A Mulher Samaritana

Meditação do dia: 29/09/2021

“Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.” (Jo 4.7)

A Mulher Samaritana – Nos propusemos a escrever uma pequena série de meditações na Palavra de Deus, tendo como base a vida e a experiencias de mulheres que se destacaram na história do povo de Deus. Elas edificaram famílias, mudaram situações e fizeram a diferença para que hoje tivéssemos todos esses testemunhos de vida e serviço. Vimos que desde mulheres simples, servas e escravas, até da nobreza palaciana, de muitas formas diferentes, elas se destacaram por suas lutas e com coragem e muita fé, abençoaram e abençoam até os dias de hoje e será assim para a eternidade. Temos algumas dessas preciosas irmãs nos registros do Novo Testamento e não seria justo, deixa-las de fora desta seleção. Essas já foram mais privilegiadas por viverem no tempo para a qual todas as outras lutaram e acreditaram que um dia chegaria. Começaremos por essa distinta personagem que é figura importantíssima nas revelações das grandes verdades da graça de Deus através do próprio Deus e nosso Senhor Jesus Cristo. Também não temos o seu nome, mas isso nunca fez diferença para a comunidade cristã ao longo de dois milênios. Os samaritanos, se tornaram rivais dos judeus e menosprezados, tratados com estrangeiros, desde a divisão do reino de Israel e com a consequente dispersão do reino do Norte, levados cativos e substituídos por populações estranhas à terra e ao culto ao verdadeiro Deus. “No ano nono de Oséias, o rei da Assíria tomou a Samaria, e levou Israel cativo para a Assíria; e fê-los habitar em Hala e em Habor junto ao rio de Gozã, e nas cidades dos medos, E o rei da Assíria trouxe gente de Babilônia, de Cuta, de Ava, de Hamate e Sefarvaim, e a fez habitar nas cidades de Samaria, em lugar dos filhos de Israel; e eles tomaram a Samaria em herança, e habitaram nas suas cidades (2 Rs 17.6,24). Essa mistura de povos, trouxe os cultos pagãos e produziu costumes muito reprováveis para a Terra Prometida. “Porém cada nação fez os seus deuses, e os puseram nas casas dos altos que os samaritanos fizeram, cada nação nas cidades, em que habitava. Assim temiam ao Senhor, mas também serviam a seus deuses, segundo o costume das nações dentre as quais tinham sido transportados. (2 Rs 17.29,33). No tempo da restauração quando voltaram do cativeiro  e começaram a reconstruir Jerusalém, como registrado nos livros de Esdras e Neemias, essa população não foi aceita para ajudar devido a condição de idolatria deles. “Então lhes respondi, e disse: O Deus dos céus é o que nos fará prosperar: e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos; mas vós não tendes parte, nem justiça, nem memória em Jerusalém” (Ne 2.20). Essa animosidade persistia entre os povos judaicos e samaritanos até os dias do Novo Testamento. “Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos)” (Jo 4.9).  Agora entendo melhor o contexto da vida dessa mulher e do porquê da resistência dela no início do diálogo com Jesus, podemos então compreender a grandiosidade da graça e misericórdia de Deus para com todos os homens,  para os quais o seu amor se estende, cobrindo toda e qualquer diferença que o pecado causou. Como outras mulheres que estudamos nessa série, ela tinha um passado e um histórico de andar longe do caminho de Deus. Não podemos afirmar que ela era envolvida com imoralidades ou tinha uma vida desregrada, mas o fato é até para aqueles dias, o comportamento social e familiar dela, a expunha socialmente a uma vida de exclusão pelos inúmeros casamentos e descasamentos. É muito instrutivo pensarmos, que Jesus Cristo, sendo homem, judeu e respeitado como mestre, viesse a escolher justamente uma mulher, de origem samaritana e marginalizada pela sociedade, para fazer as maiores revelações sobre sua pessoa e ministério e porque não, também sobre Deus e o culto verdadeiro. Ela foi a primeira pessoa a quem Jesus disse que ele era o Messias, o Cristo esperado por todo o povo de Deus. “A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo” (Jo 4.25,26). É ou não é, uma privilegiada de Deus e da história!? Como dizem as pessoas da imprensa, ela teve uma “exclusiva,” um verdadeiro furo de reportagem. Jesus havia atraído a atenção dela com um “quebra-gelo” lhe pedindo água e assim abriu a porta para o diálogo e diante da negativa dela de lhe dar água, por ele ser judeu, ele despertou o interesse dela ao lhe oferecer um tipo especial de água, que certamente lhe interessaria, não só por não ter mais sede, como também por precisar mais vir ao poço buscar água e se expondo aos olhares críticos e comentários maldosos dos  vizinhos e moradores da cidade. O ensino mais tremendo sobre Deus e a adoração verdadeira, também foi fruto dessa conversa de Jesus com essa mulher. Nenhuma revelação tão clara, incisiva e espiritual, até então se conhecia. “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.23,24). Essa mulher samaritana foi impactada profundamente pelo Evangelho de Cristo e imediatamente ele testemunhou ousadamente para muita gente de sua cidade, o que produziu uma colheita abundante de vidas que creram na mensagem do Senhor Jesus. “Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é este o Cristo? E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo” (Jo 4.28,29,41,42). O poder do testemunho de uma pessoa com vida transformada, é a grande lição e aplicação para as nossas vidas, através dessa mulher samaritana. Ela está na história, está nos nossos corações como alguém que teve a oportunidade de conhecer a Jesus e não desperdiçou a chance. Como dizia aquele jargão comercial: “Essa mulher é gente que faz!”

Grande é o Senhor nosso Deus, Pai de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo, que em amor e graça veio a esse nosso mundo conturbado e carente para transformar vidas em instrumentos de alcançar tantas outras pessoas, que também estão perdidas e desorientadas como ovelhas que não tem pastor. Te louvamos, oh! Senhor, pelas vidas que o Evangelho tem alcançado e transformado; também agradecemos pelas pessoas que tem dado tudo de si para que muitas vidas sejam alcançadas. Oramos por mulheres, que nos nossos dias estão comprometidas com a causa de Deus e estão servindo em muitas áreas e abençoando vidas e fazendo a diferença, que sejam abençoadas e frutíferas em tua seara. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s