Bila, a Serva de Raquel

Meditação do dia: 20/09/2021

“E Labão deu sua serva Bila por serva a Raquel, sua filha.” (Gn 29.29)

Bila, a Serva de Raquel – Estamos trabalhando no nosso crescimento espiritual através da prática da meditação bíblica e a aplicação dos conceitos aprendidos, para que nos sirva de alimento, consolo, conforto e renovação das nossas esperanças por compreendermos que os propósitos do Senhor nosso Deus são muito grandes e abrangentes e em muitos casos quase incompreensíveis à nossa razão e lógica; mas podemos nos apegar à nossa fé e prosseguirmos passo a passo, dia após dia, certos de que seremos vencedores, a exemplo das pessoas que passaram por momentos e situações até mais severos do que os nossos e ainda assim elas prevaleceram e deixaram seus nomes gravados indelevelmente na história do povo de Deus. Hoje veremos sobre Bila, não só contemporânea de Zilpa, que tratamos ontem, mas também ela era serva do mesmo senhor, que igualmente a deu de presente à Raquel, ao se casar com Jacó. O nome Bilah significa “hesitante ou tímida.” Mui provavelmente era quase uma menina, ou adolescente, quando foi dada como serva para Raquel. Existem versões das quais não se pode confirmar ou mesmo confiar, que afirmam que tanto Zilpa quanto Bila poderiam ser filhas de Labão, com alguma concubina e nesse caso eram meio-irmãs de Lia e Raquel. Há até mesmo uma versão oriunda de um testamento apócrifo que diz que o pai de Bila e Zilpa se chamava Roteus. Ele fora levado ao cativeiro, mas resgatado por Labão, o pai de Raquel e Lia, que deu a Roteus uma esposa chamada Euna, que eram então os pais das moças. Existem alguns paralelos na história da vida de Bila muito parecidos com o que ocorreram a Zilpa; pois além de ser dada como serva à filha de seu senhor, no caso, à Raquel, que tendo problemas com a infertilidade e sendo a esposa amada de Jacó, recorreu ao costume de gerar filhos através de uma outra mulher. Interessante notar que nesse caso, a serva ao gerar filhos, passava a uma condição social de ser considerada também uma esposa, ainda que sem os mesmos direitos da legitima e sua senhora. Bila foi a mãe de dois filhos, que se tornaram integrantes das doze tribos da nação de Israel. Dã e Naftali e um de seus descendentes famosos foi Sansão. Bila passou por uma situação muito difícil e digamos, constrangedora, por ter sido assediada por Rubem, o filho mais velho de Jacó e Lia. “E aconteceu que, habitando Israel naquela terra, foi Rúben e deitou-se com Bila, concubina de seu pai; e Israel o soube. E eram doze os filhos de Jacó” (Gn 35.22). Embora hajam muitas versões e variantes sobre esse incidente, em nenhum caso ela é tratada como se houvesse cometido um erro ou ofensa com a gravidade de um adultério. Tudo aponta para uma situação em que ela fora enganada por Rubem, que tentou se passar pelo pai. O que lhe custou a perda do direito legal de primogenitura e de herança em dobro em relação a seus irmãos, conforme a bênção proferida por seu pai antes de morrer. “Rúben, tu és meu primogênito, minha força e o princípio de meu vigor, o mais excelente em alteza e o mais excelente em poder. Impetuoso como a água, não serás o mais excelente, porquanto subiste ao leito de teu pai. Então o contaminaste; subiu à minha cama” (Gn 49.3,4). Permitam-me relatar em poucas palavras as versões para o ocorrido. Com a Morte de Raquel, no nascimento de Benjamim, Jacó teria entrado num luto sem fim, consumida pela dor e se recusava a ser consolado e passou a dormir só, sem mais visitar qualquer das esposas, e segundo algumas fontes, à mando de Raquel prestes a morrer, a cama dela fora levado pr a tenda de Bila, sua serva e muito próxima dela afetivamente para consolar Jacó; como ele se afastou, Rubem aproveitou a ocasião e tentou se passar pelo pai mas foi descoberto. Uma outra linha de pensando afirma que ele agiu em defesa da mãe que estava se sentindo desprezada e ele então retirou a cama de Raquel da tenda de Bila e a levou para a tenda de Lia sua mãe. O fato é que não se menciona reprimenda ou punição à Bila, o que leva a crer que ela fora vítima tanto quanto Jacó. Desejamos aplicar para nossas vidas, a lição de que podemos servir e sermos honrados, honestos e corretos ainda assim poderá acontecer fatos difíceis e ruins sobre os quais não temos controle, ou somos vítimas e precisaremos depender do favor e da compreensão de outras pessoas e ainda que isso venha ou não acontecer, ainda podemos continuar sendo o que somos e nos propusemos ser na vida, porque fazemos o certo, por que é certo, não porque é mais fácil, mais cômodo ou lucrativo. Vimos que Zilpa e Bila, eram estrangeiras, fora da linhagem e servas sem muitos direitos e garantias, mas elas participaram ativamente da formação do povo de Deus, contribuindo com quatro tribos, o equivalente a um terço do total.

Pai, agradecemos pela oportunidade de contribuir com a formação e o alargamento das tendas do Reino de Deus. Nossa contribuição pode ser pequena e pouco expressiva aos olhos humanos, mas aquele que planejou todas as coisas, sabe a importância da função de cada um e do propósito para o qual ele foi criado. Queremos aceitar o nosso papel e nossa responsabilidade na construção dos teus planos para todos nós. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s