As Filhas de Sara

Meditação do dia 29/08/2018

 Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto.”  (I Pe 3.6)

 As Filhas de Sara – Nas palavras de Jesus, um pouco de fermento é capaz de levedar uma grande quantidade de massa. Ele sabia do que falava, pois acompanha a história dos homens desde o início. Um pouquinho de desobediência e aspiração por independência lá no Jardim do Éden, foi o suficiente para fermentar toda a massa humana, que faz de tudo para se livrar da influencia de Deus em suas vidas, tendo o pecado como grande aliado. A família, surgiu ali naquele jardim; a sociedade iniciou-se ali e os problemas sociais também. Ao serem expulsos do paraíso, eles levaram consigo a semente de tudo que veio a se tornar o que conhecemos hoje. Junto com a multiplicação de pessoas, exponencialmente também multiplicou todos os componentes que são inerentes ao convívio social. Nos nossos dias, mesmo no ambiente familiar cristão, a influencia do politicamente correto, do socialmente aceito, do culturalmente conveniente, soa até como palavrão os conceitos de relacionamentos do jeito de Deus. Palavras como submissão, obediência são inaceitáveis e recusadas como sendo antiquadas e inconvenientes. Mas, elas são palavras de Deus, veredas antigas, marcos que nunca deveriam ser mudadas. Foi o pecado e não Deus que condicionou a guerra dos sexos para saber quem é que manda ou quem pode mais chora menos. Gosto do conceito paulino para casamento, quando ele aconselha evitar-se o jugo desigual. A idéia literal de jugo é uma canga, uma peça colocada no pescoço de dois bois, que formam uma parelha, para juntos trabalharem com esforços conjugados aumentando o potencial e diminuindo o esforço individual. Se um dos elementos da parelha não se adequar ou não trabalhar em conjunto os dois sofrerão mais do que o necessário e correm o risco de se ferirem e a produtividade fica comprometida. Quem já assistiu ao filme Bem-Hur pode compreender isso na cena quando ele ajuda melhorar o desempenho daqueles cavalos de corrida de biga. Ele mostra qual deve ficar por dentro e porque e como tirar proveito do potencial de cada um. O casamento e a família, como idealizado originalmente por Deus foi formado e ainda deve ser, por uma dupla afinada entre si, onde cada um oferece o seu forte e é compensado no fraco, criando um equilíbrio e estabilidade incrível. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa (Ec 4.9-12). No lar cristão, à moda de Deus, submissão não tem nada a ver com escravidão, sujeição, imposição, dominação. O homem ser senhor de sua casa e de sua família nada se relaciona com ditadura, ser “manda-chuva, manda quem pode e obedece quem tem juízo.” O modelo de senhorio é o exercido por Cristo, o modelo de governo é o do Reino de Deus, onde Jesus é soberano absoluto, com um nome acima de todo nome, onde todo joelho se dobra e toda língua o confessa como Senhor; nem que ele seja injusto, inflexível, déspota. O modelo de submissão bíblica é da igreja a Cristo, como Paulo mostra aos efésios. “De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos. Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, (Ef 5.24,25). Nenhuma mulher tem problema de submeter-se a um marido que a ama como Cristo amou a igreja e o inverso também é válido: nenhum homem tem dificuldade de amar uma esposa que se submete com a igreja se submete a Cristo. É por isso que as filhas de Sara vivem sem espanto algum, mas confiantes, seguras e abençoadas.

 

Senhor, obrigado pela exatidão da tuas palavras e propósitos na vida dos filhos e filhas que se submetem aos teus princípios. Obrigado por moldar as famílias e faze-las boas representantes do teu Reino. Graças rendemos a ti pelas vidas de mulheres que em submissão à tua vontade ganham as almas de seus familiares para ti sem dizerem uma única palavra, mas vivendo a fé no poder do Espírito Santo. Confirma em nossos corações a disposição de viver os valores eternos e imutáveis das tuas veredas antigas. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s