Estremecimento

Meditação do dia 15/02/2019 

 Então estremeceu Isaque de um estremecimento muito grande, e disse: Quem, pois, é aquele que apanhou a caça, e ma trouxe? E comi de tudo, antes que tu viesses, e abençoei-o, e ele será bendito.”  (Gn 27.33)

 Estremecimento – Estamos presenciando o fim de uma farsa, quando Isaque percebeu que de fato estava sendo manipulado e que ele caíra no golpe do filho falso. Ele estremeceu de tal forma, que posso admitir que o entendimento é que ele balançou, deu uma tremedeira, como se fosse convulsionar, ao conscientizar-se que mesmo com todos os cuidados e medidas preventivas tomadas, ainda assim se viu impotente diante da ardilosidade das intenções do filho mais novo. Além do óbvio, fica em nossos corações e mentes algumas indagações por serem respondidas, e uma delas que muito me atrai é a verdadeira razão da reação de Isaque; Ele estremeceu de tal forma, por que? Por que fora enganado? Por que ele se viu corrigido por Deus, por tentar dar a bênção ao filho errado? Por ter feito algo que não poderia ser revertido? Talvez eu até tenha mais motivos do que o próprio Isaque. Olhando rapidamente nas Escrituras, encontro ao menos duas versões do conceito de associar temor e tremor em atitudes. Uma diz respeito aos filhos de Deus, num sentido de caprichar no desenvolvimento da vida com Deus após a experiência de salvação; essa foi citada pelo apóstolo São Paulo: “De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor” (Fp 2.12). a outra foi dita por Tiago, e ele está respondendo com ironia ao discurso de pessoas que alegam que tem muita fé em Deus e à partir daí, estão prontos para o que der e vier. Ele mostra que existem mais coisas atrás do conceito de crer, além de acreditar intelectualmente e emocionalmente: “Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem” (Tg 2.19). A condição da estrutura humana, permite uma série de experiências que por vezes surpreende o indivíduo, de tal forma que ele conclui que não se conhece o suficientemente bem. Garantias de absoluta precisão se desmontam facilmente diante de um obstáculo inesperado. Podemos imaginar Pedro, seguro de si, convicto de sua fé e devoção ao mestre de tal forma que não exitaria em morrer por ele – em questões de horas, naquela mesma noite ele viu sua tese cair por terra no cantar do galo. Ele fizera exatamente o oposto do que sustentara com tanta valentia. Acreditamos em coisas e empenhamos nossa fé e palavra e muito cedo somos contrariados em tudo o que dito. Juras de amor eterno em casamento dos sonhos diante de centenas de convidados e testemunhas da solidez do relacionamento e tudo aquilo não sobrevive à luz de mel. Pastores e líderes convictos de seu trabalho sólido e bem fundamentado, vê seus esforços indo àgua à baixo na primeira heresia que se aproxima. O que fazer quando a casa cai? Essa é uma boa pergunta para meditarmos em nossas vidas e trabalhos. Em sua opinião, por que foi que Isaque estremeceu tão forte?

 

Senhor, obrigado por cuidar das nossas vidas e nos sustentar mesmo quando nossas estruturas não resistem a um teste. Sabemos pela tua Palavra, que o senhor é o verdadeiro e o melhor fundamento sobre o qual podemos construir nossas vidas e ministérios. Pedimos sabedoria para esse dia e para os desafios que teremos nele e daqui para frente. Oramos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s