Furor de Irmão

Meditação do dia 02/06/2019 

 “E mora com ele alguns dias, até que passe o furor de teu irmão;(Gn 27.44)

 Furor de Irmão – Toda ação produz uma reação igual e contrária, nos diz a ciência. Lidar com relacionamentos humanos e especialmente entre familiares não é uma ciência exata e precisa. Há fatores de difícil precisão e as potencialidades emocionais juntando-se as vontade e determinações, tudo isso pode se tornar um caldeirão fervente de reações imprevisíveis. O que Rebeca não sabia e não podia antever era que o coração de Esaú não era um campo cultivável de boas ações e maleável como talvez fosse o de Jacó. Anos mais tarde, cumprindo-se as promessas e profecias, um descendentes dela foi um grande rei e um homem muito sábio, estudioso e observador das relações humanas e escreveu o seguinte: “O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio” (Pv 18.19). Salomão viu isso acontecer literalmente em sua família, dentro de casa, ali foi o seu grande laboratório de pesquisas e observações. Filho do grande Rei Davi, o homem segundo o coração de Deus; o pastor de Israel, herói de guerra, amado e respeitado em todo lugar e uma pessoa de profundas experiências com Deus. Contudo dentro de casa, houve tantos conflitos que daria para se estudar e tirar boas e acertadas conclusões sobre a natureza humana. Salomão viu seus irmãos degladiarem entre si, por posições, até mesmo por usurpar o trono do pai. Ele presenciou um abuso sexual de um irmão contra uma irmã e de todos eles, Absalão foi o mais afetado e guardou calado sua mágoa até que conseguiu ardilosamente atrair e matar o ofensor. No texto que estamos meditando hoje, Rebeca não pode prever os custos da ação que ela incentivara e essa semente semeada entre Jacó e Esaú, apareceu mais tarde entre os próprios filhos de Jacó. Exemplos falam mais altos do que palavras. Vimos isso entre Caim e Abel e a história se perpetuou e até os dias de hoje continua acontecendo e só mesmo uma operação grande e poderosa do Espírito Santo, para processar uma cura e sarar por completa as feridas nos corações de irmãos que se ofenderam as vezes até por pouca coisa, mas a intensidade e a proximidade dos relacionamentos potencializa os resultados. Hoje, gostaria de sugerir avaliações desses relacionamentos entre familiares. Em muitas situações os dois lados contemporizam e amenizam racionalmente os fatos e os efeitos, mas no fundo há mágoas, rancores, feridas e traumas por ofensas produzidas pelas ações da convivência e em certos casos por falta de tato ou exagero no exercício da autoridade ou poder delegado entre eles. Alguém bateu em alguém e quem bateu esqueceu completamente aquilo, já quem apanhou…. alguém expôs o irmão à vergonha e vexame público, deixando marcas e lembranças dolorosas que a pessoa carrega e arrasta pela vida afora. Creio que o Espírito Santo vai iluminar melhor os corações e em oração e atitude de humildade cada um vai perceber sendo sensível e permitindo que seus corações sejam iluminados e essas coisas más sejam vistas e tiradas dali, pelo arrependimento e pedido de perdão, liberação do perdão e assim irá surgir a reconciliação plena entre os irmãos e trará saúde e paz para as gerações. A cura é possível onde o arrependimento e reconhecimento for possível. Negar ou subestimar não ajuda, ao contrário, bloqueia o mover do Espírito Santo.

 

Pai amado, obrigado por sermos a tua família, uma grande família com muitos filhos, todos gerados pela Palavra da Salvação pela tua infinita graça e a grandeza da tua misericórdia. Reconhecemos os atritos e desgastes relacionais entre irmãos e nesse dia queremos luz do Senhor em nossos corações para iluminar aqueles cantos escuros e quartos secretos onde há coisas que nem nós mesmos queremos visitar e tomar conhecimento. Preferimos que eles permaneçam secretos, escondidos e guardados pela vergonha que passamos ou fizemos alguém passar; pelo peso que sobreveio ou pela calamidade provocada e tem sido um fardo pesado para se carregar e tem mantido a comunhão em compasso de espera; revela, Senhor a tua graça sobre nós e guia-nos pelos caminhos eternos e veredas direitas por amor do teu nome. Pedimos perdão a ti e coragem e força para fazermos os acertos necessários com quem nos ofendeu ou ofendemos. Queremos uma cura verdadeira e legítima operada nessas ralações, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s