A Palavra da Promessa

Meditação do dia 27/08/2018

 Porque a palavra da promessa é esta: Por este tempo virei, e Sara terá um filho.”  (Rm 9.9)

 A Palavra da Promessa – Estamos buscando edificação espiritual por meio de estudar a vida de Sara, a esposa de Abraão. Não estamos levantando uma biografia, nem fazendo um estudo bíblico teológico biográfico. Nos propomos a ver a sua história e as atitudes e decisões que ela tomou o como reagiu às situações em volta de si e de sua família. Hoje, vamos pensar na fidelidade de Deus ao lidar com as promessas feitas à pessoas com quem ele se relaciona e com elas constrói seus projetos. Adequando o modo de vida que temos hoje no Brasil, onde quase tudo é judicializado e temos que tomar todas as prevenções porque tudo o que se faz, diz, pensa ou participa pode ser levado a juízo legal à qualquer momento e aí vem as múltiplas interpretações jurídicas com um sem número de possibilidade e as infinitas estancias de se recorrer, simplesmente pelo bel prazer de alguém. Deus em sua infinita sabedoria, nos deu sua Palavra que não precisa ser reformada, reformatada, atualizada; nem tampouco fica velha, caduca ou perde o sentido e a validade. Deus é eterno e assim é sua Palavra! Deus é perfeito e assim e sua Palavra! Deus é imutável e inabalável; assim também é a sua Palavra. Deus disse, eu creio e isso me basta! Então, Deus prometera a Abraão que ele teria um filho, que seria o seu herdeiro e dali viria uma linhagem numerosa, abençoada e abençoadora, do qual sairia nações e reis e ainda o Messias, o redentor da humanidade. Com o passar dos dias e anos, Abraão e Sara se valeram de todos os meios e recursos para produzirem um herdeiro; isso foi crescendo em instancias e da idéia original de que filho é gerado pelo casal, e na impossibilidade de um dos cônjuges, a cultura, a tradição e os arranjos sociais tinham seus meios de fazer valer. Sara entrou nessa fase e sugeriu abrir mão por sua condição de estéril e “gerar” esse herdeiro via ventre de uma serva, mas o filho seria legalmente da família e descendente de Abraão. Até Abraão achou razoável o plano. O único que não embarcou nisso foi Deus. Ela havia feito a promessa à Abraão e Sara e ainda que o patriarca tivesse condições biológicas de gerar muitos descendentes, não era isso que a Palavra de Deus dissera e não importava a interpretação, a hermenêutica ou exegese que ele e Sara fizesse, Deus disse o que disse era isso que estava valendo; tanto é que todos os outros planos vieram a fracassar. Paulo, alguém que conhece muito de Deus e suas doutrinas, escreveu aos Romanos, mostrando a verdadeira interpretação. Era um filho da promessa e não um filho da carne; não é porque tem o DNA de Abraão que é “O” filho prometido por Deus. O que Deus disse era filho da promessa e a promessa era que Abraão seria pai de um filho gerado por Sara. Torcer a teologia para acomodar nossas preferencias é uma péssima administração da mordomia cristã. As imperfeições e impossibilidades humanas em nada afetam a capacidade e o poder de Deus zelar por sua Palavra e suas promessas. E disse-me o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la (Jr 1.12).

 

Pai amado, somos hoje filhos da promessa dada a Abraão e Sara e herdeiros com Cristo da fé da obra redentora, consumada na cruz lá no Calvário. Obrigado pela promessa da salvação e de ter o nome escrito no livro da vida. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s