Dois Erros Graves

Meditação do dia 26/02/2017

 Jr 2.5 “Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retém águas.

 Dois erros graves – “Errar é humana, mas permanecer no erro, é burrice!” Esse proverbio brasileiro, faz sentido, pelo menos para nós, claro! O que ele deixa claro nas suas premissas é que errar faz parte da experiência humana; mas permanecer no erro, já é uma questão de escolha. Sabendo que se está errado, não faz sentido, continuar. A nação de Israel estava sendo confrontada por Deus  por seus pecados e escolhas erradas, que os levaria ao cativeiro e com enormes consequências por muitos anos e gerações. Deus disse a eles através de Jeremias, que haviam cometido duas maldades graves, que era respectivamente, abandonar a Deus e sua infinita capacidade de ajudar e suprir e procurar por si mesmo a solução de problemas que estaria fora da condição e capacidades deles. Isso não é privilégio só daqueles povos antigos, nem isso ficou na história. Vemos isso diariamente, em muitas situações. Deus é posto de lado, negligenciado, esquecido, zombado e quando as coisas vão mal, aparecem as mesmas pessoas fazendo afirmações do tipo: “Se Deus existisse mesmo… se ele ama, por que…. Onde ele estava quando….”

Quando as coisas estão num curso normal, as pessoas afirmam que crêem, mas do jeito delas e Deus está dentro de cada um e por vai aquele monte de baboseiras que ouvimos na mídia e ao vivo constantemente. É só as coisas virarem, que aparecem as acusações e as negativas, porque não creem. Nós, os evangélicos estamos isentos disso? Nem um pouco! E os pastores e líderes? Também não! Que horror!!! Como diz o jargão político que ficou famoso no país: “nunca na história desse país….” tivemos que lidar com tantos casos de suicídio de pastores e obreiros cristãos; nunca tivemos tantos casos de pessoas tidas como boas e exemplares, se revelarem imorais e destruírem seus casamentos e famílias, sendo que haviam pregado a vida toda sobre aquilo. Nunca vimos tantas pessoas com a bíblia debaixo do braço e fracassadas na vida, nos relacionamentos, desiludidas, abandonadas, solitárias, depressivas e desviadas da fé. Tudo começa muito simples e inofensivo, apenas um descuido com a vida devocional, deixa de ir a uma reunião de oração, depois não participa da Ceia; depois fica em casa por cansaço, a Bíblia já está empoeirada sem ser lida; as atividades de trabalho extras, o cuidado com a saúde física exige muita malhação, academia, tempo e dinheiro e o culto à aparência se instala e lo em seguia vem amizades inadequadas, prazeres em lugar de disciplina espiritual…. Eu posso ir apontando aqui os caminhos até onde alguns já estão hoje e continuam achando que está tudo certo e não há nada de errado comigo e com a minha fé! O início do Salmo primeiro, afirma que a pessoa bem-aventurada, ela tem o seu prazer na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite. Quando o prazer da pessoa está em qualquer outra coisa, que não seja Deus ou sua palavra, é mal sinal. Qualquer fonte de satisfação que não seja Deus, é propaganda enganosa e aquele vazio interior que se procura tapar, fica cada vez maior e exige cada vez mais investimentos. Só Deus é fonte legítima de satisfação e realização. Qualquer outra fonte é cisterna rota, que não retém água. Quando um cristão está insatisfeito interiormente e sai em busca de satisfação e realização através de meios e mecanismos mundanos, é um erro! No Salmo 73, Asafe deixa claro sua experiência de ficar amargurado e começar e prestar atenção nas pessoas que não tem Deus como centro de suas vidas e elas parecem felizes, realizadas, promissoras e isso se torna muito cativante para um coração inquieto e uma alma sem sossego. Se o mundo oferecesse alguma paz permanente e alguma realização satisfatória, nenhuma viva alma de lá buscaria refúgio em Deus e se converteria. Aliás, nós já estivemos lá e viemos de lá; estávamos perdidos e fomos achados como ovelhas desgarradas. Fome e sede espirituais jamais serão satisfeitas com atividades intelectuais e prazeres recreativos ou pela aquisição de coisas materiais. “Estão chegando os dias”, declara o Senhor, o Soberano,
“em que enviarei fome a toda esta terra; não fome de comida nem sede de água, mas fome e sede de ouvir as palavras do Senhor.” (Am 8.11). Fonte de águas vivas e Manancial ou cavar buracos na areia do deserto? Faça suas apostas!

Pai, obrigado, por ser uma fonte que não se esgota e nos satisfaz plenamente! Jesus é tudo o de que precisamos e na verdade, somos agradecidos por tê-lo em nossas vidas. Foi o maior e o melhor presente que poderias ter feitos por nós e fizestes; obrigado, Senhor! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s