Retirada Estratégica

Meditação do dia: 21/01/2021

E retirou-se deles e chorou. Depois tornou a eles, e falou-lhes, e tomou a Simeão dentre eles, e amarrou-o perante os seus olhos.(Gn 42.24)

Retirada Estratégica Nos anos idos de juventude, exatamente na época do Seminário, quando vídeo cassete era a tecnologia mais avançada para se ver filmes, fomos agraciados certa tarde de sábado com um filme rodado no refeitório aberto para a galera toda. Cheguei entre os últimos e por isso tive de me contentar em ficar bem lá atrás, o que acabou sendo mais apropriado. O filme era “Poliana,” eu como bom goiano, cabra macho, daqueles que homem é homem não chora, me vi em apuros para não chorar e foi muito difícil mesmo, com disfarçadas e saídas estratégicas para não explodir – para nada, nada mesmo, porque quando terminou e todos foram saindo, eu fiquei mais envergonhado ainda, porque era o único “enxuto” entre os meninos e meninas! Tanto esforço para nada! Costumo dizer que o pior erro é aquele do qual nada aprendemos, e o interessante é que continuo insistindo nisso até hoje em alguns filmes, mesmo agora que já sou vovô. Tudo isso, para dizer que quem também se identificou comigo numa situação dessa de tentar conter um choro, quer de emoção alegre, triste, comovente ou o inesperado, sabe o que se passou com José diante de seus irmãos. Ele vinha fazendo uma bela atuação teatral no papel de governador durão e enquadrou os “espiões” sem mais nem menos e depois de três dias de xilindró, ele aparece lá com alguém piedoso e de coração mole, dizendo-se temente a Deus e disposto a facilitar as coisas para eles. No fundo, ele estava se desmontando, desmoronando de compaixão e de vontade de se revelar a eles e resolver tudo em família. Contudo, ele era equilibrado emocionalmente e aquela posição de governador exigia certas posturas cerimoniais, que não lhe permitia fazer-se de mole e bonzinho; pois também os seus próprios serviçais não estavam envolvidos na trama e não sabiam que ele estava lidando com familiares e que o verdadeiro propósito não era punir ou dificultar – era assunto de fórum muito íntimo e daquelas situações onde o próprio coração tem lá suas razões que até a própria razão desconhece. Foi assim, que para não jogar tudo à perder, José apresentou uma razão emergencial de ter que se retirar e sozinho chorar até liberar aquela represa de emoções em ebulição dentro do peito. Isso tem mais registros solidários nas Sagradas Escrituras, o mais importante e famoso é de Jesus, é claro! Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se. E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê. Jesus chorou (Jo 11.33-35).

Senhor, obrigado por revelar em tua Palavra, traços de humanidade tão grande quanto os nossos, pois tu és um de nós. Obrigado por se identificar em tudo com a vida e as coisas que ela proporciona e isso a torna mais rica e cheia de significados. Obrigado por sermos feitos à tua imagem e semelhança e assim podemos expressar pelos nossos semelhantes as mesmas emoções e sensações que tens e sentes ao ver a situação das pessoas. Podemos nos alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram e sentir compaixão por aqueles que dela necessitam. Somos amados, aceitos e alcançados onde estamos e como somos, excetuando-se o pecado e o mal. Oramos com gratidão, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s