O Que os Irmãos de José Viam

Meditação do dia: 16/06/2020

 “Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.” (Gn 37.4)

O Que os Irmãos de José Viam – Percepção, parece ser uma boa palavra para descrever o que estava ocorrendo nessa situação familiar. O que os irmãos de José percebiam nas relações entre eles e o pai e entre este e o filho José. Família é algo muito maravilhoso e também misterioso; as interações que pareceriam tão naturais e dar liga boa, nem sempre segue esse protocolo. Como cada indivíduo é único e tem sua própria capacidade de percepção do ambiente ao seu redor, isso faz com que alguns além da própria percepção, também exercem uma influencia maior sobre os outros, que os demais sobre ele. Uma pessoa com boa capacidade de influenciar, se tiver um caráter deficiente, ou estiver em estado de amargura, ressentimentos ou atitudes negativas como vingança, retaliação ou disposição de praticar o mal, esse elemento se torna muito perigoso. Num ambiente familiar com tantos irmãos, mais de uma mãe e diferenças significativas de idade entre eles e um pai demonstrando preferencia por um, isso é prenuncio de ânimos acirrados e a temperatura tende a subir e haver explosão à qualquer momento. Pessoas boas, em situações de adversidades podem manifestar atitudes muito ruins e o mesmo vale para pessoas inteligentes, que de alguma forma reage com absoluta falta de bom senso e parece irracional e muito abaixo do padrão esperado. Costumo dizer que pessoa inteligentes também fazem besteiras e agem com insensatez; afinal são humanas e isso pesa muito. Me lembro de uma personagem bíblico que despertou muito a minha atenção para ele, devido a uma postura assumida, que só pode ser explicado por uma razão de foro íntimo muito acentuado. É Aitofel, um conselheiro do Rei Davi e passou para o lado de Absalão na tentativa de golpe contra o trono. “E era o conselho de Aitofel, que aconselhava naqueles dias, como se a palavra de Deus se consultara; tal era todo o conselho de Aitofel, assim para com Davi como para com Absalão. Disse mais Aitofel a Absalão: Deixa-me escolher doze mil homens, e me levantarei, e perseguirei a Davi esta noite. E irei sobre ele, pois está cansado e frouxo de mãos; e o espantarei, e fugirá todo o povo que está com ele; e então ferirei somente o rei” (2 Sm 16.23; 17.1,2)). Um homem de tamanha competência e credibilidade diante de Davi e das demais autoridades do Reino. Acredita que foi dele o conselho para Absalão abusar sexualmente em público das concubinas de Davi, para assim torna-los irreconciliáveis? Pois esse conselho para perseguir e matar Davi, era perfeito e só não teve êxito, por que o outro conselheiro amigo de Davi, foi um instrumento para confundir Absalão e as autoridades e ganhar tempo para o Rei se distanciar o suficiente para não ser apanhado e ter tempo de montar uma estratégia de defesa. Uma inteligência incrível que se tornou maligna e à serviço da destruição. Eu fui pesquisar a causa subjacente dessa atitude e foi surpreendente o que encontrei. Acho que vale a pena vocês empreenderem um estudo para edificação e também matar a curiosidade que estou provocando. Ao invés de se alegrarem com a bênção do irmão mais novo, os irmãos se encheram de amarguras, ressentimentos e perderam a capacidade de dialogar pacificamente com José. Eles só se falavam aos gritos e berros. Quando pessoas falam gritando umas com as outras, é sinal evidente que estão distantes, ainda que fisicamente estejam próximas. Nossa lição do dia, tem à ver com os relacionamentos com nossos irmãos, sejam biológicos, sejam espirituais, os irmãos da igreja. Como tem sido as interações? Como reagimos ao amor de Deus demonstrado a eles? Como ficamos com as bênçãos grandes e coloridas que eles recebem?

Senhor, obrigado por amar incondicionalmente a cada um de todos os teus filhos. Nossos corações não precisam ficar fechados e magoados pelas coisas boas que acontecem com nossos irmãos. Pedimos ajuda para discernirmos com corações puros e motivações certas sobre o agir do Senhor na vida deles e na nossa. Podemos nos alegrar e regozijarmos com tudo que lhes acontece, vindos de ti. Amamos os nossos irmãos e familiares e queremos o melhor do Senhor para eles, assim como queremos coisas boas para nós mesmos. Obrigado por acalmar nossos ânimos e nos dar sabedoria para lidarmos com amor, paciência e fé, todos os dias; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s