Arar o Campo de Lavoura

Meditação do dia 01/07/2017

 Os 10.12 – Semeai para vós em justiça, ceifai segundo a misericórdia; lavrai o campo de lavoura; porque é tempo de buscar ao Senhor, até que venha e chova a justiça sobre vós.

 Arar o Campo de Lavoura – O tempo de arar esse campo de lavoura sugere a necessidade de renovação, avivamento, uma volta a um estado ou condição que já existiu e desejamos restaurar. A igreja existe no mundo como parte da história, mas também para fazer a história acontecer. Ela deve ser protagonista dos atos e não apenas assistente ou vítima do sistema. Cada igreja está plantada numa localidade para fazer a diferença ali. Ela deve produzir frutos como resultado de sua vida e condição. Vivemos num país e numa região agrícola e compreendemos muito bem as etapas e os processos para que uma lavoura produza satisfatoriamente. Essa figura e vastamente utilizada nas Sagradas Escrituras para ensino e sabedoria do povo de Deus. Jesus mesmo fez muitas menções de termos agrícolas e suas aplicações para ensinar verdades preciosas aos seus discípulos. O profeta Oséias falou sobre arar um campo que estivera em descanso para torná-lo produtivo novamente. “Semeai para vós em justiça, ceifai segundo a misericórdia; lavrai o campo de lavoura; porque é tempo de buscar ao Senhor, até que venha e chova a justiça sobre vós.” (Os 10.12). Certamente ele fala da condição de renovar a vida para a atuação de Deus. Igualmente Jeremias 4.3 fala: “Porque assim diz o Senhor aos homens de Judá e a Jerusalém: Preparai para vós o campo de lavoura, e não semeeis entre espinhos.” No verso seguinte Deus fala sobre circuncidar o coração para Ele.  Esse campo de lavoura ou de pousio é um campo cultivável, mas que por alguma razão está em repouso e precisa agora de cuidados para voltar a produzir. Semear em justiça para colher em misericórdia, é a sugestão de Deus ao profeta. Paulo ensina para a igreja da Galácia que colhemos conforme semeamos. Gl 6.7-9. Arar o campo trata-se de remover as pedras, entulhos, pragas, tirar o mato, as ervas daninhas, depois fofar a terra e preparar para infiltração da água e facilitar a germinação da semente ou receber as mudas. Os maiores obstáculos para o avivamento e a renovação na vida não são os grandes pecados, as grandes dificuldades e nem mesmo o inimigo; mas nossa própria resistência ou acomodação. Os pequenos detalhes que parecem insignificantes e sem perigo vão minando a nossa produtividade e tornando-nos inoperantes com o passar do tempo. Em Cantares é utilizado a figura de “raposinhas que danificam as vinhas” (2.15). O campo de lavoura é o meu coração, e a responsabilidade de torna-o produtivo novamente é minha, é sua; O desejo de voltar a vida produtiva e útil, vem do Espírito Santo que habita em nosso espírito. Não precisamos ficar apenas saudosos dos bons e velhos tempos quando fazíamos isso ou aquilo, éramos ativos ou mais consagrados… precisamos arar esse nosso campo novamente. Vale muito o esforço!

 

Pai, obrigado por falar aos nossos corações e nos chamar para a vida produtiva novamente. O Senhor é poderoso para fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos, segundo o poder que opera em nós. Eis-nos aqui, comece, o Senhor a reavivar-nos com o tua graça e ação do Espírito Santo. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s