O Homem de Lo Debar

Meditação do dia 13/11/2015

2 Sm 9.7 “E disse-lhe Davi: Não temas, porque decerto usarei contigo de benevolência por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa.”

O homem de Lo Debar – A poucos dias meditamos sobre a tragédia que se abateu sobre a casa de Jônatas, filho de Saul, que morreu na guerra e seu filho de cinco anos caiu na fuga e ficou deficiente de ambos os pés. Eu escrevi que voltaríamos a falar daquele príncipe e o faremos hoje. Agora ele não é mais um garotinho, mas um homem adulto, que passou a infância, a juventude e parte da vida adulta escondido, vivendo de favores e da bondade de pessoas estranhas, ainda que fosse um príncipe. Um dia, o rei Davi, inquietou –se no seu interior, talvez lembrando do seu amigo Jônatas e aí veio a idéia: “será que não ficou algum descendente dele?” E mandou informar e descobriram alguém que sabia muito, mas talvez pela segurança do príncipe, e manteve calado. Foi contado a Davi a história toda: Há sim, um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés por um acidente no dia da fuga, quando da morte do pai e da família real e ele vive escondido e protegido por uma família numa pequena cidade, chamada Lo Debar. O rei sem demora mandou buscá-lo. Me permita uma licença de criar imaginativamente sobre a cena; Aquele príncipe, Mefibosete, passara toda a vida escondido, e com certeza temendo ser descoberto por opositores do regime de seu avô ou Davi, o novo rei o quisesse morto, para evitar ameaça ao trono. Mas um dia tudo mudou: Tropas da guarda real chegaram na cidadezinha procurando diretamente pela casa do senhor Maquir, filho de Amiel, porque ele abriga um refugiado chamado Mefibosete, deficiente físico. Eles tinham todas as informações e agora não tinha como esconder mais. Ao encontrar quem procuravam ele não deram nenhuma informação, só disseram que o rei Davi quer vê-lo na capital, agora! O que terá passado pela cabeça daquele homem assustado, temeroso e indefeso? Como ficaram as pessoas que o protegera durante todos esses anos? Com certeza o clima não era nada tranquilo. Vou apimentar ainda mais; Mefibosete entrou na capital pela primeira vez, vendo a cidade grande, pomposa, barulhenta e entraram direto para a fortaleza real e na porta alguém informa que o rei está no pátio se exercitando com espadas, lanças e mantendo a forma, mas que queria ver imediatamente o homem que foram buscar. Provavelmente aquele príncipe não tinha nenhuma lembrança do Rei que fora amigo do seu pai quando eram jovens; se Davi o havia visto alguma vez, ele era muito pequeno, um bebê de colo talvez; e agora estava tão indefeso, quanto naquele tempo…o coração saído pela boca, tremura, mãos geladas, como olhar no rosto rei? Mais não tem volta e alguém se aproxima e todos ao redor se curvam na frente dele… uma voz firme pergunta: Você é Mefibosete? Siii..sim Senhor, teu servo! Inclinou em respeito, mas pensando que cabeça e pescoço seriam separados num só golpe, sem misericórdia! Mas não foi o que aconteceu! O que ouviu foi: “Não temas, vou cuidar de você com muita bondade, porque você é filho do meu melhor amigo e nós tínhamos uma aliança de que quem sobrevivesse, cuidaria da família do outro. Tudo o que era de seu pai, é seu novamente, é sua herança e você à partir de hoje, vai morar aqui na capital e vai sentar e comer na minha mesa comigo, meus filhos e minha família, você é um príncipe e lugar de príncipe é no palácio. Eu vou as lágrimas toda vez que leio esse trecho das Escrituras. Fico pensando que o coração de Mefibosete, quase parou de vez, agora de emoção e lágrimas. Sua vida e sua dignidade fora restituída. A angustia daquela viagem agora era trocada pela alegria e satisfação e o nunca tinha acontecido, pela primeira vez, a começar ali pela guarda real, as pessoas se curvando diante em respeito e cumprimentando-o agora, como um nobre e não mais como um deficiente e dependente de favores. Essa é a minha história, e a sua e a de todos os pecadores, que vivemos temerosos do amanhã, da eternidade, com medo da morte e do castigo; até que o Rei dos reis, nos chamou pelo nome, restitui a nossa dignidade de filhos de Deus, escreve o nosso nome do seu livro e diz que está preparando uma lugar para nós na cidade do seu pai e agora comeremos na mesa do rei e podemos entrar na com ousadia na presença de Deus (Hb 10.19-23). Em Cristo, começamos uma nova história!

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s