Inveja da Irmã

Meditação do dia: 25/07/2019

 Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e disse a Jacó: Dá-me filhos, se não morro.” (Gn 30.1)

Inveja da Irmã“A Inveja é a arma dos incompetentes. Li essa frase escrita na traseira da carroceria de um caminhão. Dizeres populares à parte, a inveja é algo realmente ruim e causa muitos males. Tudo indica que Jacó estaria levando uma pressão muito forte por parte da Raquel. Embora todos os privilégios, ou ao menos supostos privilégios que ela tinha em relação à Lia, sua irmã mais velha e que estava levando uma nítida vantagem sobre ela, pois a essa altura, já tinha dado a Jacó, quatro filhos. O que leva uma mulher bonita, trabalhadeira, amada pelo marido, vivendo em condições de progresso e prosperidade, sentir inveja da irmã á ponto de pressionar o marido, com ameaças de suicídio? Não podemos dizer que ela estaria fazendo chantagem emocional, querendo mais atenção. Se o registro sagrado cita que foi assim que ela se dirigiu ao marido, então precisamos levar à sério o tema porque de fato isso aconteceu. Depois de milhares de anos entre nós e eles, é bem mais simples, com cabeça ocidental e mentalidade de ter poucos filhos e se não tiver nenhum, não é considerado uma tragédia, podemos ser simplistas na análise. Mas olhando os fatos, com os olhos e mente contemporâneos dela, podemos nos assegurar, que era uma situação preocupante. Ter filhos era crucial para uma mulher, ou uma família. Tanto do ponto de vista social, quanto espiritual além daquilo afetar o sistema financeiro e força de trabalho, que na maioria dos casos, era centrado na própria família. Tendo muitos filhos se poderia dedicar a muito mais empreendimentos, com mão de obra confiável e de menor custo. Tanto Raquel, quanto Lia estavam conscientes de seus papeis na vida de Jacó. Ele viera de Canaã, enviado pelos pais, para se casar e constituir uma família, para voltar e tomar posse das promessas de Deus, que foram feitas em termos de alianças eternas com Abraão, Isaque e agora com ele Jacó. Elas sabiam que o marido havia recebido uma promessa divina que seria pai de muitos filhos e que formaria uma grande nação, com a qual Deus construiria a obra da redenção através de um Messias, que descenderia daquela linhagem. O sentimento de ser mãe, cooperar com o marido no cumprimento de seus projetos de ter muitos filhos e ver surgir uma tribo e dali uma nação abençoada e abençoadora, era algo muito motivador para Raquel, que se viu apaixonada e correspondida no seu amor por Jacó; viu a luta dele com as atitudes de seu próprio pai; quando finalmente estavam juntos, ela percebe que sua irmã esta consolidando o sonho que era dela. Podemos nos ver na pele de Raquel, quando estamos empenhados em obedecer as verdades reveladas de Deus, focados em ser produtivos e percebemos que algo está fora do lugar ou por alguma razão não está dando certo. Pior ainda que alguém que atravessa nosso caminho por meios não recomendáveis começa a ganhar mais e mais vantagens. Posso dizer-lhes, que alimentar um sentimento de frustração e transformar isso em inveja, não é bom e nem aceitável para os filhos de Deus. Ser provocado e irritado por quem está em vantagem sobre nós é muito cruel; mas inda assim, devemos andar na luz e pelos caminhos corretos. Nada justifica alimentarmos o mal dentro de nós, com a desculpa emocional de que aquilo deveria ser meu e não dele ou dela. Se uma das pessoas leitoras dessas meditações, trás, ou alimenta no seu coração o legítimo desejo da maternidade, e se vê na impossibilidade, ou enfrentando dificuldades, minha solidariedade estará contigo, mas prefiro te orientar a ir para os joelhos em oração diante de Deus e apresentar a quem de fato pode te ajudar. Não vá para as pessoas, quem quer que sejam elas, procure uma promessa de Deus e firme-se nela. Abrace a sua fé e construa o caminho para a bênção do senhor chegar aos seus braços. Nunca aceite a frustração, a amargura e o ressentimento abrigarem-se no seu coração. Reserve este lugar para a adoração, o louvor e a gratidão. Quem deseja a vida, não pode desejar a morte! A inveja de Raquel a orientou mal.

Senhor, hoje minha oração é de gratidão e louvor pelas irmãs que lutam com fé e amor para serem mães e elas querem isso como fruto da tua bênção e aceitam a criação de um milagre grande o suficiente para contradizer os fatos e a ciência. Profetizo sobre os ventres que abrigarão em breve uma promessa do Pai Celestial; esses filhos serão criados desde a concepção em um ambiente de amor e acolhida, abraçados e amados pelos pais e serão as testemunhas vivas e materiais do favor incomparável de Deus na vida de seus pais. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s