mesmo vale para todos vocês que me leem e que servem a Deus e estão fazendo o que estão por uma razão suprema até acima da sua e minha compreensão. Fazer o que Deus manda e quer, isso sim é importante, sempre!

Senhor, obrigado por determinar que as coisas aconteçam e nos permitir participar disso e de outras transformações que excedem o nosso entendimento. Nem sempre precisamos entender tudo, mas sempre precisamos crer e nos dispor a obedecer. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Terra dos Faraós

Meditação do dia 08/01/2017

 Is 19.21 E o Senhor se dará a conhecer ao Egito, e os egípcios conhecerão ao Senhor naquele dia, e o adorarão com sacrifícios e ofertas, e farão votos ao Senhor, e os cumprirão.

 A terra dos faraós – Está sendo muito enriquecedor estudar e meditar a cada dia numa passagem profética desse livro de Isaías. Por ser o mais Messiânico de todos, fica muito evidente os propósitos eternos de Deus para os povos que naquele tempo tinham contatos diretos e faziam parte do círculo de influencias do povo de Deus. Cada povo e nação foram criados e colocados num lugar específico, com suas próprias características para cumprirem um propósito muito especial, dentro de um plano maior. Assim também é a nossa vida; não somos uma peça única, ou isolada de qualquer contexto; nossa vida faz parte de uma grande trama e pensando como se fosse um bordado, ainda que sejamos apenas uma das linhas, o artista que trabalha a peça toda sabe o propósito e daí é que entra os pequenos detalhes que nos diferencia de outras “linhas da trama.” Enquanto ele trabalha do lado certo, a maioria de quem vê o trabalho, só o vê de um lado, ou de um ângulo, normalmente o avesso e aí tudo parece uma confusão sem sentido algum, sem forma e até parece um verdadeiro desperdício. Mas não é sábio julgar uma obra antes do artista terminar o seu trabalho. Eu sei, que Deus ainda não concluiu o que começou na minha vida, e também na sua. Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo (Fp 1.6). Isaías entrega mensagens divinas de sentenças pesadas em termos de juízo divino para as várias nações, como para o Egito, nessa passagem; mas ao mesmo tempo, sempre há uma palavra de esperança, na restauração de todas as coisas, através da obra redentora do Messias, o nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje, lendo esse texto e os versos finais do capítulo, qualquer um, olhando do ponto de vista humano, político e das relações internacionais, no contexto de Oriente Médio, dirá que é insanidade e até risco de vida, dizer uma coisa dessas. Mas, está aí, escrito e chancelado pelo Espírito Santo, texto inspirado, aceito e carimbado por Cristo nos seus dias aqui na terra, quando autenticou as Sagradas Escrituras. E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos (Lc 24.44). Nações adorando o criador, povos que cultivaram ódio e distanciamento da revelação divina, se convertendo em massa e se tornando adoradores fervorosos! Nossa esperança está em Cristo e há muito o que fazer e motivos para orarmos, para que “…venha a nós o teu reino…” Realmente Jesus não estava brincando quando disse: “Foi me dado todo o poder no céu e na terra…” (Mt 28.18).

Eis me aqui, Senhor, para fazer a tua vontade e cooperar para que a mensagem do teu reino chegue a todos os povos e a tua vontade se estabeleça. Amém.

Pr Jason

Etiópia, Quem Te Viu e Quem Te Vê

Meditação do dia 07/01/2017

 Is 18.7 Naquele tempo trará um presente ao Senhor dos Exércitos um povo de elevada estatura e de pele lisa, e um povo terrível desde o seu princípio; uma nação forte e esmagadora, cuja terra os rios dividem; ao lugar do nome do Senhor dos Exércitos, ao monte Sião.

 Etiópia, quem te viu e quem te vê – Modernamente essa nação antiquíssima ficou mais conhecida por tragédias humanitárias do que por outros motivos. Em termos esportivos eles mantem uma hegemonia de velocistas e maratonistas em quase todas as competições. Ao ler este capítulo de Isaías, percebemos que por mais de dois, três mil anos atrás, eles já eram uma nação poderosa, temida e respeitada no mundo e nos reinos da época. Isaías cita até as características físicas dos nativos dessa nação africana, de terras cortadas por rios. Com certeza foram belicosos ao extremo e marchavam longe para conquistas em guerras antigas. No início do texto fala de embaixadores em navios luxuosos; também há outras menções bem curiosas e interessantes sobre esse povo. A primeira menção na Bíblia de atitude de racismo, envolve uma pessoa da Etiópia, foi no caso da briga ciumenta de Arão e Miriam, por causa da cunhada, a esposa de Moisés, ser desse povo. Mais na frente, texto um clássico da grandeza desse povo, quando a rainha de Sabá veio visitar o Rei Salomão e trouxe-lhe muitos e ricos presentes e também foi contemplada generosamente pelo anfitrião. Há uma prática na cultura desse povo, cultivado até hoje e ainda muito forte, que se trata de uma tradição de que a Arca da Aliança, quando tirada de Israel na época do cativeiro babilônico, e que ela fora levada para a Etiópia e escondida e que se mantém misteriosamente guardada lá. Anualmente acontece um festival em todo o país, onde eles saem em procissão pelas ruas das cidades conduzindo uma arca, como faziam os sacerdotes hebreus; a tal arca fica coberta o tempo todo, e cada cidade tem a sua ou até mais de uma, e eles afirmam que essa enorme quantidade é para impossibilitar a identificação da verdadeira. Já vimos antes, o que leva um povo a se tornar grande, poderoso e próspero e também o que o leva ao declínio e em dados casos, ao desaparecimento. Ela pode hoje não estar vivendo os seus melhores dias, mas certamente, pela profecia bíblica voltará a ser grande e também estará entre as nações que prestarão culto a Deus e trará suas honrarias à Jerusalém. O que vale para um indivíduo, vale também para um povo e uma nação; assim a obediência a nossa fé é condição de vida longa, próspera e cheia de realizações, especialmente as que possuem caraterísticas eternas.

Pai, graças de dou por pertencer ao Senhor, por um pacto de amor celebrado por ti e nos concedendo graças de ser participantes, em Cristo Jesus. Nossas vidas estão num contexto de povos e nações e minha fé me encaminha para a tua perfeita vontade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Olhar Que Faz Sentido

Meditação do dia 06/01/2017

 Is 17.7 Naquele dia, olhará o homem para o seu Criador; e os seus olhos atentarão para o Santo de Israel

 O olhar que faz sentido – A nação sentenciada desta profecia de Isaías é a Síria, que nos nossos dias está sob o poder do ditador Bashar Al Assad, sob a proteção da Rússia e a maior parte do país se encontra em escombros de guerras, internas, tribais, de grupos radicais, incluindo o chamado Estado Islâmico. Umas das nações mais antigas da história e de belíssimos patrimônios históricos e culturais, como também de laços afetivos muito estreitos com o povo brasileiro. Como nação ela também cometeu seus pecados contra Deus ao longo dos tempos e tem colhido muito daquilo que semeou. Sua rivalidade e hostilidade contra o povo escolhido é tão antigo quanto os dois povos e novos capítulos ainda surgirão. Mas hoje, nossa meditação está se baseando numa promessa messiânica, inserida no juízo predito contra essa nação. É muito confortador saber que Deus é um juiz justo e grande em bondade e misericórdia para com todos, todos mesmos; a promessa de redenção não é uma peça exclusiva que se encaixa apenas para um povo escolhido, no caso o povo judeu; a redenção é para a humanidade inteira, todos que tomam conhecimento do plano de Deus, tem acesso gratuito a ela em Cristo Jesus, indistintamente da nação, raça, tribo, língua e etc. O pacto ou aliança divina com Abraão e seus descendentes é real, autentico e é peça fundamental no propósito inteiro da obra redenção, mas não é só para eles, ao contrário, eles são beneficiários e responsáveis pela bênção chegar a todas as famílias da terra. Mas você sabe que eles pisaram na bola e tentaram tornar Deus e o conhecimento divino uma exclusividade hebraica, discriminando os “gentios” e por isso a igreja entrou na parada, num parêntase histórico e espiritual, como o NOVO POVO DE DEUS. E não é engraçado vermos igrejas pregando em alto e bom som, que só nelas se prega a salvação em Cristo e quem não for dos “nossos” está perdendo tempo? O verso abordado hoje, está num contexto próximo se juntando aos versos 8 e 9, mostrando “um dia” quando as coisas tomarão um rumo bem diferente, pois o olhar se voltará para Deus, o seu CRIADOR, e ficarão atentos para o santo de Israel. Quem hoje está olhando seriamente para Deus? E mesmo entre os religiosos e pessoas de fé, quem está engolindo a Deus como criador? Pensando no contexto do oriente médio, objeto da profecia, o que pensam do “”santo de Israel?” Nesse tempo, eles tirarão os olhos do material, do religioso, do humano, do místico e essas mudanças transformarão também suas cidades, regiões e serão lugares bons e seguros para se viver, trabalhar e prosperar. Não é tecnologia, não é administração, não é ciência e muito menos evolução humana e pactos costurados, mas sim a volta das pessoas ao lugar de onde nunca deveriam ter saído: Da presença, da comunhão e da bênção de Deus, Deus de todas as nações, todos os povos! Deus, igreja, religião, para você é tudo junto e misturado, Deus está acima disso, ou a sua igreja e a sua religião é o caminho e a resposta? Até que ponto uma coisa mistura com a outra?

Senhor, tu és Deus antes que houvesse qualquer coisa que conhecemos, e certamente estarás para sempre acima de todas essas conveniências. Permita revelar-se a nós e adquirirmos conhecimento autentico das verdades do reino. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Digno de Sentar no Trono

Meditação do dia 05/01/2017

 Is 16.5 Então um trono se firmará em benignidade, e sobre ele no tabernáculo de Davi se assentará com fidelidade um que julgue, busque o juízo e não tarde em fazer justiça.

 Digno de sentar no trono – É bem interessante aprender a diferenciar o conceito de Reino de Deus, das idéias religiosas sobre o reino de Deus. São conceitos completamente diferentes! A religião é totalmente coisa humana, vivenciada no poder da mente, da razão e espaço reservado para a fé, é meramente uma formalidade. Com as idéias religiosas, os líderes e pensadores influentes, enfiam garganta à baixo do povo, suas conclusões e teses, que dificilmente se sustentarão diante do trono do legítimo líder. A fé nos guia à verdade, e a verdade está revelada nas Palavras de Deus; tudo o que era e é necessário sabermos e no devido tempo compreendermos, está ali disponível e a chave para a correta interpretação é o Espírito Santo, que é Deus e que esteve presente quando ela foi escrita e está hoje quando precisamos de revelação da verdade. É aceito em comum acordo, que a grandiosidade de Deus e sua revelação é impossível através de um único canal. A glória de Cristo, do reino não pode ser expressa, numa faceta de igreja local, denominação ou pessoa. Isso reduziria muito, mas mesmo sabendo isso, há quem insista em se pretender ser a única e original representante da divindade cristã e únicos com autoridade para interpretar a vontade de Deus. (Quem deu a eles essa pretensa autoridade, talvez nem eles saibam dizer). Jesus viveu entre nós, em carne, fisicamente, sendo cem por cento humano, ao mesmo tempo que cem por cento divino, sem ter dupla personalidade, nem se confundir ou se contradizer; viveu em dias e locais muito conturbados e entre as maiores pressões possíveis, religiosas e políticas, prensado entre judeus fanáticos e romanos sanguinários. Mesmo nesse contexto, sabemos que ele nunca teve contra si uma única acusação legítima, de qualquer espécie. Armaram para ele de todas as formas possíveis e com todo apoio do aparato do estado e da comunidade religiosa e todo o seu processo, de ponta a ponta foi uma farsa deslavada, caluniosa, comprada, manipulada e aceita em bases mais que duvidosas. Nada disso é novidade, estava profetizado, prescrito e determinado e fazia parte da legítima história da redenção humana, onde um cordeiro inocente levaria a culpa do pecador impenitente. Agora, olhando para o texto de hoje, separado, em poucas palavras, observe o que é reino de Deus, o que é um governo legítimo e compare com o que temos e vemos em todos os reinos humanos, mesmo nos países mais conceituados de equilíbrio, justiça e menos corrupção. 1. Um trono firmado em benignidade (bondade) – 2. Legado de um descendente da casa de Davi – 3. Assentará para julgar com fidelidade – 4. Busque o juízo – 5. Não tarde em fazer justiça. Não precisa ser perito em direito para saber que em nada equivale aos nossos tribunais de cangurus! Eu amo a idéia de Cristo ser um Senhor, que se assentará num trono e governará com vara de ferro as nações e os povos. Democracia é o melhor sistema que os homens conseguiram produzir e sabemos que é mais furado do que peneira! Tudo manipulação e quem pode mais, pode ainda mais e o povo é um mero detalhe para legitimar as pretensões deles. É Muito legal, até pensar que na eternidade e no reino estabelecido de Cristo, não haverá templo… E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro (Ap 21.22). Parece sendo todos sacerdotes, muita gente vai perder os empregos e com ele o poder de manipular e tirar proveito, já que Deus estará ali, não precisará de “legítimos representantes…” Que maravilha! Não quero perder isso por nada!

A ti, Senhor, seja a honra e a glória em todo tempo e lugar! Aguardamos com muita expectativa a manifestação do Senhor e seu reino de justiça. Venha a nós o teu reino e seja feita a tua vontade aqui na terra, como ela o é no céu. Amém!

Pr Jason

O Juízo Vem Sobre Todos

Meditação do dia 04/01/2017

 Is 15.6 Porque as águas de Ninrim desaparecem; seca-se o pasto, acaba-se a erva, e já não há verdura alguma…

 O juízo vem sobre todos – As razões que dizemos em sociologia, que ninguém vive só, ou ninguém é uma ilha, também se aplica aos povos e nações. Tem as grandes, as superpotências, as potencias militares, agrícolas, industriais, e por aí vai… sempre foi assim, e por muito tempo ainda o será. Israel já foi uma importante nação, nem tão grande geograficamente, mas sempre de peso, devido sua posição estratégica espiritual no mundo. Segundo Ezequiel 5.5: Assim diz o Senhor Deus: Esta é Jerusalém; coloquei-a no meio das nações e das terras que estão ao redor dela. Para muitos não se trata apenas de palavras, mas no centro mesmo, a nível de importância e das ações de Deus para com os povos; Claro, muito gente não vai gostar disso, mas também não muda nada, os propósitos de Deus são eternos. Quando uma nação deixa de agir dentro de uma normalidade esperada, em termos de pecados nacionais e individuais, leva advertências divinas e entra em juízo, podendo até chegar à extinção. A própria história prova isso. Estou chamando de pecados nacionais, as ações que tem o aval, a chancela do estado, e que só podem ser cometidos com o consentimento de governos e leis. Por exemplo: Abortos, injustiças institucionalizadas, genocídios, idolatrias, opressão religiosa, social, política e etc. Coisas que o estado legisla sobre tal e são práticas condenadas por Deus. Quando uma nação ou povo recebe um juízo divino, entre as muitas formas, as crises aparecem logo, porque de certa forma, atingem a todos indistintamente. Veja bem, o nosso texto mostra uma situação climática, que qualquer pessoa poderia dizer que nada tem à ver com questões espirituais ou nem se deve envolver Deus nisso, pois é claramente uma questão meteorológica, climática, e tem tudo a ver com tempos e estações… mas o começo do texto diz claramente que Deus está acertando contas com uma nação e que ela será de todo arrasada. Assim que passa a estação e vem outra estação e de uma temporada prolongada, se entra na outra temporada e as chuvas não vem, o clima se altera, a vegetação sente, depois desaparece, a lá se vão as fontes de águas, depois os reservatórios e medidas paliativas se tornam efetivas e nada muda… é para se pensar melhor! Aí aparece o sofrimento para animais, ecossistemas e entre tudo isso, está o ator principal, o homem e suas ações destrutivas. Como brasileiros, precisamos pensar no que cremos sobre as ações de Deus sobre as nações e nós somos uma nação e temos caprichado no quesito “pecados sociais,” e a igreja é o povo de Deus, o sal da terra e a luz do mundo; cabe a nós, não apenas recebermos as bênçãos, mas também fazermos a leitura dos tempos e das ações divinas para nosso povo. Voce já percebeu as palavras de 2 Cr 7.14, onde é que eu e você entramos e onde está o nosso papel, como cristãos, como igrejas? E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Deus vai sarar a terra mediante a nossa conversão, arrependimento e perdão de nossos pecados. O Brasil é muito grande, é continental e não posso responder por tudo, mas posso e sou responsável por uma parte de Guararapes, em São Paulo; você na sua cidade e seu estado, e todos nós brasileiros, pelo Brasil. Não são os outros que vão prestar contas a Deus, sou eu, e essa é a minha parte, a minha responsabilidade, a minha herança.

Senhor, Creio que estás no controle e no governo de todas as coisas, e todas as coisas incluem a minha vida, a minha cidade e a minha nação. Conceda-me graça e discernimento para sustentar na brecha, onde estou colocado pelo Senhor.

Pr Jason

Tudo que Sobe, Desce

Meditação do dia 03/01/2017

 Is 14.12 Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!

 Tudo que sobe, desce – Longe de mim traçar um perfil das origens de Satanás, ou os motivos que o levaram a ser o que é e o destino que terá, ainda mais que nosso propósito é crescer devocionalmente no conhecimento das Escrituras Sagradas. Diferentemente do que alguns defendem, a melhor maneira de se evitar o mal, não é o conhecendo bem, e sim conhecendo a verdade! Só a verdade liberta! Enveredando por esse conceito muita gente simples, caiu na armadilha de experimentar bebida para saber o perigo do alcoolismo e não saíram mais; outros entraram no mundo das drogas, só para recreação e assim conhecer para saber evitar os perigos e também ficaram escravizados. Isso se repete com todos os níveis e tipos de práticas nocivas e viciantes, incluindo drogas lícitas e práticas socialmente aceitas e aprovadas. O mal, como uma pessoa, biblicamente falando á foi gente boa e prestou relevantes serviços a Deus e à luz, até que subiu na cabeça a idéia de ser algo acima das reais possibilidades. O “EU” que tantos estragos faz na sociedade, quando infla e extrapola os limites da sua razão de ser, e da individualidade pessoal, criando uma versão exagerada centrada em si mesma e com tendências de fazer com que tudo orbitem em torno de si, antes de estar nos humanos, esteve em um anjo de luz, que sucumbiu ao orgulho, arrogância e em termos bem populares, achou que poderia medir forças com o Criador e dar um golpe de estado e sentar no trono. Nos versos 13 e 14, embora tão pequenos, contém cinco citações na primeira pessoa do singular, onde o camarada, se auto proclama e faz declarações como se fosse até acima do Todo-Poderoso, a quem alimentava o desejo de superar. Ainda hoje, precisamos cuidar para não pretendermos ir e ser além do que realmente podemos ou devemos. Os cristãos, sabem que receberam uma grande autoridade, delegada por Cristo, no contexto do Evangelho, para que a missão pudesse ser levada a bom êxito em todo o mundo, fazendo discípulos de todas as nações. O poder ainda é de Deus, ainda é uma delegação, e nós ainda somos vasos de barro, contendo um precioso tesouro, mas precisamos estar conscientes disso e exercer uma boa mordomia. Não é uma boa medida deixar o poder subir na cabeça e ficar dando “carteirada” exibindo um poder que nos foi delegado para finalidades mais nobres, do que alimentar o ego e nos tornar famosos e exibicionistas. O Eu de cada um, precisa ser diariamente levado à Cruz e ser de fato crucificado com Cristo. Eu bom é um eu morto! “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gl 2.20).

Senhor, mantenha-me da minha porção necessária para cada dia, na tua presença! Desejo reconhecer a graça misericordiosa que me transforma em filho, e obrigado por me permitir participar da vocação de servir. Obrigado pela graça de suficiente, em Cristo Jesus, amém.

Pr Jason

Babilonia, Ontem e Hoje e Para Sempre

Meditação do dia 02/01/2017

 Is 13.19,20 E babilônia, o ornamento dos reinos, a glória e a soberba dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, quando Deus as transtornou. Nunca mais será habitada, nem nela morará alguém de geração em geração; nem o árabe armará ali a sua tenda, nem tampouco os pastores ali farão deitar os seus rebanhos.

 Babilônia, ontem, hoje e para sempre – Não é novidade para nenhum leitor que me acompanha, ou das pessoas que me conhecem em convivência mais próxima, sobre o meu fascínio por história e conhecimentos gerais. Tudo nesse sentido em oferece oportunidade de aprendizado, comparação e conclusões boas. Como já disse, citando uma professora dos tempos de Seminário: “O grande valor de se estudar e conhecer a história, é evitar que os erros sejam cometidos novamente.” A antiga cidade-reino da Babilonia, foi esplendorosa e admirável para sua época e não é em vão que ficou catalogada como detentora de uma das sete maravilhas do mundo antigo, os  jardins suspensos, orgulho e até motivo de juízo divino sobre o mais famoso dos seus reis, Nabucodonosor, contemporâneo do profeta Daniel. Mas antes mesmo disso tudo acontecer, Deus já havia sentenciado esse povo e sua nação a extinção eterna, ruínas para não serem reconstruídas nunca mais. É o que lemos nos versos da meditação de hoje. O Senhor mesmo disse que ela era linda, importante e motivo de orgulho dos caldeus; então, se Deus diz que algo é lindo, importante, admirável, então é mesmo e isso precisa ser respeitado e levado em conta. Mas se também, é dito que a situação não é boa, que o pecado e a maldade está imperando numa sociedade e num povo, isso precisa ser considerado e o arrependimento deve aparecer genuinamente, caso queiram reverter o quadro. Para a Babilonia, a sentença era que jamais seria reerguida, para sempre, de geração em geração… e assim está ela desde a sua queda, ainda naqueles tempos antigos e assim permanece e assim permanecerá, porque Deus disse. Muitos já tentaram projetos para estimular a cultura, o turismo, valorizar o patrimônio histórico dela; mas não prospera. O próprio presidente do Iraque, onde se situa nos tempos de hoje, Sadam Hussein, fez investimentos pesados, até refazendo os tijojos, agora com a insígnia dele estampado, mas também caiu antes do seu projeto aparecer. Apocalipse fala de uma cidade próspera e ímpia que será destruída de uma forma que deixará o mundo todo em pavorosa, e ela também é chamada de Babilonia, mas não é essa antiga e nem uma restauração dela utilizando os meios modernos e rápidos de construção civil. Queridos, se uma palavra profética, sobre uma cidade, um povo, e seus reinos, se cumpre cabalmente, nos mínimos detalhes, porque quem falou é fiel e tem poder de antecipar fatos do futuro, milhares de anos antes dele existir; o que dizer das promessas proféticas sobre  a volta de Jesus, a Nova Jerusalém, o arrebatamento, o milênio, o juízo final, a eternidade e etc? Os movimentos e as  luzes do mundo e suas modas e manias, não podem ofuscar a visão que temos sobre as promessas de Deus. Vivamos a cada dia, com a serenidade que é caracteriza os filhos de Deus, com a intensidade de quem precisa urgir com o tempo e as oportunidades, mas sem se contaminar com o mundo, o pecado e ou mesmo esfriar no amor e na fé. Cuide-se! Desperte-se! É tempo de boas novas.

Senhor, mantenha os meus olhos em ti e fidelidade das tuas promessas, pois tão seguro e tão digno de confiança como o Senhor, só mesmo a tua Palavra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason