O Ide de Faraó à Moisés

Meditação do dia: 22/07/2022

“Então chamou Faraó a Moisés e a Arão, e disse: Ide, e sacrificai ao vosso Deus nesta terra.” (Ex 8.25)

O Ide de Faraó à Moisés – Moisés foi chamado por Faraó para receber uma proposta, mas não dá para esperar muito de alguém de coração duro e obstinado, como o rei do Egito. Acostumado a servir a deuses falsos, que não se movem, não vêem, não ouvem, nem podem agir, o rei queria equiparar o Deus dos hebreus na mesma escala. Ele pensava, como o seu povo também, que pelo fato do Senhor Deus, a quem os israelitas serviam, não ser representado por qualquer tipo de imagem, figura ou representação, como todos os demais, isso o colocaria num nível bem inferior a qualquer dos seus deuses, portanto ele não precisaria respeitar qualquer reivindicação dele. Quando se viu apertado pelas pragas e notificados por seus próprios assessores, ele reagiu como se fosse fazer um favor a esse Deus ou ao seu povo. A atitude de Faraó, é típica e própria dos pecadores impenitentes, irreverentes, que pensam que podem servir a Deus do seu próprio jeito. Eles se sentem o centro do universo e tudo deve orbitar ao redor deles; não aceitam serem contrariados ou confrontados. Em suas carnais compreensões supõem que qualquer coisa e de qualquer forma que eles se propuserem a fazer, Deus tem mais é que aceitar. Impiedade é impiedade e reverencia é reverencia! “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples” (Rm 16.17,18). Paulo advertiu a Timóteo para se precaver contra pessoas infiltradas que alegam uma falsa piedade, sem contudo terem eficácia na conduta de vida, a recomendação é que se fuja deste tipo de pessoas. Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te (2 Tm 3.5). Essa conversão repentina de Faraó ordenando a Moisés que fosse sacrificar, servir e adorar ao seu Deus, mas ali naquela terra, não onde Deus havia determinado; era na verdade uma tentativa de fazer do jeito dele. Não deu certo, Moisés não aceitou e estava certo em não aceitar, pois a intenção e as razões não eram puras. Para ele, Faraó, tanta faz como tanto fez, servir a Deus aqui, ali ou acolá, qual a diferença? Não é assim que as pessoas nos dizem constantemente? Para que irem tanto na igreja, porque tantas vezes na semana, por que isso, por que aquilo? Eles afirmam: “Eu acho que desse jeito está muito bom, tem gente que nem isso fazem!” Desejo fechar essa meditação com as palavras do Salmo 50, quando a verdade de Deus é apresentada sobre essa prática de tentar servir a Deus nos próprios termos, como se ele tivesse que aceitar sem ter alternativa: “Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca? Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti. Quando vês o ladrão, consentes com ele, e tens a tua parte com adúlteros. Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano. Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe. Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era tal como tu, mas eu te argüirei, e as porei por ordem diante dos teus olhos: Ouvi pois isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que eu vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre. Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus” (Sl 50.16-23)

A nossa oração será: “Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da tua verdade. Porque dirão os gentios: Onde está o seu Deus? Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou. Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem. Têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram. Têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. A eles se tornem semelhantes os que os fazem, assim como todos os que neles confiam. Israel, confia no Senhor; ele é o seu auxílio e o seu escudo. Casa de Arão, confia no Senhor; ele é o seu auxílio e o seu escudo. Vós, os que temeis ao Senhor, confiai no Senhor; ele é o seu auxílio e o seu escudo. O Senhor se lembrou de nós; ele nos abençoará; abençoará a casa de Israel; abençoará a casa de Arão. Abençoará os que temem ao Senhor, tanto pequenos como grandes. O Senhor vos aumentará cada vez mais, a vós e a vossos filhos. Sois benditos do Senhor, que fez os céus e a terra. Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens. Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio. Mas nós bendiremos ao Senhor, desde agora e para sempre. Louvai ao Senhor.” (Sl 115)

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s