Poucos e Maus

Meditação do dia: 28/12/2019

 “E Jacó disse a Faraó: Os dias dos anos das minhas peregrinações são cento e trinta anos, poucos e maus foram os dias dos anos da minha vida, e não chegaram aos dias dos anos da vida de meus pais nos dias das suas peregrinações.” (Gn 47.9)

Poucos e Maus – Durante um bom tempo, sempre que lia esse texto, eu ficava um tanto intrigado com Jacó, no fundo mesmo eu achava que ele era ingrato para com Deus. Viver cento e trinta anos e ainda achar que era pouco e merecia melhor sorte. Mas pode acreditar, eu mudei minha visão sobre o que Jacó está dizendo à faraó e embora literalmente essa idéia ainda aparece no texto, mas a minha atitude em relação a ele mudou. Vou compartilhar com vocês algumas coisinhas que me levaram a pensar diferente, mas ainda assim entendo que você deve ter a sua própria idéia sobre os fatos, pois sua interpretação carrega sua cultua de vivencia espiritual e de comunhão com Deus; assim, o seu achado é tão valioso quanto o meu. Provavelmente há entre nós, alguns que já estão alguns passos adiante de mim e já cresceram mais e veem a mesma passagem com outra grandeza; também está valendo e nesse caso, seja paciente comigo. Entre os três patriarcas iniciais, Abraão, Isaque e Jacó, me parece que esse último, teve experiência de vida e trabalho braçal, mais intenso do que o seu pai e seu avô. Explico: de onde embarcamos na história, Abraão já era um homem rico e de muitas posses e com um mordomo prá lá de eficiente e bom administrador. Ele cuidava de tudo na casa do seu amo. Isaque herdou tudo e até a noiva, Eliézer foi buscar. Provavelmente enquanto Eliézer viveu, era ele quem administrava a casa de Isaque. A experiência de Jacó em termos de trabalho e cuidados, só viveu na moleza, até quando saiu da casa dos pais para ir para Harã. Ele saiu sozinho, não deve ter levado muito dinheiro, inclusive porque naqueles tempos não tinham cartões de créditos internacionais, e as transferências on line só surgiram bem depois. A lida com o gado, que em casa ele fazia por lazer ou só para manter a tradição, ao chegar em harã, o hobby se tornou ganha pão e foi com o trabalho bruto, que ele adquiriu tudo o que teve e quando saiu para voltar já era um homem rico e trabalhava dia e noite e os filhos já o ajudava. Em Canaã, os filhos assumiram o trabalho mais pesado e ele então tinha um certo conforto em casa. Foi numa situação dessas que perdeu José. E seus irmãos foram apascentar o rebanho de seu pai, junto de Siquém. Disse, pois, Israel a José: Não apascentam os teus irmãos junto de Siquém? Vem, e enviar-te-ei a eles. E ele respondeu: Eis-me aqui (Gn 37.12,13). Vendo assim, ao chegar aos cento e trinta anos, ele estava de fato já velho e cansado do trabalho e os últimos anos foram de muito estresse emocional, com o desaparecimento de José. Por isso, não entendo que ele esteja reclamando ou murmurando da vida que teve; mas que constatava que suas jornadas e peregrinações foram mais pesadas e desgastantes, de forma que não tinha expectativas de viver os mesmos anos que seus pais. O que aconteceu com Jacó, exemplifica muito bem as experiências de muitas gerações. Nem sempre os planos de preparar e dar as melhores condições para que os filhos não sofram ou não passem pelo mesmo que os pais passaram, necessariamente isso pode não funcionar. Também os projetos de Deus para cada um e para cada geração são diferentes. Meus pais tiveram uma vida no campo e viviam do trabalho agrícola, até quando os filhos estavam em idade escolar e precisaram mudar para cidade grande, mas ainda mantendo os laços de trabalho com a terra. Fiz isso também até os vinte anos e então assumi a vida urbana e o ministério me levou para outros caminhos. Minhas filhas nunca foram numa roça, nem para comer melancia. É a vida! Qual é a sua história? Como suas gerações administraram as situações? O que Deus está construindo através de nós para as próximas etapas?

Pai, obrigado pelos anos de vida e pelas jornadas que me conduziram até aqui. Reconheço o teu projeto para minha vida e sei que estou onde deveria estar e fazer o que faço, enquanto assim o desejares. Intercedo pelos amados irmãos que estão vivendo épocas de transição e estão buscando conhecer a tua perfeita vontade para eles e para onde queres enviá-los. Somos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s