Fazendo o Bem Pela Metade

Meditação do dia 30/12/2015

2 Rs 10.31 “Mas Jeú não teve cuidado de andar com todo o seu coração na lei do Senhor Deus de Israel, nem se apartou dos pecados de Jeroboão, com que fez pecar a Israel.

Fazendo o bem pela metade – Fazer as coisas bem feito, tem à ver com fazê-las na totalidade. Uma ação pela metade, pode se tornar tão ineficiente quanto se não houvesse feito nenhuma parte. Esse rei Jeú, foi levantado por Deus com uma tarefa de extirpar o culto idólatra de Baal, dentro do território israelita. Ele deveria também cuidar que a dinastia do rei Acabe e Jezabel não prevalecesse e nem mesmo subsistisse. Ele fez uma parte muito bem feita e com extremo zelo. Mas assim que se sentiu consolidado no trono, não continuou fazendo as reformas que deveriam continuar acontecendo na nação. Seu coração não foi perfeito para com Deus; ele tinha restrições e abertura para pecados e práticas tão detestáveis aos olhos de Deus quanto aquelas que ele mesmo exterminara. Quando estudamos os ensinamentos bíblicos sobre santificação, aprendemos que ela tem um lado negativo e outro positivo, isto é, na prática, há elementos que precisam ser erradicados da vida e conduta nossa; são ações e praticas erradas, pecaminosas, que desagradam a Deus e impendem o desenvolvimento espiritual da pessoa. Mas também tem o lado positivo, isto é, os aspectos que precisam ser incorporados na rotina diária da vida para que haja crescimento e desenvolvimento. Em alguns aspectos, eles até podem ser substituídos por um aspecto correspondente, por exemplo: Alguém que tinha o hábito de praguejar; ele pode e deve não apenas parar com isso, mas de imediato substituir por “bendizer – falar bem;” a murmuração, pode ser trocada pelo louvor e gratidão; a dúvida, pode ser trocada pela confiança; a avareza, pode ser trocada pela generosidade; a rebeldia pela submissão voluntária; a dureza e aspereza pela docilidade e suavidade… e assim por diante. Caso essas mudanças não aconteçam, corre-se o risco de ter um testemunho deficiente, porque a pessoa pode descartar uma série de práticas errada, ao dedicar sua vida a Deus, mas não coloca nada no vazio deixado pelas práticas pecaminosas, e como todo espaço vazio tem a tendência de ser preenchido, isso pode vir a servir para a construção de uma vida cheia apenas de negativos: “não pode, não tem, não deve, não faça, não vá… não… não! A base bíblica para a legítima vida de fé e nos seguintes termos: “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens,” (Cl 3.23). O rei Jeú não teve esse cuidado, gostava de Deus, mas amava o pecado e sabemos que não dá para servir a dois senhores ao mesmo tempo. Decida, ainda nesse fim de ano, a ter uma postura de fazer tudo com integridade e coração inteiro. Será bom você!

 

Pr Jason

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s