A Hora de ir às Compras

Meditação do dia: 13/05/2020

 “Mas Judá respondeu-lhe, dizendo: Fortemente nos protestou aquele homem, dizendo: Não vereis a minha face, se o vosso irmão não vier convosco.” (Gn 43.3)

A Hora de Ir ás Compras – Crises são também oportunidades! Medidas mais extremas se fazem necessárias e assim surgem as pessoas criativas, resilientes e determinadas a sobreviver e ambicionar estarem melhores quando o quadro se reverter. Especialistas em finanças e economia globais, ou macros, afirmam que os ciclos tem a se repetir, porque a economia e as pessoas estão interligadas e uma afeta a outra. Assim, tempos difíceis produzem homens fortes e criativos que colocam as coisas nos eixos e superam as crises, produzindo tempos bons. Tempos bons produzem homens fracos, esbanjadores, consumistas, burgueses e superficiais; que por sua vez produzem tempos difíceis, que produzem homens fortes….  e a roda gira! A palestina, ou Canaã estava vivendo uma grave crise de seca e fome. E a fome era gravíssima na terra (Gn 43.1). Uma região desértica, naturalmente escassa de recursos hídricos, e com populações em grande parte nômades, ao agravar o prolongamento dos períodos de seca, a fome e a miséria alastra-se mui rapidamente; temos experiencia disso, aqui no Brasil, com mais intensidade no Nordeste. Lá, a fome ajudou o clã hebreu; Judá já aparece com sua família em torno do patriarca Israel e os demais onze filhos. O primeiro suprimento de alimentos adquiridos no Egito se esgotara e era hora de voltar as compras; mas algo travava essa iniciativa. O homem forte do Egito, em audiência pessoal com os hebreus deixara Simeão detido até a apresentação presencial de Benjamim, como comprovação de eles não eram espiões, mas como diziam homens de bem. Todos nós somos filhos de um mesmo homem; somos homens de retidão; os teus servos não são espias (Gn 42.11). Afirmaram para o governador do Egito que se mostrava áspero, que eles eram homens de retidão! Será que José, riu por dentro? Será que ele pensou que se tratava algo bom demais para ser verdade? Qual será deles que falou? Dependendo de quem era, José sabia das qualidades e características pessoais e poderia tecer um juízo mais assertivo. Essa é a hora da verdade, quando não sabemos o que se passa ao nosso redor, mas onde todas as nossas palavras e movimentos são avaliados e irão pesar na balança da justiça. Israel precisava e queria ir às compras, sem levar em conta que Benjamim agora era o passaporte esperado pelo governador do Egito. Fico imaginando com os meus botões, com nossas limitações só conseguimos ver um lado das coisas de cada vez e isso as vezes é assustador. Deus vê o todo e está no controle e espera um gesto de confiança, porque as duas parte podem ter suas orações atendidas num movimento único, sob o seu controle. Aqui, temos de um lado Israel com o coração na mão por Benjamim, não querendo correr risco de perder mais um filho e esse é o caçula e o único de Raquel que ficou. Do outro lado está José, ansioso pela chegada do irmãozinho que ele não via à mais de vinte anos e nem teve despedida. Agora ele tinha meios para forçar a sua vinda e promover o reencontro em segredo até o momento oportuno. Israel orando de um lado e José do outro e os dois lados querendo amar e proteger Benjamim e certificarem-se de que ele continuaria bem. Alguém tinha que entrar nesse meio e servir de mediador, intercessor. Garantir a segurança que Israel como pai precisava e proporcionar ao governador a demonstração de boa fé e honradez. Ruben já havia tentado e fracassado: Mas Rúben falou a seu pai, dizendo: Mata os meus dois filhos, se eu não tornar a trazê-lo para ti; entrega-o em minha mão, e tornarei a trazê-lo. Ele porém disse: Não descerá meu filho convosco (Gn 42.37,38a). Agora era a hora e a vez de Judá voltar ao seu lugar e ao seu papel de protagonista entre os irmãos e liderar a família, porque esse era o seu papel. Saber o seu lugar e a sua hora, faz diferença na vida e no ministério. Deus nos prepara sempre para essa ocasião, quando chegar, precisamos responder com firmeza e determinação.

 

Senhor, para todas as coisas há um tempo e uma hora certa! Da tua parte isso sempre acontecerá precisamente; mas precisamos de sabedoria e discernimento, porque o pecado nos tornou lentos e lerdos para perceber verdades espirituais por trás das situações naturais da vida. Com a ajuda do Espírito Santo o homem espiritual discerne bem tudo e de ninguém é discernido. Buscamos no Senhor essa sabedoria espiritual e abençoadora para realizarmos a tua perfeita vontade dentro do tempo hábil que nos dás. Oramos por isso em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s