Cuidando da Fome

Meditação do dia: 15/01/2021

Se sois homens de retidão, que fique um de vossos irmãos preso na casa de vossa prisão; e vós ide, levai mantimento para a fome de vossa casa,(Gn 42.18)

Cuidando da Fome Não tenho experiencia própria sobre a fome. No máximo posso relator situações em que passei da hora da refeição e ou em viagem, não encontrar um lugar adequado para fazer uma parada e reabastecer. Mas mesmo assim, a fome é triste e dolorida, posso imaginar que numa situação onde falta o alimento e não há perspectiva de ter em breve, o que para muitas pessoas levam dias ou aquilo até faz parte da vida cotidiana delas, deve ser desesperador. Muito triste. Me recordo de ouvir o depoimento de alguém que estava em missão de socorro humanitário e alimentar em determinado lugar e encontrou uma senhora idosa, que para conter a dor da fome, amarrara algo em torno do estômago para suportar, mas felizmente ela foi socorrida e ajudada. José trouxe aos irmãos uma oportunidade para que eles resolvessem uma situação que os afligiam porque estar retidos ali, não ajudava em relação a comprovação de que não eram espiões; também não apressava a chegada de Benjamim, que seria o termo de garantia exigida pelo governador; mas também ainda tinham que lidar com questão alimentícia de suas famílias que estavam lá em Canaã e a parte mais difícil seria encarar o pai e conseguir a permissão para trazer Benjamim, sem ter mexer naquele passado difícil. Mas tinham que começar por algum lugar e agora o governador estava lhes oferecendo uma oportunidade. Algo que me desperta a atenção inicialmente no texto é a conexão com aquela situação onde Jesus e seus discípulos estavam retirados e foram acompanhados por uma grande multidão, que ao longo do dia ouviram os seus ensinamentos e estavam famintos, cansados e longe de casa e ou de recursos. Diante dos apelos dos discípulos Jesus disse-lhes: “… Dai-lhes vós de comer. E eles disseram-lhe: Iremos nós, e compraremos duzentos dinheiros de pão para lhes darmos de comer?(Mc 6.37). Mui provavelmente José já sabia o que iria fazer nos próximos passos em relação a eles, mas seria muito bom deixa-los em situação em que teriam que refletir, pensando não apenas neles e em suas ambições pessoais. A família estava sendo um instrumento apropriado para chama-los à realidade da vocação e das alianças celebradas com Deus. Para tornarem-se uma nação, eles precisavam ter consciência de uma identidade única e pela qual estivessem dispostos a lutar e defender até com o sacrifício da própria vida. Cuidar da fome de suas  famílias em Canaã, era importante, mas agora não era tudo, porque eles precisavam voltar ao Egito dar as garantias de quem eram mesmo pessoas de bem e responsáveis o suficiente para trazerem o irmão mais novo, que não estava ali exatamente porque o pai não confiava a segurança dele nas mãos dos irmãos. Jacó não sabia como José desaparecera, mas eles, os dez sabiam e portanto, se viam obrigado a aceitarem a desconfiança do pai sobre a capacidade deles de o protegerem. Ao nosso redor há incontáveis necessidades a serem supridas e as pessoas clamam a Deus por socorro, que se manifesta através da igreja e dos seus membros, para chegar até os necessitados. Somos testados em vários níveis de confiança e fidelidade para que possamos acessar os imensos tesouros da graça de Deus, através dos quais ele abençoa e supre para todos. Quando Paulo escreveu aos Corintios, ele afirma que os homens (de fora da igreja) tem expectativas de que Deus irá ajuda-los por meio de seus filhos. Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel (1 Co 4.1).

Pai, nós somos os teus filhos presentes nestes dias como igreja militante e com uma missão de representar o teu reino e fazer a tua vontade acontecer aqui na terra como ela aí nos céus. Agradecemos o privilégio de sermos mordomos de todos os bens, dons, talentos e oportunidades que estão disponíveis pela multiforme graça de Deus. Buscamos integridade de coração e disposição de servir com vigor e diligencia para que ninguém que clamar ao Senhor, fique sem ser assistido, porque não fomos precisos. Oramos por sabedoria e discernimentos espirituais, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s