Jacó Abençoa Faraó

Meditação do dia: 29/12/2019

 “E Jacó abençoou a Faraó, e saiu da sua presença.” (Gn 47.10)

Jacó Abençoa a Faraó – Nós somos o que somos e a soma de todas as nossas experiências faz com que vejamos a vida com lentes próprias. A identidade pessoal é tão linda e rica que só pode transparecer a grandeza e a sabedoria daquele que nos criou. Nas palavras bíblicas de Paulo aos Atenienses, de um só ele fez todos… pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar (At 17.25-27). De um só ele fez todos nós e mesmo sendo de origem de única, o potencial de desenvolvimento é tal, que a diversidade é ilimitada e a capacidade de diversificar, aperfeiçoar, criar novos meios e novos caminhos é de fato incalculável. Estou falando isso, para dizer que cada um de nós que olha para esse versículo pequenininho, vê com seus próprios olhos e encontra uma tão grande possibilidade de discorrer sobre o que ele diz, que ao invés de confusão, vemos oportunidade e criatividade. Assim, conforme a sua cultura, sua profissão e vocação interior, isso se torna a lente com que você o vê. Por exemplo: Quem é chegado em política, vê aqui um oportunidade de mostrar como a Bíblia trás o assunto para o “povo de Deus” e que ninguém pode se omitir de tratar com as autoridades. Quem tem uma pegada sacerdotal, olha aqui e diz: “precisamos abençoar as autoridades legitimamente constituídas.” A turma da conquista de cidades, vê aqui o homem de Deus diante do “poder dominante” e agora com autoridade legítima para abençoar e mudar o centro de domínio. Quem é chegado em intercessão, vê tão claramente o papel do intercessor, ficando na brecha e orando pelas autoridades. Quem gosta de batalha espiritual, mostra o confronto das forças, Jeová de uma lado e Faraó do outro, já que ele se autointitulava “deus” e podem notar que Jeová prevalece, pois o sacerdote dele é quem profere a bênção. A turma da bênção, só quer agradecer porque Jacó e sua família estavam em necessidade e oraram pedindo socorro ao Senhor e ele abriu ou escancarou uma porta de todo tamanho, pois foram convidados por José e acolhidos por fará que até os recebeu com alegria na corte e até pediu orações. A turma do contra, dirá que isso é profético, pois o povo de Deus jamais deveria se misturar com o Egito, que representa o mundo e o mal e Faraó é a personificação do Diabo; e nunca se deve fazer acordos com ele; mais cedo ou mais tarde a conta chega. E mais à frente, sabemos como essa história termina. E a turma do “não estamos nem aí!” o que vale é o que está acontecendo agora. Jacó precisava de um lugar e faraó abriu as portas; o futuro a Deus pertence e não temos controle sobre ele; então agora, tá tudo bem e é isso que importa. Basta a cada dia o seu próprio mal. Vejam quantas maneiras e pontos de vistas possíveis e acredito que existam mais e enquanto você lia isso, sua mente viajou e criou a sua também. Como meu propósito é devocional e não doutrinário ou teológico, vou ficar com o mais simples: o ato de abençoar, é algo bom, possível e faz parte da cultura do povo de Deus. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior (Hb 7.7). isso independe dos postos ou títulos de quem quer que seja; a autoridade de proferir bênçãos, subverte as posições ou as mantém. Quem tem o governo de metade do mundo? Faraó – mas quem tem comunhão com o Deus verdadeiro e se abençoar fica abençoado? Jacó. E não se discute mais sobre isso. Abençoar faz parte da nossa vocação. Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis (Rm 12.14). Gosto daquela história do pai sábio que viu o filho pequeno, chateado e magoado com um coleguinha que o atormentava; então o pai mostrou um lençol branco, pendurado no varal e sugeriu a ele imaginar o centro do lençol como sendo o “inimigo” e lhe deu um saco de carvão e mandou que o “apedrejasse com toda fúria.” O menino o fez e após acabar a munição e também estar bem cansado, o pai voltou e mostrou-lhe, que ele havia acertado algumas pedradas e até sujado bem o lençol então perguntou se estava satisfeito; ao que ele disse que sim. Então o pai o levou diante do espelho e mostrou como ele estava: completamente sujo, só o branco do olho e dos dentes escapara. Então veio a lição: ao se vingar, a pessoa se prejudica e recebe muito mais do que está causando no outro. Amaldiçoar alguém, não perdoar, guardar ódio, rancor e indiferença é como se você bebesse veneno e esperasse que o outro morresse. Pense nisso!

Senhor, obrigado porque somos abençoados, podemos abençoar e isso faz parte da nossa natureza como novas criaturas em Cristo Jesus. Fazer o bem estando em nosso poder fazê-lo e maravilhoso e abençoar as pessoas faz bem a todos nós. obrigado por nos ensinar isso na prática através de nos amar e nos abençoar com a pessoa de Jesus e do Espírito Santo, que deixaram a glória eterna e vieram para nos servir e nos elevar à categoria de filhos de Deus. Somos amados, somos aceitos e até podemos representar o Reino de Deus; fazendo a vontade de Deus. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s