A Hora De Descer

Meditação do dia: 17/12/2020

Disse mais: Eis que tenho ouvido que há mantimentos no Egito; descei para lá, e comprai-nos dali, para que vivamos e não morramos.(Gn 42.1)

A Hora De Descer – Movimentos estratégicos às vezes produzem recuos, ou ações que parecem regressão ou abandono de posição já conquistada. Quando se pensa em figuras ilustrativas, descer apresenta conotações menos atrativas do que o contrário. Descer parece submissão, derrota, humilhação e ficar abaixo de um nível desejado. Todos querem crescer, subir, alcançar as alturas e quanto mais alto, mais visibilidade e prestígio. Estar por cima é bom! Mas lidamos com princípios de fé, que constantemente são elementos de contra-cultura. Se todos fazem assim, Deus nos instrui à fazer assado. Estamos na maior parte do tempo nadando contra a correnteza do fluxo que o sistema do mundo impõe. Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus
(Rm 12.1,2). Este texto é um clássico entre os cristãos. Escrito a um público que conhecera recentemente a graça de Deus através do Evangelho de Jesus Cristo, estavam agora recebendo instruções de culto e adoração a um Deus único, vivo e soberano; os rituais de sacrifício, conhecidos no mundo todo, estava tomando uma conotação inteiramente nova para essas pessoas que vieram de uma cultura politeísta, pagã. Olha os elementos novos a serem assimilados espiritualmente por eles: Superioridade do Espírito sobre o corpo físico, e domínio do espirito sobre o corpo. Oferecer sacrifícios vivos, sendo eles mesmos as oferendas. A fé cristã espiritual tem a sua própria racionalidade. Não amoldar-se com o mundo ao  redor. Transformar-se pela nova compreensão adquirida. Experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Praticamente todos os povos adoravam deuses para aplacar-lhes a ira e alcançar algum favor ou ao menos não serem penalizados pelos seus caprichos. O imaginário antigo era repleto de lendas e mitos de homens valentes e semideuses que se revoltavam contra a tirania dos deuses cheios de vontades e caprichos e opressores. O Evangelho apresentava um Deus de amor e graça, que salva pela fé e sacrifica-se voluntariamente em prova de amor e tem uma perfeita vontade boa e agradável e totalmente experimentável. O próprio Senhor Jesus lidava com elementos de contra cultura: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Mc 10.42-45). Paulo aos escrever aos Coríntios, mostra que entre a igreja o padrão mais natural é o não natural e Deus faz isso por motivos muito especiais. Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele (1 Co 1.26-29). Os irmãos de José, por serem mais velhos que ele, se achavam, se colocaram no direito de julgar, sentenciar e executar como carrascos. Passaram os anos sofrendo e vendo sofrimentos inconsoláveis ao redor por suas atitudes. Mas agora era a hora de descer, primeiro ao Egito, para então descer dentro deles mesmos e encontrar lá em baixo o que eles haviam escondido. Um dia todos temos que descer! Mesmo quem está destinado à grandeza e à grandes bênçãos. Quanto maior a influencia, maior a responsabilidade.

Senhor, nesse dia a nossa reflexão é sobre atitudes de dentro dos nossos corações, que precisam de humildade e reconhecimento do que verdadeiramente importa. As promessas e as bênçãos da aliança com o Senhor, não anula a condição de sermos humanos e sermos falhos e egoístas. O nosso chamado principal é para servir e servir a um rei grande e poderoso, Todo Poderoso, mas manso e humilde coração. Nosso desafio proposto então é imitá-lo no amor, na fé, no trato e na bondade. Queremos influenciar de verdade, mais com o exemplo do que com as palavras. Palavras puras e poderosas são as tuas e a elas nos submetemos, porque elas são as palavras da vida eterna. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s