A Grande Jornada

Meditação do dia 02/12/2018

 “Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera.”  (Gn 22.3)

 A Grande Jornada – Já ouviu a expressão “Ex ante?” Eu a conheci recentemente estudando finanças e investimentos e ao tudo indica a origem dela é desse mundo do mercado financeiro, e a sua utilização é uma espécie de termo técnico, daquilo que comumente falamos: “Se eu soubesse antes…” É claro que existem muitas variações com sentido bem próximo, como a dos sertanejos que dizem que “depois da onça morta, todos dão tiros.” A verdade verdadeira, é que o futuro é sempre opaco e ninguém sabe o que está por vir. Tomamos decisões, umas boas e outras nem tanto e então dizemos, se eu soubesse antes, teria feito diferente. Mas não sabíamos, não sabemos e não saberemos. Agimos baseado no que entendemos certo o certo, o bom ou o melhor a se fazer agora e depois lidamos com os resultados e consequências. É dessa impossibilidade de ver o futuro, que primamos por ter um bom caráter, fazer boas decisões e sermos sensatos e justos em nossas ações, minimizando assim os resultados ruins ou dos quais nos arrependeremos pelo resto da vida. Mas é interessante registrar, que o que somos hoje, é na verdade a soma de tudo aquilo que vivenciamos, escolhemos, fizemos ou deixamos de fazer. A soma de todos os meus erros e acertos, desequilíbrios e pisadas na bola, me trouxeram até a realidade presente. Assim foi com Isaque e seu pai naquela experiência. Qualquer um adolescente diria, se eu soubesse que no final dessa viagem eu fosse ser sacrificado, eu teria… Imagino que se Abraão agisse como alguns cristãos, já estaria murmurando sobre tudo que acontecera na sua vida, e até dizendo que não valera a pena ganhar o filho e agora perder desse jeito; como Deus dá e depois toma? Como um Deus de amor e justiça pede a um pai para sacrificar seu filho? Tudo isso são conjecturações minhas, pessoais; O exemplo e o rastro deixado pelo patriarca, não dá margem para “pensarmos que ele pensou!” Na expressão mais próxima que temos do que seria uma definição de fé, o escritor aos Hebreus afirma: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” (Hb 11.1). Abraão era um homem de fé, sua fé era um alicerce firme, muito firme; fé e esperança sempre andam juntas, assim como dúvida e incredulidade. Isaque saiu de casa para fazer uma jornada de fé, uma experiência de adoração a Deus; foi isso que seu pai lhe dissera e seu pai era um adorador que praticava sua fé e recebia revelações de Deus; Adoração tem estreita ligação com amor e sacrifício; quanto maior a fé, maior o desejo de agradar e isso faz crescer o sacrifício, que custa, mas vale. Davi ensinou isso de uma forma que não tem maneira mais clara de dizer: Porém o rei disse a Araúna: Não, mas por preço justo to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada. Assim Davi comprou a eira e os bois por cinqüenta siclos de prata” (2 Sm 24.24). Davi entendia não se deve oferecer qualquer coisa a Deus que não tenha um custo para o adorador. Não existe promoção, pedido de desconto, pechincha quando se trata de oferecer algo a Deus. Culto que não custa nada, também não vale nada! Oferecer para Deus aquilo que não lhe custa, não tem preço significativo expressa um menosprezo pelo sagrado. Para Deus, damos sempre o melhor, a primícias, o que é valioso e precioso para nós. Olha a contrapartida de como são as dádivas divinas destinadas a nós? O que eu e você já recebemos do Senhor, que é de segunda categoria, que estava em promoção, estava sobrando, ia se perder mesmo, ou não tinha mais utilidade, então ele deu? A resposta é clara: NADA! Pode ter sido uma jornada silenciosa, contemplativa por parte do pai e quem sabe, cheia de expectativa, perguntas e curiosidades da parte de Isaque. Uma viagem longa de um ancião de cento e dezessete (?) anos, ao lado de um garoto de dezessete (?) oferece perspectivas bem diferentes para cada um. Acredito que a grande viagem para Abraão, se tornou também uma grande experiência para Isaque e a experiência dos dois se tornou mais significativa quando ambos puderam juntar as peças.

 

Senhor, que bom que tens o perfeito controle das nossas vidas e das situações ao nosso redor. Nada está fora da tua capacidade de resolver e prover o necessário e o suficiente para aqueles que creem em ti. Obrigado por nos criar sem a capacidade de ver o futuro, justamente para podermos confiar em ti e exercitar o dom da fé e da confiança nas tuas fortes mãos que dirigem tudo. Obrigado, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s