Benjamim Não Desce

Meditação do dia: 04/02/2021

Ele porém disse: Não descerá meu filho convosco; porquanto o seu irmão é morto, e só ele ficou. Se lhe suceder algum desastre no caminho por onde fordes, fareis descer minhas cãs com tristeza à sepultura.(Gn 42.38)

Benjamim Não Desce Duas frases com idéias relevantes me vem à mente ao olhar o texto de hoje, no qual vamos meditar; ele expressa o pesar do coração de Jacó, diante de um dilema que pai nenhum gostaria de estar. Escolher entre dois filhos não é fácil, mas ali não era isso em questão, pois ele não tivera escolha na perda do primeiro filho e agora o coração lhe dizia para segurar esse outro para não perdê-lo também. A primeira frase afirma que “tudo que eu conheço, não é tudo que existe.” Por consequência natural, não sabemos tudo, e até quem sabe, nem sabemos muito, e o universo de possibilidades na área do conhecimento é vasto demais para a vaidade humana pretender dominar tudo, de modo que nada lhe escape. Ainda tem a variável de poder estar de posse de informações incompletas ou erradas, o que induziria a erros de juízo. Esse era o ponto onde Jacó estava. Ele era sincero no que acreditava, mas estava errado, porque fora induzido pelos filhos a acreditar na mentira de que José desaparecera e a evidencia mais forte era uma capa colorida, “encontrada” rasgada e suja de sangue, o que daria credibilidade da morte por ataque de alguma fera no campo. As vezes não ter informação alguma é melhor do que ter informação errada. No mundo corporativo, se diz que “mapa nenhum é preferível à mapa errado.” Ao ver a atitude paternalista e protetora de Jacó, ao ser forçado a fazer uma barganha hipotética sem garantias, dando algo concreto, no caso o filho Benjamim, para supostamente recuperar Simeão; caso fosse uma cilada por parte do governador do Egito, ou ocorresse algum acidente de percurso nesse caminho, ele correria o risco de perder não um, mas os dois filhos de uma só vez, acrescendo à dor já existente pela falta de José. Pensando nesse contexto é que me veio uma máxima que diz: “Não é tolo aquele que abre mão do que não pode reter para ganhar aquilo que não pode perder.” Embora seja uma citação profunda de sabedoria, ela trás consigo o conceito bíblico, ou princípio do amor de Deus e seu investimento na redenção do homem. Posso ver isso em textos bíblicos como: Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto (Jo 12.24). Uma outra referência é: “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? (Rm 8.32). Deus abriu mão de seu próprio filho para morrer na cruz e assim não perdeu sua criação, ganhando assim muitos filhos, transformados e restaurados à imagem de Jesus. Jacó estava nesse lugar da difícil escolha  do amor por seus filhos, que estavam se perdendo e agora a alternativa era abrir mão do filho único (de Raquel) que lhe sobrara, para resgatar a Simeão, Mas ele não sabia, que ao abrir mão de Benjamim, ele recobraria não apenas Simeão, mas também a José e restauraria toda a sua família, obtendo a unidade que precisava para se tornar uma grande nação. Era um passo de fé para ele, porque nós já sabemos pela história que José estava vivo, e pronto a ajudar a todos eles; mas nem Jacó, nem os irmãos sabiam disso e tinham que confiar e agir pela fé, como Abraão fizera no passado. No nosso dia a dia temos que tomar decisões difíceis e não temos todos os elementos, mas podemos e devemos lançar mão da fé sobrenatural que no dizer de Judas, foi entregue aos santos. Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo (Jd 3, 20). A questão é: Se Benjamim não desce, ninguém sobe!

Pai obrigado pela obra e a história da redenção em Cristo Jesus, que nos alcança por completo e nos faz mudar de destino para sempre. Alguém teve que se sacrificar para o bem muitos e Jesus abriu mão de sua própria vida para comprar a nossa; o Pai abriu mão do filho único para ganhar a todos nós. Obrigado pelas lições de amor e doação sem precedentes. Te amamos e glorificamos por tudo isso e muitas outras coisas boas que ainda não acessamos no conhecimento. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s