Sinais de desagrado

Meditação do dia: 16/08/2019

  Viu também Jacó o rosto de Labão, e eis que não era para com ele como anteriormente. (Gn 31.2)

 Sinais de Desagrado – Dano Alice, é uma simpática senhora de 87 anos, muito sábia e mesmo com a vida de muitas lutas ela prevaleceu e viu seus filhos crescerem e prosperarem. A ouvi dizer mais de uma vez que para se viver fora de casa e se dar bem, a pessoa precisa ser boba, muda e surda. Sou um dos filhos dela, e ela tinha razão. Saí de casa para trabalhar e nunca mais voltei, senão em passeios de férias ou nas visitas familiares. Me saí bem, mas tive que entender e praticar a filosofia dela, e em mais de uma vez tive que me fazer de bobo, de mudo e de surdo e valeu a pena. Jacó, estava fora de casa, morando com o tio materno, que o recebeu efusivamente e o recebeu como membro da família e lhe deu trabalho e o sobrinho acabou se tornando genro e pastor principal dos rebanhos. Ele gostava muito do sobrinho, pois tudo que ele tocava a mão, prosperava abundantemente. As poucas ovelhas que ele tinha, que eram sua forma de subsistência, cresceu e se multiplicou grandemente. Quando Jacó se propôs voltar para Canaã, ele interviu com elogios e fez uma maravilhosa proposta de trabalho, em que Jacó poderia até escolher o quanto queria ganhar, que ele estava disposto a pagar, por de fato Jacó fazia por merecer tal condição. Vimos que Jacó optou por um outro modelo de pagamento, em que ganharia por produtividade e assim ele viria a ter seu próprio rebanho. O materialista e trapaceiro tio, gostou, pois viu a possibilidade de ganhar ainda mais e Jacó não teria como reclamar, pois fizera sua própria escolha salarial. Como dizem os jovens de hoje, “deu ruim,” pois além de muito trabalho, a criatividade de Jacó contou com a bênção de Deus, que interferiu nos processos de nascimentos dos rebanhos e houve uma transferência de rebanho de qualidade para Jacó, que se tornou muito rico e com muita gente de trabalho. Labão e seus filhos não gostaram e então começou um tempo de pressão sobre Jacó e sua família. Murmurações maldosas contra o caráter e a conduta de Jacó e o próprio Labão expressava desagrado, de forma visível, pela expressão do rosto. Eu teria ficado incomodado, Jacó ficou. Como em outras situações aqui também, é o início de uma crise. Crise, vocês já sabem, é também oportunidade. Enquanto alguns choram, outros vendem lenços! Os períodos de crise, precisam ser estudados e avaliados com seriedade porque as respostas vão guiar as próximas decisões. Os aspectos da situação foram causadas por nós? Erramos em alguma decisão ou atitude? Se as conclusões são negativas, ou seja, independem de nós, são alheias a isso e são circunstanciais ou foram provocadas por outras pessoas e não temos participação ou reponsabilidade naquilo. Crises podem indicar hora de mudanças. Mesmo estando a serviço de Deus, os tempos e as ações mudam e precisam ser vistas como naturais. Sucessões são necessárias. Preservar os bons relacionamentos também é muito importante. Não se deve esperar a deterioração dos relacionamentos e chegar a pontos difíceis de se sustentar para então tomar decisões. Estar no lugar que Deus deseja é importante, mas dentro do tempo dele também é. Nesse mundo, nada é permanente, exceto as mudanças.

Senhor, a tua aliança permanece firme e o teu caráter também será sempre o mesmo. Vivemos para servir a ti, o lugar e o tempo são determinações da tua sabedoria. Ajuda-os com discernimento para sabermos ler esses tempos e as atitudes que devemos tomar em momentos certos. Obrigado pela ajuda, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s