Acharíamos Um Homem Com Este?

Meditação do dia: 06/11/2020

E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?(Gn 41.38)

Acharíamos Um Homem Como Este? – Estaríamos falando aqui sobre perfil? Sobre capacidades? Sobre Habilidades ou um conjunto de tudo isso? O mercado de trabalho nos nossos dias lida com demanda e oferta e onde tem um, tem o outro. Selecionar candidatos adequados, com o perfil exigido se tornou uma habilidade e até uma profissão com especialização. Há pessoas contratadas somente para contratar pessoas; há empresas e escritórios especializados nesse nicho de mercado. Também existem as necessidades de alto escalão, sendo para isso levado em conta com muito peso a escola de formação; aqui no Brasil, quem por exemplo fez Unicamp, U.F. São Carlos ou ITA, nas suas respectivas áreas estão bem recomendados. Para escalões ainda mais altos, se for finanças e economia, os Chicago’s Boys se saem bem; para gestão e administração, Harvard deixa qualquer um bem na fita e se for tecnologia, MIT de massassusetts é sempre uma boa pedida. Claro que há muitas outras boas ofertas em muitos lugares. No universo da Teologia e ministérios pastorais também há destaques e grifes. Muito bem! Faraó se ligou rapidamente que Deus lhe havia dado uma oportunidade de fazer a diferença e para obedecer a previsão divina, ele precisaria de alguém altamente qualificado e que pudesse gerenciar toda a complexidade daquela operação e com bem pouco tempo para se preparar. De onde viria tal pessoa? É evidente que na corte e no Egito antigo ´já havia escolas e eles eram avançados até para os nossos padrões atuais de conhecimento e tecnologia. Eram bons e famosos em medicina, engenharia, matemática, navegação, agricultura, engenharia bélica e outras tantas. Ali mesmo, na frente de Faraó, já deveria estar presentes diversos ministros e nobres com notáveis habilidades, que certamente se candidatariam a preencher uma vaga dessas assim que o rei especificasse os critérios que pretendia. Aqui entra o imponderável e o misterioso agir de Deus. Como comentou uma leitora dessas meditações, que Jesus sempre utilizava uma situação para resolver outra e para resolver o problema de José, Deus criou uma situação para Faraó. No final foram resolvidos ambos os problemas e todos ficaram felizes, porque um era a solução do outro. (Obrigado Luiza). Faraó deu a resposta fazendo uma pergunta retórica, aquela que fazemos só por fazer porque a resposta está obviamente implícita: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?” Me imagino na sala de audiência ali perto, só observando a cena. Com a pergunta, Faraó também desarticulou qualquer falsa pretensão de alguém tentar se infiltrar na nova posição a ser criada, porque seria de altíssimo status, poder e prestígio. A percepção de Faraó foi muito aguçada, porque ninguém melhor para lidar com uma situação crítica, do que alguém que consegue prevê-la e apresentar soluções simples, práticas e mensuráveis. Além do mais, se Deus estava envolvido e os avisara e entre todos os sábios do império ninguém foi capaz de captar nada, somente José, por que não, ele ser a resposta divina? Algum cabeça raspada com turbante bordado de fios de outro em linho fino, poderia perguntar: Majestade, qual o currículo desse homem? Outro já levantaria o dedo e diria: Ele foi trazido aqui direto da prisão. Que buchicho!!!! Alguém aí já percebeu que em TODAS as situações críticas registradas nas Escrituras, em todas elas Deus sempre tinha um homem pronto, preparado e que não decepcionou? Sabe por que? Existe alguém que entenda mais de administração, gestão macro do que Deus? “Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido” (Jó 42.1,2). Quero citar duas referencias que confirmam o Modus Operandi do Senhor visto em toda a Bíblia. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele” (1 Co 1.27-29). “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte” (2 Co 12.9,10). Deus sabe do quando estamos suscetíveis à vaidade e à vanglória! Atingir esse nível de compreensão que o apóstolo Paulo alcançou é maravilhoso. É também um desafio e um alvo para ser buscado por todos nós.

Pai amado, obrigado por nos dar o seu Espírito Santo para habitar em nós e nos guiar em todo o processo de crescimento e maturidade na lida com o sagrado e com o compromisso de abençoar onde estamos inseridos e fazer a diferença. Se Faraó podia ter discernimento espiritual suficiente para perceber a pessoa abençoada que estava à sua frente, certamente podemos ser bênçãos hoje e discernir a tua vontade para os nossos dias e ser sua voz de amor e compaixão. Como teus filhos. Pedimos aquela sabedoria lá do alto, pura, pacífica, tratável, cheia de misericórdia e bons frutos, para que façamos a diferença para a tua glória e honra. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s