José se Apresenta

Meditação do dia: 08/10/2020

Então mandou Faraó chamar a José, e o fizeram sair logo do cárcere; e barbeou-se e mudou as suas roupas e apresentou-se a Faraó.(Gn 41.14)

José se Apresenta – Encontros sempre são precedidos de expectativas. O primeiro encontro então se reveste de muito significado para qualquer um e se ele estiver cercado de grandes expectativas de resultados, pode proporcionar até mesmo ansiedades e nervosismos. José, desde que chegou ao Egito teve contato com algumas autoridades de alto escalão no reino egípcio, pois fora comprado inicialmente por Potifar, comandante da Guarda pessoal de Faraó, e ficou a serviço dele por algum tempo, até conquistando sua simpatia e confiança. É muito provável que durante esse tempo de serviço nessa casa, tenha presenciado muitos eventos sociais com a presença de outras grandes autoridades devido o nível social dessas famílias. Posteriormente, foi levado a prisão na casa do capitão da guarda, que também era da elite egípcia. Mas sua condição de servo não lhe permitia maiores interações sociais, pois além da condição de escravo de serviço, ainda havia questões de discriminação racial entre os egípcios e hebreus ou cananeus, que não se misturavam e eram considerados impuros. Numa refeição que José ofereceu a seus irmãos, uns nove anos à frene  da cena de hoje esse fato é registrado. “E serviram-lhe à parte, e a eles também à parte, e aos egípcios, que comiam com ele, à parte; porque os egípcios não podem comer pão com os hebreus, porquanto é abominação para os egípcios” (Gn 43.32). Não tentem entender isso com a mentalidade social do século vinte e um e com cabeça ocidental, cheia dos direitos de igualdade e movimentos de anti-racismo tão presentes em nossos dias. A expectativa de Faraó era que alguém, qualquer um pudesse interpretar o seu sonho. Se fosse agradável e aceitável, de forma que o deixasse feliz e confortado, mui provavelmente tal pessoa seria recompensado conforme a generosidade real. Se não agradasse, a pessoa pela mesma generosidade poderia até mesmo voltar à sua vida e rotina; mas também poderia ser alvo da indignação ou desagrado do rei e cair em desgraça e até ser condenado à morte. A expectativa dos cortesãos e assessores, era de que a indicação dessa pessoa da confiança do copeiro-mor, pudesse ser eficiente, para o bem de todos e evitar um ataque de xiliques real, o que produziria resultados muito  difíceis de se prever. Para José, a expectativa era de ser um instrumento de Deus para servir aos seus propósitos e conseguisse trazer uma resposta de paz ao coração de faraó. Sendo isso alcançado, ele poderia alimentar uma esperança da generosidade real lhe conceder um perdão total e a libertação da escravidão, com a possibilidade de voltar para casa. Acredito que o capitão da guarda tinha a expectativa de que José tivesse sucesso e ele certamente confiava nisso; assim faraó ficaria satisfeito e ele somaria mais alguns pontos de prestígio, afinal foi um seu escravo de serviço que favoreceu o rei; e em seguida, José voltaria para continuar suas tarefas, afinal, o dia só estava começando. Para nós, que estamos assistindo de camarote a tudo isso, sabemos todos eles, envolvidos na trama não tinham uma visão completa do que de f ato  aconteceria; nem os mais otimistas e tão pouco os mais pessimistas. É como uma cena de um filme em estreia e a cena crucial apresenta muitas possibilidades e todos estão fazendo suas apostas na melhor e mais eletrizantes e o autor consegue produzir uma outra totalmente fora da curva e surpreendentemente melhor do que todos imaginariam. Foi isso que aconteceu. Deus era com José e prosperava tudo que ele fazia e agora o palco era todo dele e lhe estava reservado surpresas incríveis. Admiro muito a capacidade de Deus nos surpreender, mexendo em poucas peças e de forma tão simples e abrem-se portas onde nem havia paredes. Me divirto com a cena de como aconteceu com a escolha do primeiro rei de Israel, aproximadamente meio milênio à frente. Saul, um jovem caipira e bonitão, saiu de casa para buscar umas mulas que desapareceram e encontrou um reino à sua espera. Porque o Senhor revelara isto aos ouvidos de Samuel, um dia antes que Saul viesse, dizendo: Amanhã a estas horas te enviarei um homem da terra de Benjamim, o qual ungirás por capitão sobre o meu povo de Israel, e ele livrará o meu povo da mão dos filisteus; porque tenho olhado para o meu povo; porque o seu clamor chegou a mim” (1 Sm 9.15,16). Já mencionei em outras meditações, que precisamos estar no lugar certo para que a pessoa a quem Deus vai usar para nos abençoar nos veja. José esteve no lugar certo, na hora certa e todas as pessoas que precisavam vê-lo, o viram e gostaram do que viram; então era apenas uma questão de tempo para tudo dar certo. Acredito que  vocês estão tão ansiosos por esse encontro, quanto eu, então, que se abram as cortinas!!!!

Senhor Deus e Pai, que preciosos são os teus caminhos e a maneira como o Senhor conduz todo o enredo das nossas vidas. Cada detalhe e minunciosamente pensado e planejado para que todos os encontros aconteçam. Somos agradecidos por sabermos que nossas vidas estão em mãos tão sábias e poderosas e assim nosso futuro e tão seguro e cheio de esperanças por que os teus planos são bons e a tua vontade é boa, agradável e perfeita para cada um de nós. O Senhor cuidou de José e cuida de mim e de nós todos os dias e podemos confiar em tua fidelidade e bondade. Receba a nossa gratidão e o nosso louvor, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s