Quando Deus Vê

Meditação do dia: 20/12/2021

“E vendo o Senhor que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui.” (Êx 3.4)

Quando Deus Vê – Já sabemos que Deus é onisciente, portanto ele sabe todas as coisas e também estamos cientes de que não há nada encoberto aos seus olhos, ele tem conhecimento total de tudo. “SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces” (Sl 139.1-4). Para quem procura uma comunhão mais íntima com Deus e desenvolver relacionamentos saudáveis no crescimento espiritual, saber esses atributos maravilhosos de Deus só aumenta a fome e a sede por mais de Deus. Para quem não o conhece suficientemente bem e tem mais medo do que temor e reverencia, a idéia de um Deus grande e Todo-Poderoso, parece assustador, pois ela vai se sentir vigiada o tempo todo. As Sagradas Escrituras fazem uso abundante dessa forma de expressão, atribuindo a Deus características humanas, no caso aqui, “…E vendo o Senhor que se virava para ver…” literalmente isso passaria a idéia de que até momentos anteriores Deus não estava vendo o que Moisés fazia ou pretendia fazer; mas não é o caso, A presença do Senhor estava ali antes mesmo da chegada de Moisés ao local e ele estava ciente de que atrairia a atenção daquele pastor de ovelhas. A essência da verdade ensinada aqui no texto é que o Senhor estava aguardando a atenção intencional de Moisés. Como também isso é verdade com relação a nós em todas as nossas experiencias com ele. Certa ocasião, quando estava na reta final do último ano do seminário, sob forte pressão e decisões importantes a tomar, me vi tomado de angústia e ansiedade de forma tão intensa que aquilo estava me consumindo e drenando as minhas energias. Numa noite daquelas, durante o tempo devocional da noite, recusei-me a ir dormir após o toque de recolher e apagar as luzes, fiquei diante de Deus, empacado, teimoso e disposto a não ficar sem uma resposta; eu orava, chorava, silenciava (tudo isso em absoluto silencio porque os colegas de quarto já estavam dormindo); lá pelas duas horas da manhã, o meu coração ganhou paz, uma paz tão suave, mas profunda e feliz e foi exatamente aí, que discerni, que Deus havia falado ao meu coração e me dado a resposta antes das vinte e três horas. Eu ri da minha estupidez e agitação interior que me privara de ter uma bela noite de sono, descansando no Senhor. Moisés não estava angustiado ou buscando uma resposta; ele estava ocupado demais com suas responsabilidades e mesmo com um fenômeno extraordinário acontecendo perto, ele ainda não atentara para a grandiosidade daquilo. Deus, na sua infinita paciência e misericórdia aguardava uma iniciativa dele, até que ela acontecesse, e aconteceu! Agora que ele estava disposto a verificar de perto, chegara então a hora de saber com que e com quem ele lidava. A nossa pergunta de valor elevado hoje é: Quando foi que realmente resolvemos dar a devida atenção ao propósito divino para nossas vidas? Quando foi que Deus percebeu intenção em nós? Já ouvimos pregadores falando daquele diálogo de Jesus com Pedro após a ressurreição, quando o Mestre lhe perguntou por três vezes se Pedro o amava e a resposta variava até que de fato ele se concentrou no que Jesus realmente estava falando. “Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21.17). Para Pedro foram três vezes… Para o Jason, será quantas vezes? Para você também, quantas vezes? Para o profeta Isaías, foi na primeira vez: “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).

Obrigado Pai, por seu amor e longanimidade para comigo. Louvado seja o teu santo e poderoso nome, que reflete o teu caráter de santidade e justiça, bondade e acolhimento para comigo e com os meus irmãos, companheiros de caminhada na fé. Queremos seguir as pisadas do Mestre e sermos fiéis e produtivos como bons mordomos de tudo o que tens confiado a nós. receba a nossa consagração e o desejo de discernir muito bem o teu tempo e o teu modo de agires. Oramos com gratidão, em nome de Jesus, o nosso Senhor, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s