Quando Muito é Insuficiente

Meditação do dia: 28/03/2021

Eis que o dinheiro, que achamos nas bocas dos nossos sacos, to tornamos a trazer desde a terra de Canaã; como, pois, furtaríamos da casa do teu senhor prata ou ouro?(Gn 44.5)

Quando Muito é Insuficiente – Um amigo de velha dada, ligada a área de segurança pública e professor de direito, costumava de dizer: “A esposa de César, não basta ser honesta, precisa também parecer honesta.” É quase uma versão reversa do que estamos costumeiramente vendo em termos de ações das pessoas nos diversos âmbitos da coisa pública. Uma outra frase célebre nos meios corporativos e de investimentos no Brasil, atribuída quase sempre à Pedro Malan, ex-Presidente do Banco Central e ex-Ministro da Fazenda, é “no Brasil, até o passado é incerto.” Que o diga nosso STF e nosso judiciário que acusa e condena meio mundo e depois de anos, anula tudo por alta de provas. Mas não é essa nossa linha, nem de vida, nem de fé e muito menos de interesses. Aqui, nossa motivação é alimento que abençoa e nos sustenta para a vida eterna; o pão do céu, a Palavra encarnada, viva e eficaz, lida, entendida, meditada e praticada sistematicamente, com corações e mentes piedosos. A vida cristã, exige um padrão de excelência que absorve atenção e intenção de tempo integral. Se para sustentar a família e seguir adiante, se diz que temos que matar um leão por dia; para manter uma vida espiritual equilibrada de santidade e bom testemunho, sendo frutífero e abençoador, errar e pecar não é uma opção aceita. Fazer bem feito hoje, melhor do que ontem e progredir amanhã e assim, seguimos como se espera de nós. No texto de hoje, os irmãos de José, através de um porta-voz do grupo, estão apresentando argumentos bons e justos em defesa de suas condutas para com governador e até mesmo diante de seu representante, o mordomo, que lhes veio interpelar. Era verdade, eles haviam agido com honestidade e transparência. Quando perceberam o dinheiro presente em suas cargas de alimentos da primeira viagem, trouxeram de volta e apresentaram imediatamente ao mordomo. É verdade que também trouxeram dinheiro em dobro na segunda viagem, para evitar quaisquer contratempos. Tudo isso era verdade e nenhum deles tinha qualquer intenção de subtrair objetos ou dinheiro da casa do governador. Eles não precisavam disso, não tinham essa prática e sabiam que estavam em observação de honestidade o todo tempo todo. Agiram com autenticidade. Mas não bastou, não foi suficiente. Alguém plantou uma prova irrefutável contra eles. E agora? Já vimos isso acontecer em nossos tempos atuais. Chamamos de “armações,” “provas plantadas, ou forjadas.” Judicialmente, precisa-se de comprovação em contrário e legalmente bem feito para anular alguma ação desse calibre. Espiritualmente, a fé precisa ser acionada e depender inteiramente da ação de Deus em fazer juízo e justiça. Nunca se aconselha um cristão fazer justiça com as próprias mãos, ou assumir um papel que não lhe compete. Não se faz justiça cometendo injustiça, assim como não evitamos ou corrigimos o mal produzindo outro mal. O fim, não justifica os meios, diante de Deus.

Senhor, queremos declarar a nossa confiança na tua capacidade de cuidar de nós e estamos cientes de que tens os meios e as ferramentas necessárias e suficientes para tal. Ainda quando os teus filhos estão em situações ruins como aconteceu com José, em grande  parte de sua vida, ainda assim, estás no controle e por ser perfeito em todas as tuas obras e santo em tudo que faz, podemos confiar em ti e descansar nas tuas providencias. Oramos em de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s