O Caminho Mais Difícil

Meditação do dia 28/04/2017

Ez 6.10- E saberão que eu sou o Senhor, e que não disse debalde que lhes faria este mal.

O Caminho mais difícil – Tenho lido, estudado e meditado nas Escrituras ao longo de muitos anos e tem sido sempre uma experiência enriquecedora. O caminho melhor para compreender a Bíblia, é o mesmo para compreender qualquer literatura: Conhecendo o seu autor! A exceção boa e favorável, é que no caso da Palavra de Deus, temos uma assessoria especial do Espírito Santo que nos guia a toda a verdade e nos lembrar as palavras de Cristo e como ele inspirou e acompanhou todos os autores humanos, e também é Deus, temos então o melhor em todos os sentidos. Conhecendo o caráter de Deus, sabemos que ele é até por definição teológica “Espírito Pessoal Perfeitamente bom e que em santo amor, criou, sustenta, governa e dirige tudo.” Deus é um pai amoroso, cuidadoso, provedor, justo e fiel e todos sabem disso e gostam muito disso; mas essa perfeição também inclui justiça, correção, juízo, misericórdia, em doses tão equilibradas e corretas como o são as demais qualidades dele. Num relacionamento bom e equilibrado do homem com o seu criador, o propósito é o nosso desenvolvimento e crescimento. Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém” (2 Pe 3.18). O processo de crescimento e maturidade nos leva a assumir responsabilidades, mas que vem também acompanhado de privilégios; Toda responsabilidade vem acompanhada de privilégio, como o inverso também é verdade, todo privilégio vem acompanhado de uma responsabilidade. A expressão de Jesus para isso foi: “…E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá (Lc 12.48). Normalmente as pessoas veem nesse texto apenas a questão do juízo, mas também está em vista o conhecimento em desenvolvimento e os privilégios dele advindos. Na vida natural, quando mais a criança cresce e se desenvolve, maiores são suas responsabilidades e também os privilégios e uma coisa não inibe a outra e uma não serve de peso para a outra; à medida que ela vai demonstrando crescimento em maturidade e responsabilidade, menor vai ficando a carga de vigilância, mudando-se para “supervisão” até à emancipação definitiva. O filho com bom desenvolvimento NUNCA quer se ver livre da presença, companhia e orientação dos pais e orientadores. Ele fica adulto, assume sua vida, se torna bem sucedido até mais que os pais, mas permanece fiel, obediente e submisso por voluntariedade, ele sabe os benefícios que isso lhe traz. A idéia de independência e não prestação de contas, não é boa, não é bíblica, não é cristã e nem divina – é maligna! É o caminho do isolamento, solidão, egoísmo e rebelião. Para aprender, não precisamos apanhar, ser punidos ou penalizados pelos juízos divinos – seguindo suas instruções em obediência, submissão e disciplina, crescemos sem precisar apanhar. Israel quis aprender pelo caminho mais difícil; muitos cristãos tem escolhido esse caminho, mas não é a vida normal. Preste atenção nas instruções divinas e não precisará levar um “tapão” na cabeça ou ter que pegar “no tranco.”

Senhor, que o meu coração e a minha alma estejam sempre alertas e disponíveis às tuas instruções. Consagro minha vida para que seja ensinável em todo tempo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s