Um Ramo Frutífero

Meditação do dia: 08/08/2021

“José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro.” (Gn 49.22)

Um Ramo Frutífero – Quando Jacó proferiu sua última bênção paternal aos seus filhos, ele profetizou sobre cada um deles, personalizando a sua bênção e também aquilo que para nós, serviria como uma espécie de “Testamento” a última vontade do testador para com os seus herdeiros. Ele aqui estava indo além do papel de pai, pois estava agindo como um patriarca, um progenitor de uma nação. Algumas pessoas  tem uma capacidade natural de viver pela fé, mirando o futuro e agindo como sendo aquilo uma realidade já, no momento. Para José, sua bênção foi iniciada dizendo que ele era um ramo frutífero, o que não só é uma menção elogiosa, de grande honra, mas também designava um caráter bem trabalhado e uma capacidade de produzir e abençoar a muitos outros. Vemos citação parecida com essa nas palavras de Jesus,  ao falar da comunhão dos seus seguidores com Deus e com ele em função do reino de Deus. “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer (Jo 15.4,5).A produtividade vai muito além da capacidade pessoal, por mais talentosa e laboriosa que ela  seja. Vimos isso o tempo  todo na vida de José; desde que chegou ao Egito, mesmo sendo um escravo, ele era altamente produtivo e abençoador e fazia questão de deixar bem claro que Deus era com ele e o orientava em tudo que fazia. Ele sempre admitiu que o segredo de sua prosperidade era a bênção de Deus sobre ele. Ao meditar nos ensinamentos de sermos ramos de uma Videira Verdadeira, o que por si só já nos previne que há uma videira falsa, como também que o fato de sabermos que há um videira, um agricultor e os processos de produtividade, eles por si só não fazem a diferença para nós, se não estivermos conectados, disciplinados e acolhendo a sabedoria do trabalhar de Deus em nossas vidas. Em Jo 15.16 Jesus faz uma importante declaração: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.” Fomos escolhidos pessoalmente por ele para IR e PRODUZIR frutos que PERMANEÇAM. Chamado para ir fala de mobilização, seguir em frente, dizer não à estagnação e ao comodismo. O chamado é para produzir – isso fala de resultados, quantidade e qualidades dentro de períodos e estações próprias. Ninguém planta e cuida de uma videira só para ter sombra e flores. Fechando a trilogia, esses frutos precisam permanecer. É inadmissível para um ministério fazer e desmanchar, refazer e cair de novo; fundar uma igreja e afundar duas, ganhar uma alma pra Cristo e escandalizar duas e afastar mais gente do que atrai. NO dia lá no “escritório do chefe” ele confere o quanto investiu e o quanto de resultados chegaram lá – imagina se pergunta: “O que aconteceu? Cadê os frutos?” José foi elogiado pelo pai, como sendo um ramo frutífero. Ele nunca buscou ou trabalhou para ser visto, elogiado ou reconhecido, ele servia como missão de vida.

Deus, obrigado por ser o nosso grande agricultou e temos em Jesus uma videira verdadeira, onde estamos firmados e queremos ser disciplinados, produtivos e abençoadores, para tua glória e honra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s