Carruagens de Fogo

Meditação do dia 22/12/2015

2 Rs 2.11 “E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.

Carruagens de fogo – Uma qualidade muito distinta de quem trabalha servindo nos ofícios sagrados dos ministérios à serviço do Senhor Deus, é o anonimato; Isto é, estar disposto a servir sem aparecer, sem levar a fama, ser elogiado, paparicado ou estar nos holofotes. Se alguém se lembra e elogia ou reconhece, a pessoa de Deus, agradece e transfere a honra e a glória de tudo isso a Deus, que a capacita a fazer bem feito. Somos servos, e como tais, louvores e aplausos não são importantes. No Novo Testamento, as expressões usadas para designar essa atitude correta é “renunciar a si mesmo” ou “estar crucificado.” Vou citar duas referencias para confirmar: “…Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Mc 8.34) e também (Gl 2.20) “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Vivendo e servindo nesse nível, é possível enfrentar as rejeições e desprezos ou não valorização a que se está sujeito sabendo que tem alguém muito mais justo e fiel que vai dar a devida recompensa no devido tempo. E a maneira de Deus honrar alguém é incomparavelmente melhor do que qualquer honraria terrena. Desejo mostrar aqui o que eu considero a materialização dessa forma de recompensa divina para honrar alguém que efetivamente serve bem. No episódio do encontro do Profeta Elias com os profetas de Baal, descritos em I Rs 18, após aquela demonstração, Elias subiu ao monte para orar e insistiu em oração até que o seu secretário avistou uma pequena nuvem do tamanho de uma mão; então o profeta mandou ele avisar o rei e apressá-lo a se refugiar porque viria uma abundante chuva. Elias desceu do Monte e seguiu correndo até a cidade o rei vinha com a carruagem e nem se deu ao trabalho de dar uma carona para Elias, que era a razão daquela chuva estar caindo e abençoando a terra e findando um período de chuva. Pois, bem, dar uma carona era um gesto de gentileza e honra e agradecimento devido da parte do rei. Ganhar uma carona na carruagem do rei não era para qualquer plebeu…mas não rolou! Pois bem, o modo como Deus escolheu levar Elias para o céu, não só foi inusitado, pois em toda a história bíblica, isso só teria acontecido a uma outra pessoa, Enoque, antes do dilúvio ainda. Elias foi levado vivo para o céu e foi de carruagens e cavalos de fogo. Portanto, porque lamentar não ter ganhado um voltinha na carroça do rei. Carruagem real é para os fracos, a pessoa a quem Deus deseja honrar ele envia sua frota especial de carros e cavalos de fogo. Não se ressinta se não for homenageado, lembrado, condecorado… o rei a que você serve, no momento  certo vai de exaltar. No salmo 23 Davi fala que Deus prepara um banquete para os seus na presença de seus inimigos… E aí, quer glória aqui, agora, ou quer esperar pela melhor?

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s