O que Ouvi Dizer de Ti

Meditação do dia: 12/10/2020

E Faraó disse a José: Eu tive um sonho, e ninguém há que o interprete; mas de ti ouvi dizer que quando ouves um sonho o interpretas.(Gn 41.15)

O Que Ouvi Dizer de Ti – Podem ficar tranquilos que não frequento rodinhas de redes sociais e quase sempre sou o último a saber das coisas. Nem mesmos os sites de “fofocas” ou os programas de TV do tipo daquele conhecido “Eu aumento, mas não invento,” nem esses sobrevivem pela minha audiência. Mas o que ouvi de ti, é só um título para despertar em mim mesmo, e até os três leitores mais assíduos dessas meditações sabem, que a curiosidade, desperta no leitor uma expectativa de conhecer e refletir sobre alguma proposta de forma chamativa. Muitas pessoas famosas, quando chegam a determinados lugares, a fama já as precederam e agora é só confirmar ou não presencialmente aquilo que era apenas uma figura ou uma imaginação dos admiradores. Em um filme sobre o rei Davi, ele diz a uma pessoa que lhe perguntou sobre o leão que ele matou, na sua lida com os rebanhos da família; ele então diz que a cada vez que contam essa história, o leão ficava maior do que de fato fora, quanto ele o matou. Os reis antigos, eram uma incógnita, pois as vezes eram generosos por demais e em outras eram severos ou difíceis de lidar e as cabeças dos servos não tinham muito valor para eles. Assim, dar uma informação ao rei sobre uma pessoa, precisava ser muito confiável para não arriscar a própria vida; e ainda mais num dia ruim para eles, que foram acordados por sonhos difíceis e ninguém parecia sábio o suficiente para ajuda-los. Aqui temos um monarca, tipicamente distante da cultura e da fé como a conhecemos e um jovem fiel e dedicado  à sua fé, frente a frente e as expectativas eram boas, de ambos os lados. Faraó queria a interpretação dos sonhos que tivera e José entendia como a grande oportunidade que pedia a Deus para ser ouvido por alguém que pudesse lhe ajudar de verdade. Se ele tivesse um bom desempenho, a generosidade real poderia abrir-lhe as portas. Mas imagino que as portas que José imaginava, o levariam para a saída, para a fuga e o conforto daquilo que ele ainda alimentava mesmo depois de treze anos longe de casa. As portas que Deus estava abrindo, o conduziria a mais trabalho, mais dedicação talvez até do que tudo o que até então ele fizera no Egito. Até aqui, ele servira como escravo, obrigado, valendo a sua vida. Agora seria a realização do projeto de Deus para sua vida, então seria voluntário, de boa vontade e não mais servo de uma pessoa, mas serviria a uma nação e um povo, liderando e construindo oportunidades através da fé. O que Faraó ouvira sobre a pessoa de José, foram poucas palavras, mas o suficiente para ter credibilidade e ele se sentir aliviado, só em saber que tal pessoa existia ali bem perto e em condições de acessibilidade. Aqui vem a pergunta título: O que é que as pessoas tem ouvido sobre mim, sobre ti, sobre nós? O que as pessoas tem ouvido sobre nossa igreja, nossa fé? Quando é pra valer, o que é que eles tem ouvido? Não temos o registro de quantas coisas José fez ao longo desses treze últimos anos; mas as poucas que temos, foram assertivas por demais. Ele acertou todas quando precisava acertar e marcou pontos que o qualificou para ser requisitado no exato momento que seria necessário. É possível que olhando para os seus feitos, ou os meus feitos, não divisemos grandes resultados, nunca fizemos algo que “arrebentasse” de verdade; Talvez não seja isso, que Deus espera. Mas precisamos fazer aquela ÚNICA coisa que não pode ser deixada. Jesus disse algo parecido com isso: Apenas uma coisa é necessária. Quanto a Maria, ela fez a escolha certa, e ninguém tomará isso dela” (Lc 10.42 NVT). Jesus falou, tá falado!

Senhor Deus e Pai; agradecidos somos por termos a oportunidade de servir em alguma coisa e em algum lugar; mas o que de fato importa é se esse servir é para ti e para tua glória. Ficamos maravilhados com os resultados que José obteve, e nos alegramos pela disponibilidade dele, diante das pressões e injustiças, permanecia sereno e acessível ao Espírito Santo. Ele servia ao Senhor, antes de servir aos homens daquele tempo. Quando chegou o tempo de ser honrado ele estava pronto para o sucesso não subir à cabeça e a vaidade e o orgulho destruir sua carreira. Consagramos ao Senhor os nossos corações e as nossas vidas, para sermos ensináveis a cada dia e em todas as situações. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s