A Mensagem de João

Meditação do dia 25/09/2017

Lc 3.3 – E percorreu toda a terra ao redor do Jordão, pregando o batismo de arrependimento, para o perdão dos pecados;

 A Mensagem de João – Será que João Batista poderia ser enquadrado na categoria de pregador de uma mensagem só? Um critério que costumo fazer uso ao me deparar com uma situação em que posso aferir o ministério de alguém, é comparar com o meu próprio ministério. Não tenho nesse caso a pretensão de me sair melhor ou igual, mas evitar que eu me dê o direito de julgar o trabalho de outrem por critérios que me favoreçam. Estou numa cidade de trinta mil habitantes, há vinte e seis anos, na mesma igreja, com ambiente tal, com condições favoráveis de nível X e alcancei progresso de Y e agora estamos assim e assado. Quais são os parâmetros dele para comparar? São dados compatíveis e seria honesto utilizar isso para dizer que ele é bem sucedido e eu não, ou que sou e ele não; ou ainda, seu eu estivesse no lugar dele, os resultados seriam diferentes? Tem sido muito bom para mim. Sei que o Senhor me colocou aqui, para fazer o que estou fazendo e que o mesmo Senhor o colocou lá para fazer o que está fazendo e ambos iremos comparecer no escritório do chefe para um balanço final. João nasceu, cresceu e foi preparado para fazer o que fez! A mensagem dele era que as pessoas se arrependessem de seus pecados e se convertessem e como sinal dessa atitude, se batizassem e iniciassem uma etapa de espera do ministério do Messias, que viria logo em seguida. Como escrevi na meditação de ontem, João foi para o deserto, nas margens do Rio, onde havia poucos moradores, e quase na totalidade seria de peregrinos, que estava de fato em busca de uma verdade divina que trouxesse paz e alento aos seus corações. Muitas destas pessoas, voltam e multiplicavam a mensagem e com isso arrastavam outros tantos para procurarem o pregador do deserto e ouvirem e serem batizados. Por que as pessoas empreendem longas jornadas em busca de espiritualidade? Porque fazem romarias, peregrinações, abrem mão da vida cotidiana e se embrenham por lugares solitários ou apropriados para a prática de busca espiritual? Claro, muitos por um legítimo desejo e sede de experimentarem alguma revelação que mude suas vidas. Outros, por modismo, por razões egoístas de publicarem seus blogs, livros, vídeos e faturarem fama e publicidade. Outros tem vontade legítima, mas estão enganados pela religiosidade e vão buscar em fontes erradas. João dizia as pessoas em sua pregação que o problema delas estava nos seus pecados, que deveriam se arrependerem e se converterem. A busca pela verdade cessa, quando se encontra a raiz dos males, que não está no exterior, mas no íntimo de cada um. A Jornada mais longa e mais profunda em termos de espiritualidade é para dentro do nosso próprio coração. Mergulhar fundo na escuridão e armadilhas mortais ali escondidas, e ir lançando a bendita luz da graça de Deus, até todo o nosso ser ficar iluminado, sem trevas alguma. O melhor guia para isso, é o Espírito Santo, enviado por Jesus para produzir em nós, arrependimento e convicção da real situação em que nos encontramos. Não é necessário mais do que uma mensagem para encontrar o caminho da paz interior. João não precisava se preocupar em variar o sermão à cada novo público. O que cansa os nossos ouvintes hoje não é a repetição da mensagem, mas o incômodo de ouvir outra vez aquilo que já sabem e ainda não tomaram posição. Não foi exatamente isso que Tiago, escreveu: De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus(Tg 4.1-4). Será que trocar a mensagem melhoraria as coisas?

Senhor, os nossos corações precisam serem confirmados com graça e a verdade do Senhor, mas o que desejamos é não sermos incomodados pelos nossos pecados e erros. Mas entendemos que o Senhor tem razão e o direito legítimo de nos exortar e nos atrair para a conversão verdadeira. Sonda-os e guia-nos pelas veredas direitas, por amor ao teu nome. São os nossos pecados que faz separação entre nós e o nosso Deus e é o sacrifício de Jesus Cristo, que soluciona toda a questão. O confessamos como nosso Senhor e Salvador, único e suficiente. Colocamos nele a nossa fé para sermos salvos pela graça somente. Em nome de Jesus nos oramos agradecidos. Amém!

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s