A Pergunta de Faraó

Meditação do dia: 27/12/2019

 “E Faraó disse a Jacó: Quantos são os dias dos anos da tua vida?” (Gn 47.8)

A Pergunta de Faraó – Quantos são os dias dos anos da tua vida? Parece uma pergunta muito fácil de responder e não contem nenhuma pegadinha; é direta e objetiva. Então ela pode ser respondida também de forma direta e objetiva: tenho X anos. Podemos também pensar nessa pergunta como quem quer ver mais do que uma pergunta e quer dar mais do uma resposta. Quando pensamos em tempo, estamos lidando com algo que não temos controle e apenas aprendemos a medir em termos de dimensões humanas, em termos de segundos, minutos, horas, dias, meses, anos, décadas, séculos, milênios e eternidade, que já sai do nosso controle, tanto de medir quanto te entender. Concordo com um escritor que li, recentemente, que o tempo no sentido “Chronos” foi criado por Deus na criação, para ser utilizado nas medidas humanas; mas Deus mesmo está fora e acima disso, pois ele habita a eternidade. Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos (Is 57.15). Aqui em baixo, os filósofos, poetas, pensadores e cientistas tem se debruçado sobre o tema e alguns tem falado seriamente e outros apenas, poeticamente, fazendo das palavras um instrumento de conhecimento. Já fiz algumas reflexões sobre isso, mas mui superficialmente; apenas como exercício de criatividade. Uma forma até construtiva de se pensar é observar como as pessoas vivem e como elas aproveitam ou desperdiçam  seus dias, fazendo ou deixando de fazer produtivamente. Jesus é nossa referencia ideal, pois ele além de ser Deus Criador, ele também assumiu forma humana e se tornou submisso aos mesmos princípios que rege e limita a existência humana. Digamos que ele viveu entre nós por trinta e três anos, é o que está mais aceito entre todos; seguindo seus passos pelos Evangelhos, que são sua biografia e vista de quatro pontos de vistas diferentes pelos seus autores, ainda assim, sabemos que ninguém mesmo, foi tão bem sucedido nas medidas e uso adequado do seu tempo, que o mestre. Jesus estava no lugar certo, na hora certa, pelos motivos certos. Nunca se atrasou e nem tampouco chegou adiantado; não perdia tempo e não adiantava para ganhar vantagens; era economicamente perfeito, preciso. Na hora certa estava na manjedoura em Belém, no Templo, no Egito, em Nazaré, no deserto, no Jordão, em Caná, nas bodas; na Mar da Galiléia, em Betania, no Cenáculo, no Jardim, no Pretório, no Calvário, no túmulo e na ressurreição e no céu de volta. Aqui, entre os Mortais, sabemos de história de pessoas, que viveram intensamente e fizeram grandes coisas em pouco espaço de tempo. Alexandre o Grande, conquistou o mundo do seu tempo e morreu aos vinte e oito anos. Julio Cesar governou por cerca de quatro anos como Imperador de Roma e os feitos dele em termos administrativos, são formidáveis. Matusalém bateu todos os recordes com 969 anos. Enoque com 365 fez o que ninguém mais fez. Abraão foi aos 175 e fez muito. Então minha reflexão vai de encontro aos ditos dos poetas: não é a quantidade de números de dias, mas a intensidade e a qualidade dos dias vividos é que se conta. Moisés convocou-nos a buscar sabedoria para a vida: Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios (Sl 90.12). Há pessoas que chegam perto dos cem anos com muita vitalidade e ativos dizendo que ainda tem muitos planos e projetos para realizar. Também encontramos adolescentes, se entregando à destruição dizendo que a vida não faz sentido. Digo que há duas coisas que dão sentido e dignidade a vida de uma pessoa: “A Bíblia revela que cada ser humano é criado à imagem de Deus. É único, precioso e insubstituível. O homem como indivíduo é distinto de todas as outras pessoas. Dois fatos significativos: 1. O homem foi criado à imagem de Deus. 2. Cristo morreu para salvar esse homem. Esses dois fatos são a fonte da dignidade e do valor humano.”

Pai, todos os meus dias me foram dados por ti e para um propósito muito especial, que eu creio existir, aceito e trabalho por torna-lo realidade todos os dias. Sei que por mim mesmo não tenho como ir tão longe, mas sei em quem tenho crido e sei que és poderoso para guardar o meu tesouro e manter em perfeita paz e segurança. Acredito, que ser fiel é mais importante do que ser feliz e que no devido tempo, todas as coisas serão esclarecidas, pois colocaste a eternidade dentro de nós. Obrigado por nos dar a vida eterna e nos chamar para fazer parte de algo muito grande, poderoso e transformador que é a redenção em Cristo Jesus. Em nome dele oramos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s