Surpreendidos na Fuga

Meditação do dia: 03/01/2023

“Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar retornou a sua força ao amanhecer, e os egípcios, ao fugirem, foram de encontro a ele, e o Senhor derrubou os egípcios no meio do mar,” (Ex 14.27)

Surpreendidos na Fuga – Há uma expressão citada por Salomão, o mais sábio rei de Israel, que tem um fundo de verdade sobre essa cena aqui do Mar Vermelho, para os próprios egípcios. Lá o sábio disse: “…Ainda que junte as mãos, o mau não ficará impune (Pv 11.21). Sabemos disso muito bem, por teoria e prática. Mas será que desde que o mundo é mundo, as pessoas não se atentam para isso? Todos os povos e culturas tem seus sistemas de justiça, que privilegia as boas práticas e pune as más condutas; por mais civilizado ou bárbaro que seja uma sociedade, isso é ponto pacífico entre todos os povos. A punição existe tanto para sentença dos transgressores como para desestimular a prática do mal. Sendo assim, uma sociedade tão desenvolvida e experiente como a dos egípcios, era de se esperar que soubesse disso e praticasse. Até mesmo em se tratando de habilidades militares, eles eram experientes e já haviam travados muitas batalhas e sofreram invasões e agressões por outros povos. Nenhum comandante atira suas tropas numa condição sabidamente perigosa e que não justifique o risco. O rei do Egito vinha já por um bom tempo sofrendo baixas na sua luta obstinada contra o Deus de Israel. Ele comandava o Egito e se colocava como um deus, que não aceitava concorrência e ao ser desafiado por Moisés a libertar seus escravos, ele foi taxativo em não aceitar ordens de Deus nenhum, principalmente do Deus dos hebreus, que ele considerava um “deus de escravos.” Ele perdeu todos os embates e foi humilhado até ter que ceder e o seu próprio povo o aconselhava a aceitar a rendição e entrega da libertação pretendida pelos israelitas para evitarem danos maiores. Ele sabia do poder e da capacidade de fazer sinais poderosos e sobrenaturais, que nem seus mágicos e sacerdotes poderiam igualar. Então: Quando viu a dificuldade de aproximar-se do povo em marcha; quando viu a mudança de posição da coluna de fogo e que ela causava iluminação e facilidade para os hebreus  escuridão e dificuldades para seu exército; ao ver o povo encurralado entre as montanhas rochosas e o Mar Vermelho e logo em seguida, o mar se abrir miraculosamente para Israel passar em seco – Por que ele colocaria o exercito nesse túnel de águas, sem possibilidade de retorno caso houvesse uma situação em contrário? Claro, eu, você e qualquer pessoa com um pouco de miolo na cabeça, sabe as respostas; mas onde mora o detalhe que faz a diferença? “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência” (Pv 9.10). Por não temer Deus, faltava sabedoria ao Faraó e por não conhecer a Deus lhe faltava o verdadeiro conhecimento. Não será diferente para ninguém em nossos dias também. Seja rei, presidente, ditador, soberano, papa, pastor, reverendo ou pessoa comum… o princípio nunca muda e nunca falha!!

Pai, temer ao Senhor e andar nos seus caminhos é a melhor medida para o sucesso e a realização. Agradecemos os ensinos e as verdades contidas em tua Palavra que nos aproxima de ti e assim podemos ser assistidos pelo Espírito Santo, que nos fortalece e nos capacita a compreender e praticar a verdadeira sabedoria. Agradecemos por tudo em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s