A Confissão de Judá

Meditação do dia: 11/04/2021

“Então Judá deu um passo à frente e disse: Por favor, meu senhor, permita que o teu servo lhe diga apenas uma palavra. Peço que não perca a paciência comigo, embora o senhor seja tão poderoso quanto o próprio faraó.” (Gn 44.18)

A Confissão de Judá – Jesus uma certa vez perguntou aos seus discípulos quem eles diziam que ele era. eles estavam num contexto onde muitas pessoas apresentavam muitas versões e suposições sobre a pessoa e o ministério do Senhor Jesus Cristo. Ele quis então filtrar as opiniões e apurar ou depurar a fé deles. foi assim que conseguimos a magnífica confissão de Pedro, movido pelo Espírito Santo de que Jesus é o Cristo do Deus vivo. “Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo” (Mt 16.16). A centralidade da nossa confissão determina a direção do nosso caminhar na vida. Nossas ações nunca estarão acima da nossa confissão. É princípio indiscutível de que nossos lábios falam sobre o conteúdo do nosso coração. Um discurso desalinhado com o interior não passa de retórica barata, palavras ao vento ou mera repetição de palavras bonitas e coerentes intelectualmente, mas que não tem raiz suficiente para produzir frutos. os irmãos de José chegaram de volta à casa do governador, agora completamente desarmados de argumentos e desprovidos de qualquer cobertura para seus feitos. Eles estavam expostos publicamente e com as provas e evidencias diante de todos. Esse é um momento de crise de conversão ou de santificação muito importante. Judá se adianta para falar em nome de todos e fazer o que era esperado dele como líder. Ele havia dado sua palavra ao seu pai e diante de seus irmãos que se responsabilizaria por devolver Benjamim a seu pai. Começou bem, reconhecendo a autoridade do Governador e pedindo clemência e a oportunidade para falar. interessante que ele disse que daria “apenas uma palavra,” indício de que a verdade viria para ficar. Não haveria discursos ou argumentos para testar até onde poderia ir e deixar o melhor argumento para o final. Ele só tinha uma opção e não precisaria mais do que isso. A verdade é sempre suficiente, “Porque nada se pode contra a verdade, senão pela própria verdade” (2 Co 13.8). Oremos:

Senhor, obrigado pela tua palavra que é a verdade que nos guia e nos orienta. Graças rendemos pela ação do Espírito Santo para nos iluminar a mente e o coração diante da tua presença Santa e justa onde nossos argumentos são aceitos quando conformados à obra da redenção em Cristo Jesus. No nome dele oramos agradecidos, hoje e sempre. Amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s