A Cabeça de João Batista

Meditação do dia 17/09/2017

Mt 14.10,11 – E mandou degolar João no cárcere. E a sua cabeça foi trazida num prato, e dada à jovem, e ela a levou a sua mãe.

  A cabeça de João Batista – É uma cena que já foi contada milhares de vezes, mas acostumar ouvi-la não significa, acostumar com a cena. Posso afirmar que a maioria de nós lemos essa passagem e passamos em frente como uma narrativa comum à qualquer outra. Isso diz respeito à falta de identificação com os verdadeiros fatos e a assimilação emocional e do impacto que ela produz na numa pessoa. Deparar-se com uma cena de crime violento, com vítimas barbarizadas e despedaçadas, provoca reações muito fortes nas pessoas e alguns não suportam ver e em muitos casos, até parentes ou pessoas próximas afetivamente das vítimas preferem nem verem, para ficarem com uma lembrança melhor da última imagem da pessoa. Outras, forçadas a ver ou presenciar, traumatizam-se e precisam de ajuda e acompanhamento profissional por longos períodos para recuperarem ou superar as marcas, quando não, é irreversível os danos e tem que conviver com isso o resto da vida. Os cristãos pela convivência com as narrativas bíblicas, em muitos casos às veem apenas como narrativas, e não se envolvem emocional e espiritualmente com o texto e os fatos. Não defendo entrar em pânico e estresse toda vez que ler um texto tal qual esse; me refiro a aprender com a veracidade dos fatos e a identificar-se com a cena, pois é daí que vem o aprendizado emocional e afetivo, que cria compaixão e piedade, arrependimento e sensatez para evitar o mal e ter coragem de tomar posição ao lado do certo e do bem. Deixe-me propor uma exercício: Imagine-se numa festa de aniversário de alguém muito importante em termos de autoridade; o ambiente festivo, muita alegria, comes e bebes, apresentações contratadas para alegrar a festa; convidados se voluntariando para demonstrar seus dotes artísticos em homenagem ao dono da festa. Alguém, vai lá e arrasa com uma apresentação maravilhosa, que arranca aplausos e a admiração de todos os presentes; então o aniversariante vai abraça-la e cumprimenta-la pelo talento artístico e pela homenagem, e lhe oferece um presente à livre escolha. Se trata de uma adolescente graciosa, sorridente e de família nobre e educada; pela surpresa da proposta e a imaturidade ela vai e sussurra com a mãe, qual seria um bom pedido e volta,  apresenta o seu desejo: “Quero a cabeça de fulano de tal, numa bandeja agora mesmo!” A princípio todos riem e acham que é uma brincadeira, macabra, mas brincadeira, mas depois percebe-se que não e ela insiste para que a promessa seja honrada. A ordem é dada e em poucos minutos entra um copeiro com uma bandeja, com uma cabeça humana decapitada, ainda jorrando sangue e é apresentada à jovem, que a recebe com naturalidade e vai e entrega à mãe como algo que lhe agrada! Fim do exercício! Como você agiria dali em diante na festa? Como sairia dali? Como seria suas reações ao chegar em casa? E nos próximos dias? No ano que vem aceitará o convite para outra festa do amigo? Isso impactaria sua vida? O que você imagina que levou aquela mulher a induzir a filha a tal pedido? O que aquele homem representava de tão ameaçador que valia sua cabeça como premio? A verdadeira meditação aqui e a  lição nossa hoje, é extrair uma verdade: O que a cabeça de João Batista de fato representava? Ache uma resposta que traga paz ao seu coração e consolo ao seu espírito e ajude a entender aquela imagem do copeiro passando na sua frente e você viu aquela cabeça, aqueles olhos…. aquela fisionomia que transparecia…. depois da festa, você dormiu bem? E hoje, como seria? Estou procurando essas respostas também….

Senhor Jesus, ele era teu primo, um grande homem diante de Deus, o maior entre os nascidos aqui, foi o que dissestes dele. João trabalhava para ti e preparava o caminho dos corações humanos para arrependimento e fé e morreu pela dureza e impiedade de corações que foram impactados pela sua mensagem. Servir ao Senhor pode implicar em correr riscos, obrigado pela vida e pelo significado dela, e eu preciso de coragem para viver a minha de maneira tal que justifique o teu investimento. Para viver ou para morrer, sou do Senhor e é preciso coragem para não amarelar na hora das provações e dificuldades. Sustenta-me, Senhor, por amor do teu nome, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s