As Gerações de Ismael

Meditação do dia 31/10/2018

 “Estas, porém, são as gerações de Ismael filho de Abraão, que a serva de Sara, Agar, egípcia, deu a Abraão.”  (Gn 25.12)

 As Gerações de Ismael – Depois que adquiri certo conhecimento da importância das gerações e do papel delas nos planos de Deus, cada texto da Palavra de Deus que cita uma dessas palavras ou menciona algo sobre esse ensino, me desperta a atenção e tem sido uma experiência muito enriquecedora. Costumamos ver a vida muito fatiada, compartimentada, e onde cada um cuida do seu quadradinho e dá a impressão que tudo diz respeito ao tempo da hora que nascemos até a hora que morremos aqui na terra. Fomos catequisados e se formou uma mentalidade imediatista de que tudo começa e termina conosco mesmo. Isso não é bíblico e não é propósito divino para a vida de nenhum dos seus filhos. Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez (Ec 3.11). Não é apenas ter ou sentir o desejo de viver na eternidade, ou acreditar em vida eterna; se trata de estar consciente de que fazemos parte de um projeto que iniciou-se na eternidade e segue pela eternidade. Aqui estamos numa passagem, uma condição que fora privilegiada, mas que o pecado e a desobediência estragou o projeto original e desde então está em curso um plano de recuperação, que conhecemos como plano de redenção da humanidade e de todo o ambiente que a cerca. O pecado do homem afetou e corrompeu tudo ao seu redor e assim a obra de redenção também alcança tudo quanto foi afetado. As pessoas são os bens mais valiosos da criação de Deus. Assim como fizemos parte do trabalho de estragar também fomos incluídos no trabalho de restaurar; somos parceiros com o Senhor e temos responsabilidades a cumprir, já que somos os principais beneficiados com o projeto de Deus. Existe uma estrutura rígida, como uma coluna que dá sustentação ao corpo todo do projeto e isso se fundamenta em pessoas. Sempre Deus chamou pessoas, abençoou-as e deu-lhes participação em seus projetos. Costumo ensinar que essa coluna segue um padrão básico: Um homem, uma família, uma nação, uma família, um homem; eu explico: Deus tomou um homem (Abraão), fez dele uma família (Jacó) e fez dela uma nação (Israel) e tomou dela uma família (Davi) e dela tomou um homem (Jesus). Em todo esse processo, está um cuidado todo especial com a transmissão da fé e das alianças através do processo geracional. Tudo passa de pai para filho, de geração em geração. É assim também com as nações e famílias periféricas a Israel, Jesus e a Igreja. O propósito eterno é que todas as famílias e nações da terra sejam abençoadas com a redenção eterna. Esse evangelho foi confiado à Israel e posteriormente à igreja; nunca houve uma idéia de separar um povo (Israel) para serem salvos e os demais se perdessem. Deus ama a todos e é fiel a promessa feita a Adão e Eva lá no Éden. Ismael não era a linhagem da promessa feita à Abraão, mas ele estava nos planos do Senhor que o abençoou e suas gerações cumpriam e cumprem ainda os designios divinos. Os povos cada um tem sua contribuição para revelar a grandeza de Deus e sua infinita glória. Povos serviram de berço para a formação do povo de Deus; para guarda-los em situações especiais e vemos na nova aliança, que a igreja se compõe de salvos de todos os povos, raças, tribo, línguas e nações. Não existe acasos com Deus; não existe acidentes de percursos ou improvisações nas suas obras. Vimos como Ismael saiu de casa, um garoto e com a promessa de se tornar um povo e uma nação. Nada disso se tornaria realidade sem as gerações, filhos nascendo, crescendo, casando e gerando filhos, comprometidos com um propósito maior de Deus e que cada pessoa cumpre um papel específico, ainda que transitório, mas fundamental e eterno para o quadro todo. A igreja precisa ver as coisas assim também. Gerações de salvos gerando filhos comprometidos com a fé e com os propósitos eternos de Deus e do reino de
Deus. Sem isso, ficamos num círculo vicioso de ganhar e desviar, ganhar e desviar e nunca atingir a meta. Me preocupa sim, ver famílias que não duram três gerações firmes na fé. isso deve ser motivo de nossas orações, mas também de ações para reparar e voltar aos caminhos das veredas antigas.

 

Senhor, obrigado por ser abençoador de pessoas dentro de um contexto de gerações alcançadas, comprometidas e disponíveis ao serviço da fé. Abraão fez bem feito o dever de casa e Israel tem se mantido ao longo dos séculos comprometido com Jeová e com uma mentalidade de Reino. A igreja tem se preocupado mais com almas e ir para céu e pouco com ser participante de algo maior que a existência das pessoas. Pai, preciso de ajuda, discernimento e capacidade para ensinar e fazer diferença na minha geração. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s