Quarenta e cinco anos depois

Meditação do dia 30/08/2015

Js 14.10E agora eis que o Senhor me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos.

Quarenta e cinco anos depois – À quarenta e cinco anos atrás, eu tinha onze anos de idade, morava em Goiânia, no Jardim América e estudava no Morais Filho, não praticava nenhuma fé e não tinha preocupações maiores com a vida e o futuro. O Brasil acabara de ser tri campeão mundial de futebol no México e eu vi a final em tv colorida (que coisa espantosa) lá na Quinta do Sol (uma panificadora) e me tornei vilanovense. Quarenta e cinco anos depois, cá estou, senhor de cabelos brancos, morando no interior de São Paulo, pastor batista renovado e tudo mais…. O testemunho de Calebe deixa qualquer um de nós admirado e não é para menos; ele saíra do Egito, juntamente com Josué e outros quase três milhões de pessoas e dos que estavam acima de vinte anos na época, apenas ele e Josué ainda estavam vivos; Com quarenta anos veio à Canaã para espionar a terra e agora aos oitenta e cinco anos estava residindo em definitivo na terra prometida. Muita coisa muda em quarenta e cinco anos na vida de uma pessoa, contando à partir dos quarenta; e aqui está Calebe dizendo a Josué, que estava tão bem de saúde, vigor e destreza, tanto quanto antes; e que naquela época Moisés prometera que ele poderia receber sua herança em um lugar que ele gostara, quando viera como espia e então, agora ele reivindicava Hebrom. Era uma cidade edificada sobre um monte do mesmo nome; fundada e habitada por gigantes e seus descendentes; seria uma parada dura para se conquistar tal cidade. Calebe disse: “É essa mesma que eu quero!” Deus não mudou e nem desistiu de suas promessas para comigo e com seu povo. Se ele me ajudaria a vencer naquela época, então me ajudará agora também! Se ele me conservou em vida e com a mesma condição física, mental e de disposição para a luta, então é sinal que posso lutar e vencer! Naquela época eu precisaria da ajuda divina para vencer e superar aqueles gigantes, e não será diferente agora! Minha promessa, é minha herança, e minha herança não vai ficar para gigante nenhum! Calebe tinha a bênção e a promessa de Deus e agora recebera a bênção de Josué, seu amigo, companheiro de muitas lutas e agora seu líder espiritual. Calebe não partiu para conquistar Hebrom, baseado na certeza do seu coração e da promessa ouvida antes; ele se cercou de uma bênção oficial de quem tinha autoridade sobre ele e oficialmente poderia dar-lhe a posse da herança. Provérbios de Salomão, ensina que a posse antecipada de uma herança, pode não ser boa no final. A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada. (Pv 20.21). Mesmo sendo uma herança, ou seja, um direito legítimo, há meios e tempos adequados para se apossar e ser bem sucedido. Não saber esperar o tempo certo e precipitar-se por fazer as coisas na força da carne, ou na força da lei; tem levado pessoas, ministros e igrejas a perderem a bênção de Deus sobre algo que já era deles. Também evitar os desafios por que “os tempos agora são outros…” coloca suas conquistas na base daquilo que humanamente é possível; quando na verdade a promessa era sobrenatural e só divinamente possível. É muito importante saber discernir a necessidade de abrir mão do que é bom, para aguardar o que é excelente! O que aconteceu contigo, quarenta e cinco anos depois?

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s