Pergunta Difícil

Meditação do dia 30/06/2017

 Os 9.5 – Que fareis vós no dia da solenidade, e no dia da festa do Senhor?

 Pergunta difícil – É um fato que pessoalmente eu procuro separar religião de Evangelho; entendo que o cristianismo é um relacionamento e não uma religião. Religião é algo humano, até no conceito da palavra, que é RELIGARE – aquilo que podemos fazer para agradar a Deus e cumprir sua vontade. Evangelho, ao contrário é uma boa notícia, aquilo que Deus fez por nós em Cristo Jesus; incluindo o fato que a BOA NOTÍCIA, não é uma mensagem, mas uma pessoa, Jesus! Conforme foi anunciado aos pastores nos arredores de Belém, na noite de natal. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor (Lc 2.10,11). Assim, quando a religião toma o lugar da fé e do relacionamento com Deus, acontecem coisas que parecem boas, mas na verdade são muito ruins e desastrosas. Atos religiosos não substituem culto e devoção real; Deus não está atrás de rituais e cerimonias e que facilmente se tornam teatros representativos daquilo que deveria estar acontecendo. Cantar na igreja, necessariamente não é louvor; fazer um discurso bíblico moralista entusiasmado não significa que é proclamação da Palavra de Deus; reunir muitas pessoas religiosas ou fiéis não significa necessariamente que é culto a Deus; desenvolver empreendimentos lucrativos e prósperos, pode não ter nada a ver com fazer a obra de Deus; viver religiosamente de tempo integral bancado por uma instituição não pode ser confundido com “ministério.” Ser pastor, bispo, apóstolo, ministro, reverendo, obreiro e etc. não significa ser “homem de Deus.” As formas podem estar bem parecidas, os rituais bem alinhados e aparentemente não dá para dizer o que é verdadeiro e o que é imitação, mas Deus sabe; se tem alguém que entende de culto é ELE! Se tem alguém capaz de perceber e discernir falso e verdadeiro, imitação e autêntico, esse alguém é Deus, a quem a religiosidade e os religiosos querem tapear. No capítulo um do profeta Isaías, o Senhor diz que já está farto, cansado daqueles rituais e formalidades bem elaborados, mas praticados por vidas tortas e más. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer (Is 1. 11-14). Meu amado(a), você pode imaginar-se diante de Deus, na sala do trono, num momento gostoso de intimidade com o Senhor e quando você levanta os olhos para contemplar a face de Deus, e o “vê balançando a cabeça negativamente, “ e te diz, “eu não aguento mais isso, não dá, não faz sentido!” Nem Deus estava aguentando aqueles culto e reuniões de solenidade! Aqui, Oséias, volta à mesma afirmação sobre os rituais e faz a pergunta: Que fareis vós no dia da solenidade, e no dia da festa do Senhor? O que fazer se Deus não está satisfeito com o que estamos preparando para apresentar a Ele? De pronto vejo duas alternativas: A primeira é a opção Caim – Acusar a Deus de parcialidade, preferencialismo e exagero nas exigências. A segunda opção é quebrantamento – Nos humilharmos, reconhecer nossa condição e reconhecer a pessoa de Deus. Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? (Is 58.6,7). Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo (I Pe 2.5). Alguma coisa será necessário fazer! Que fareis vós…?

 

Senhor, reconhecemos nossa condição nada maravilhosa diante de ti, a não ser pela graça de Cristo disponível a nós na redenção. Como filhos também somos adoradores e sacerdotes para ministrar a ti e aos nossos semelhantes, mas tudo é feito para ti e precisa ser agradável, pois o Senhor merece, é digno e os recursos são teus. Concede sabedoria aos nossos corações e ajude-nos no quebrantamento e mudança de atitude, para haja glória ao teu nome através das nossas vidas, em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s