Os Diferentes Diante de Deus

Meditação do dia 14/02/2017    

 Is 56.3 E não fale o filho do estrangeiro, que se houver unido ao Senhor, dizendo: Certamente o Senhor me separará do seu povo; nem tampouco diga o eunuco: Eis que sou uma árvore seca.

 Os diferentes diante de Deus – Salomão tinha razão quando escreveu o livro de
Eclesiastes e disse: O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós (Ec 1.9,10). Quando pensamos que a sociedade já havia superado os exageros nacionalista, os racismos e intolerâncias e havia até pregoeiros de um tempo de aceitação e convivência com o diferente, a gente percebe que não é bem assim. Por todos os lados e em diversos continentes e sem deixar de fora nações e povos considerados “cultos, abertos e tolerantes,” mas que estão sofrendo as mesmas coisas que nos demais. Estou tocando nisso, porque o texto de hoje nos trás a dois dos potenciais alvos de discriminação e reações sociais modernas. Já houve tempos em que os estrangeiros eram bem-vindos, para enriquecer a cultura, os valores e até mesmo ajudar a adensar a população e trazer desenvolvimento. Bons tempos aqueles! Como vou ficar apenas na abordagem devocional do texto, fico bem à vontade para mostrar as coisas do ponto de vista bíblico e consequentemente de Deus. Sempre houve pessoas vivendo em terras alheias; imigrantes, desterrados, aventureiros, exilados, nômades e uma grande lista. Há casos em que por instrução divina, pessoas saíram de suas pátrias e famílias e foram viver fora e alguns que nunca mais voltaram. Posso citar Abraão, Isaque, Jacó, José e depois todo o Israel; os hebreus viveram setenta anos ou mais no cativeiro, bem longe de sua pátria; o próprio Senhor Jesus na sua infância teve que viver na África (Egito). Gostamos da linda história de Rute, a moabita que entrou para a linhagem real e é uma das ancestrais de Cristo. Deus ama o estrangeiro e cuida deles, sempre foi assim: Também não oprimirás o estrangeiro; pois vós conheceis o coração do estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito” (Êx 23.9). Outro caso citado aqui, é o dos eunucos, e vou ficar dentro do contexto cultural bíblico, onde essas pessoas existiam em considerável quantidade e exerciam importantes papeis sociais. Uns por escolha pessoal, outros por questões religiosas como votos, sacerdócio e etc. e também havia outros em que essa condição foi imposta pela violência ou condição de escravidão. Jesus certa vez falou algo sobre isso: Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o (Mt 12.19). O texto profético deixa a entender que pessoas piedosas, que amavam a
Deus e ansiavam por viver plenamente sua fé e dedicação, enfrentavam problemas com os “Normais” que certamente tinham textos e mais textos bíblicos para lhes jogarem na cara, de como eles não tinham direito e herança em Deus e na fé. Não muito diferente do que constantemente vemos pessoas afirmarem serem elas as únicas portadoras da bênção, da unção, da autoridade divina, que sua igreja ou denominação é a única certa, se não for dali, ninguém entrará no céu; só nós estamos certos e todos os demais são lobos e aproveitadores e tantas outras atrocidades que temos visto e ouvido. Todos conhecemos pessoas que ficaram restringidos nos seus direitos e convicções por razões que fogem ao seu alcance e nem por isso são ou serão desfavorecidas por Deus. Posso citar casos por exemplo, de pessoas que acreditam na importância do casamento, família, ter filhos e etc. e as vezes teve que assumir o papel de provedor da própria casa dos pais, com irmãos menores e etc. em condições tão adversas, que não pode ter a sua própria casa. Pessoas que desejavam ter filhos e descobriram-se impossibilitados, por doenças, anomalias genéticas natas ou adquiridas. Pessoas que por amor e obediência a uma chamado vocacional, ficou restringido em certas áreas que em outras situações seriam vividas plenamente. Para estas e tantas outras situações, veja que Deus diz através de Isaías, que ele pessoalmente vai cuidar de abençoar vocês e recompensar a fé e esforço, sem terem negado ou aberto mão da fé e da santidade. No futuro de vocês, gringos, todos seremos cidadãos de um reino único, justo, acolhedor e no trono terá alguém que passou por isso, também foi rejeitado, maltratado e desdenhado, então ele sabe como é para vocês. Aqueles que não puderam perpetuar seus nomes pela linhagem natural de filhos, o Senhor promete contornar isso, de forma tão justo, abençoadora e reconfortante que valerá a pena, tudo o que fizeram e passaram. Ninguém entende mais de gente do que aquele que cremos como Senhor de todos. Fica firme, desanima não!

Pai, obrigado, pois foste o criador de povos, nações e etnias, então sabes a importância delas e o mal que a segregação e o preconceito faz as pessoas. Tua fidelidade contempla aqueles que foram cerceados nos seus direitos e privilégios naturais. Obrigado, porque a igreja é local de acolher e receber em teu nome e ajudar as pessoas a serem santas, dignas e se aproximarem mais e mais de ti e dos teus propósitos. Obrigado, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s