O Primogênito de Judá Era Mau

Meditação do dia: 26/04/2020

 Er, porém, o primogênito de Judá, era mau aos olhos do Senhor, por isso o Senhor o matou.” (Gn 38.7)

O Primogênito de Judá Era Mau – Qualquer que seja a ótica em que olhemos esse texto, alguma errada ou ruim tem que ter acontecido para um registro tal como foi feito. Podemos apelar para a cultura literária antiga, ontem qualquer acontecimento de cunho espiritual se atribuía a Deus a ação ou a permissão para ser efetivado. Como os casos do endurecimento do coração de Faraó no Egito por ocasião do êxodo; o espirito mal que assombrava o Rei Saul e outros mais. Podemos pegar outras vertentes e assim apresentar uma justificativa, mas não vou nesse momento entrar por essas vias. Na ocasião da promessa e da aliança, Deus disse o seguinte para Abraão: E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia (Gn 15.16). Os cananeu era maus e perversos diante de Deus, de forma que seriam extintos e a terra seria entregue a Abraão e sua descendência como herança. Muito antes disso, o trineto de Abraão, morreu por sua perversidade e maldade. Como isso pode acontecer? Por um lado temos as responsabilidades individuais, a pessoa tem o direito de fazer escolhas e viver com elas ou arcar com as consequências de suas escolhas. Toda pessoa é livre diante de Deus para decidir – mas não é livre para decidir as consequências de seus atos. Se escolho colocar a mão no fogo, essa escolha é minha, mas sou livre para escolher se o fogo vai queimar ou não; a consequência da minha escolha é determinada naturalmente. Judá se aliou com amizades com cananeus, se casou entre eles e criou seus filhos mais próximos dos cananeus do que de Israel seu pai e seus irmãos. A influencia cananeia foi mais forte e o seu filho enveredou pelos caminhos da perversidade a tal ponto de ser disciplinado por Deus com a morte. Esse jovem, Er, não seguiu os passos do pai, do avó e tios paternos. Veja que Simeão e Levi fizeram barbaridade com uma população inteira de uma cidade; o próprio Judá deu a idéia de vender José, seu irmão; todas essas coisas são ruins, são perversas e são pecaminosas, abomináveis – mas foram superados, por um jovem, que muito cedo já estava em tal grau de maldade, que foi necessário uma disciplina nele, no pai e na família. Posso acreditar e por conta própria, Judá estava experimentado na própria pele o sofrimento de um pai vendo os filhos agirem de forma tão reprovável diante de Deus e sem que ele pudesse fazer qualquer movimento, perdeu o filho e o coração agora podia identificar com o do seu pai. Como doía ficar sem seus filhos que eram a bênção de Deus e o cumprimento das promessas de um futuro próspero e de crescimento para se tornar uma nação. Quando nasce um filho, nasce uma esperança, é uma promessa de algo melhor acontecer do que foi nos dias dos pais. Quando nasceu o primeiro filho humano nesse mundo, Adão e Eva viram ali a promessa e a esperança da redenção, não só para eles, mas para um mundo estragado e corrompido pelo pecado. Todo filho, nascido dentro da aliança de benção é a alegria encarnada em gente. O que vem depois, é uma nova história escrita a várias mãos, pois o ambiente familiar, os pais, como ensinam e treinam seus filhos ou como não ensinam e não corrigem, são formas de fazer caminhos para as decisões dessa pessoinha mais tarde. Não fazer o certo é tão ruim quando fazer o errado! Não ensinar e instruir os filhos nos caminhos das veredas antigas de Deus é concordar que eles decidam por si mesmos qual o melhor caminho. Repito o que já disse em vezes anteriores: “Se filhos não precisassem dos pais para instruí-los e educa-los, eles nasceriam como as plantas largadas à própria sorte. Os pais são agentes de Deus para mostrar e guiar os filhos à vontade e aos propósitos de Deus. Er, foi responsável por sua vida e sua morte; mas Judá sofreu a perda e a dor de algo que poderia ter sido melhor trabalhado ou até evitado. Pais  piedosos, com filhos perversos e maus depõem contra o testemunho da fé. Precisamos de ajuda divina, e muita.

 

Senhor, não entendemos tudo e não temos todas as respostas, mas a tua vontade é sempre boa, agradável e perfeita e possível de ser experimentada. Pedimos ajuda e graça para sermos eficientes e responsáveis por transmitir a tua vontade e assim a aliança seguir de geração em geração; em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s