Um Grande Elogio

Meditação do dia: 08/11/2020

Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu.(Gn 41.39)

Um Grande Elogio – Saber lidar com elogios é uma verdadeira sabedoria. Ser elogiado por alguém considerado grande e admirada, como era Faraó e diante de todos os nobres e autoridades ele teceu elogios e atribuiu a José uma capacidade que ele considerava difícil de encontrar em outras pessoas. Nos nossos dias, se costuma dizer que isso é massagear o ego; fazê-lo receber uma dose de estímulo como recompensa por alguma conquista. No livro de Provérbios, há uma citação interessante: Como o crisol é para a prata, e o forno para o ouro, assim o homem é provado pelos louvores (Pv 27.21). Os dois metais mais preciosos são provados e purificados ao mais alto grau por um processo lento e gradativo de altas temperaturas. É muita pressão! O sábio disse que esse processo acontece com o homem por meio dos elogios e exposição ao sucesso. Tenho para mim, que o reconhecimento é bom, muito bom; mas o excesso de reconhecimento acaba por mexer com a essência da pessoa. Espiritualmente há meios providos por Deus e pelas disciplinas espirituais que tornam o processo bem eficiente para que a pessoa atinja uma postura de não mais ser afetada pelo bichinho do poder. José foi submetido a essa dieta desde muito cedo. Quando ele teve seus primeiros sonhos, ele passou a ser pressionado pelos irmãos e vigiado de perto pelo pai. Ele era persistente e os familiares eram dispostos a resistir e trabalhar para que isso não viesse a acontecer. José foi parar submundo das prisões do Egito e passou o final de sua adolescência, toda sua juventude e um bom pedaço da vida adulta se especializando em não ser ninguém. Não ser reconhecido, não ser visto e não ter crédito por nada que fizesse. José servia, só servia e por melhor que servisse, só se credenciava para servir mais. Enquanto o ego de José era triturado e moído naquelas masmorras, sua fé e sua intimidade com Deus cresciam e o fortalecia, de maneira que a alegria e a satisfação de SER ALGUÉM era tão forte que suprimia a necessidade de visibilidade e reconhecimento. José cresceu de dentro para fora, ou se preferir, de baixo para cima. Ele estava edificando os alicerces de sua futura vida pública. Quando ele emergisse daquelas sombras, estaria pronto para brilhar sem se orgulhar e sem buscar bajulações. Não é verdade que alicerces, são fundamentos inferiores, submersos, escondidos e que não aparecem, mas são eles que dão sustentação para toda a edificação que aparece? O tempo se encarrega de revelar as edificações com estruturas falhas e negligentes. Todos nós no serviço e nos exercícios ministeriais sonhamos em realizar um grande e maravilhoso trabalho. Mas quantos se ocupam dos fundamentos? Quantos se permitem passar tempos obscuros para se preparar? Quais são as suas bases? Quanto de pressão suportará e continuará produtivo? Também não exagere na profundidade. Profundeza demais pode estourar seus tímpanos. Esse é um lema dos mergulhadores.

Pai, graças podemos te render pela tua escola de treinamento para servir no teu reino. Aprendemos com Jesus, com o Espírito Santo e podemos observar os irmãos que já passaram por situações com as quais nos identificamos. Cada um no seu devido tempo e lugar, sempre teremos as pressões próprias da função e do alcance da nossa influencia. Mas a razão principal do nosso servir é produzir honra e glória ao teu santo nome. Oramos por sabedoria e capacidade de aprender e continuar aprendendo em todo tempo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s