Sem Discriminação

Meditação do dia 19/11/2017

Gn 3.6 – Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva.

 Sem discriminação – Não vamos discutir discriminação de qualquer espécie aqui, afinal, nosso propósito é devocional e alimentação espiritual; buscar prazer na lei do Senhor e desfrutar de lições que enriqueçam nossas vidas. Mas, também não temos muito como fugir das eternas discussões sociais e arrastadas para dentro dos contexto da fé, da igreja e da sociedade cristã. Sempre entendo que o equilíbrio é o grande desafio da vida. É fato certo que Deus não é machista e nem feminista, não faz discriminação e muito menos acepção e pessoas. Sendo quem ele é, está acima dessas meras banalidades discursivas sociais, que em grande parte tem apelos políticos partidários ou ideológicos e assim cada um manipula os dados a seu favor levantado grupos e adeptos à suas causas, que podem ter lá um fundo de verdade, mas é só o fundo mesmo, o resto é pura enganação. Ao examinar as Escrituras, também as pessoas e até as bem intencionadas, com conhecimento teológico e didático cristão, costumam olhar as coisas com os óculos coloridos da sua mentalidade. Não é corrente entre nós, que alguns sempre veem o copo meio cheio enquanto outros olham e veem o mesmo meio vazio? Nossa cabeça ocidental, vê todas as coisas com mente e óptica ocidental, afinal, somos ocidentais! Os orientais veem o mundo com olhos e mentalidade oriental. Sem falar que aspectos culturais pesam bastante na interpretação dos eventos da vida. Excetuando fatos e atos que são nítida e claramente pecaminosos e nocivos, cada sociedade cria seus valores e firmam-se neles. Quando o Evangelho do Reino de Deus chega a uma cultura, ele em si é transformador e vai influenciar profundamente aquela sociedade e os valores cristãos, só exigirá arrependimento e conversão daquilo que é afronta aos valores universais em relação à pessoa humana, seu caráter, sua dignidade e sua liberdade de escolha de abraçar a fé. A verdade espiritual divina, confronta-se com verdades espirituais malignas e parasitas que se valem da ignorância e engano para manterem as vidas presas aos seus pecados e superstições e assim serem condenadas à eterna perdição. Então, em nenhum ponto nas Escrituras, o fato de Adão ser criado primeiro e depois Eva, significa, subentende e deve ser base para subserviência escravagista ou colocar a mulher como criatura de segunda categoria, ou inferior ao homem ou devendo ser isso ou aquilo que atenta contra sua dignidade, capacidade e potencial. O melhor exemplo de vida em comunidade sem imposição, sem discriminação e com profundo amor e respeito e valorização do outro, é mostrado na Trindade divina, Pai, Filho e Espírito Santo. Daí é que deve vir os modelos de parceria, companheirismo, autoridade sem autoritarismo, poder com controle e prestação de contas, respeito aos limites de autoridade e competência. Deus é perfeito e tudo que ele cria e faz e perfeito. Fora disso, é que as coisas se modificam, se tornam maleáveis e se corrompem. Tudo o que é demais, passa!

Senhor, obrigado pelo modelo e exemplo de como fazer as coisas sem danos e prejuízos para ninguém; o Senhor faz isso desde a eternidade e as suas relações permanecem maravilhosas e assim serão para todo o sempre. Abra os nossos entendimentos para aprendermos com quem sabe de fato como as coisas são e como devem ser feitas e experimentadas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Adão e a Árvore

Meditação do dia 18/11/2017

Gn 3.6 – E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.

 Adão e a Árvore – Quero lançar mão hoje de uma alegoria, para meditar em duas verdades cruciais da vida. Não sou lá muito adepto do dualismo do bem e do mal, do preto e do branco e etc… embora não descarto os bons ensinamentos onde duas verdades são propostas e na Bíblia muitas delas são muito preciosas, como as duas portas e os dois caminhos, as virgens prudentes e as loucas, os dois filhos do senhor da vinha, o filho pródigo e seu irmão e muitas outras. Hoje, estou pensando numa situação acontecida lá no Jardim do Éden, quando Adão e Eva, representando todos nós, diante de uma árvore declarada proibida por Deus e eles foram desafiados pela serpente a questionar a integridade do Criador e suas intenções; assim eles se viram diante de uma oportunidade de seguirem as instruções conhecidas e recebidas claramente ou adotar a nova proposta, vinda de alguém alheio ao seu ambiente e convivência, que sutilmente colocava o caráter de Deus em dúvida. Diante da grande decisão, à sombra da árvore, eles abriram mão da segurança da fé, para arriscar pela areia movediça da desconfiança e do lucro enorme da incerteza. Apostaram e perderam! Perderam muito! Só não perderam tudo, por causa da misericórdia de Deus e seu amor restaurador. Deus nos ama tanto e valoriza o que ele fez, por saber o valor que temos, de uma tal maneira, que para ele vale mais restaurar o estragado e corrompido, do que simplesmente destruir tudo e fazer algo inteiramente novo e esquecer o que se passou. Na narrativa do Êxodo Israelita, o povo se corrompeu de uma tal maneira e de uma forma quase irremediável, que a possibilidade de zerar tudo e começar de novo chegou a ser levado em conta por Deus. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação (Ex 32.9,10). À sombra da árvore do conhecimento do bem e do mal, Adão escolheu o egoísmo da satisfação própria e a auto glorificação, condenando toda uma raça, que viria por seus descendentes. Como ensinou o apóstolo São Paulo aos Corintios, há o primeiro Adão, mas também a o último Adão – um é alma vivente, o outro é espírito vivificante; um é terreno e o outro é celestial e qual o terreno, tais os terrenos, qual o celestial, tais também os celestiais; um natural e o outro espiritual. O Éden foi o Jardim de Adão, lugar de delícias e opções de escolhas que dariam prazer. O Getsemani, foi o Jardim de Jesus, o último Adão, lugar de agonia e oração intensa, lugar de escolhas e Jesus optou por Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua (Lc 22.42). Adão e Eva viram o quando a árvore era boa, apetitosa e aprazível e comeram. Jesus viu a nossa condição e se colocou não na sombra da árvore, não saboreando o fruto e nem se satisfazendo, mas renunciando a si, a sua vontade, a sua vida, crucificado até a morte e morte de cruz. Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados (I Pe 2.24).  Quero fazer da letra de uma antiga musica, cantada por Luiz de Carvalho, a minha oração de hoje: Madeiro Lavrado.

Cortaram madeiro, fizeram uma cruz para o meu Salvador
Madeiro lavrado, com pregos cravados, pesado ficou
Ele carregou a cruz, no caminho caiu
Mas Deus deu-lhe graça, morrendo na cruz
Por mim e por ti

Foi feita assim, a cruz do Salvador
Madeiro lavrado, com pregos cravados
Pesada ficou

Perante Pilatos Jesus foi levado como um malfeitor
Chegando a ele, olhando ao Mestre, assim perguntou
És o rei dos judeus? Disse Jesus: na verdade eu sou
O meu reino é eterno, não é desse mundo, daqui eu não sou

Chegando ao Calvário, pregaram na cruz, o meu Salvador
Com a coroa de espinhos, sua fronte sangrava, ao Pai suplicou
Transpassado de dor ficou o meu Salvador
Às três horas da tarde inclinou a cabeça e ali expirou

 

Pr Jason

Adão e a Árvore

Meditação do dia 18/11/2017

Gn 3.6 – E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.

 Adão e a Árvore – Quero lançar mão hoje de uma alegoria, para meditar em duas verdades cruciais da vida. Não sou lá muito adepto do dualismo do bem e do mal, do preto e do branco e etc… embora não descarto os bons ensinamentos onde duas verdades são propostas e na Bíblia muitas delas são muito preciosas, como as duas portas e os dois caminhos, as virgens prudentes e as loucas, os dois filhos do senhor da vinha, o filho pródigo e seu irmão e muitas outras. Hoje, estou pensando numa situação acontecida lá no Jardim do Éden, quando Adão e Eva, representando todos nós, diante de uma árvore declarada proibida por Deus e eles foram desafiados pela serpente a questionar a integridade do Criador e suas intenções; assim eles se viram diante de uma oportunidade de seguirem as instruções conhecidas e recebidas claramente ou adotar a nova proposta, vinda de alguém alheio ao seu ambiente e convivência, que sutilmente colocava o caráter de Deus em dúvida. Diante da grande decisão, à sombra da árvore, eles abriram mão da segurança da fé, para arriscar pela areia movediça da desconfiança e do lucro enorme da incerteza. Apostaram e perderam! Perderam muito! Só não perderam tudo, por causa da misericórdia de Deus e seu amor restaurador. Deus nos ama tanto e valoriza o que ele fez, por saber o valor que temos, de uma tal maneira, que para ele vale mais restaurar o estragado e corrompido, do que simplesmente destruir tudo e fazer algo inteiramente novo e esquecer o que se passou. Na narrativa do Êxodo Israelita, o povo se corrompeu de uma tal maneira e de uma forma quase irremediável, que a possibilidade de zerar tudo e começar de novo chegou a ser levado em conta por Deus. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação (Ex 32.9,10). À sombra da árvore do conhecimento do bem e do mal, Adão escolheu o egoísmo da satisfação própria e a auto glorificação, condenando toda uma raça, que viria por seus descendentes. Como ensinou o apóstolo São Paulo aos Corintios, há o primeiro Adão, mas também a o último Adão – um é alma vivente, o outro é espírito vivificante; um é terreno e o outro é celestial e qual o terreno, tais os terrenos, qual o celestial, tais também os celestiais; um natural e o outro espiritual. O Éden foi o Jardim de Adão, lugar de delícias e opções de escolhas que dariam prazer. O Getsemani, foi o Jardim de Jesus, o último Adão, lugar de agonia e oração intensa, lugar de escolhas e Jesus optou por Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua (Lc 22.42). Adão e Eva viram o quando a árvore era boa, apetitosa e aprazível e comeram. Jesus viu a nossa condição e se colocou não na sombra da árvore, não saboreando o fruto e nem se satisfazendo, mas renunciando a si, a sua vontade, a sua vida, crucificado até a morte e morte de cruz. Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados (I Pe 2.24).  Quero fazer da letra de uma antiga musica, cantada por Luiz de Carvalho, a minha oração de hoje: Madeiro Lavrado.

Cortaram madeiro, fizeram uma cruz para o meu Salvador
Madeiro lavrado, com pregos cravados, pesado ficou
Ele carregou a cruz, no caminho caiu
Mas Deus deu-lhe graça, morrendo na cruz
Por mim e por ti

Foi feita assim, a cruz do Salvador
Madeiro lavrado, com pregos cravados
Pesada ficou

Perante Pilatos Jesus foi levado como um malfeitor
Chegando a ele, olhando ao Mestre, assim perguntou
És o rei dos judeus? Disse Jesus: na verdade eu sou
O meu reino é eterno, não é desse mundo, daqui eu não sou

Chegando ao Calvário, pregaram na cruz, o meu Salvador
Com a coroa de espinhos, sua fronte sangrava, ao Pai suplicou
Transpassado de dor ficou o meu Salvador
Às três horas da tarde inclinou a cabeça e ali expirou

 

Pr Jason

O Carimbo de Jesus

Meditação do dia 17/11/2017

Mt 19.4 – Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez,

 O Carimbo de Jesus – Me propus escrever essa atual série de meditações baseando-as em personagens da Bíblia. Depois de passar por Jesus e João Batista, agora estou quase fechando Adão. Tenho aproveitado os temos envolvidos na vida dessas pessoas para enriquecer nossa experiência. Grande parte da historia de Adão, está descrita em Gênesis, mas não só ali, como também no Novo Testamento. Hoje, quero pegar uma deixa no ensino de Jesus, onde ele carimbou o registro bíblico da criação em Genesis e sobre os nossos queridos Adão e Eva. Como estamos vivendo em dias terríveis quanto à verdade e aos valões espirituais pela sociedade; onde tudo é e pode ser questionado e há mais apoio à desconstrução do que à edificação, assim a fé nas Escrituras vai se tornando quase que algo histórico e não mais espiritual e digno de compromisso. Em certos círculos, os relatos bíblicos e sagrados para nós, são tachados de “mitos e lendas” ou apenas de figuras de linguagem. Mas para nós, de fé ortodoxa, a Bíblia é a Palavra de Deus, infalível, insubstituível e nela não contém erros e nem enganos. Ela já foi por demais testada e investigada e nada acharam em contrário que lhes desabonasse qualquer dos seus textos. Por outro lado, também não somos simplistas que se firmam numa fé frágil que não suporta pressão contrária. Ficamos firmes exatamente porque acreditamos num Deus fiel que nos deu uma revelação fiel e até hoje nenhuma de suas palavras caiu por terra. Nosso Senhor Jesus afirmou que Deus no princípio criou todas as coisas e criou também Adão e Eva, macho e fêmea e os instituiu em família, formando uma só carne. Não havia guerra dos sexos, nem batalha de gêneros, nem divórcio e muitas coisas que surgiram do desenvolvimento social e dessas relações humanas, já desajustadas e contaminadas pelo pecado e dureza do coração, foram se criando ajustes e emendas. Então, meus queridos, daqui a pouco Jesus volta para buscar a sua igreja e o fim desse sistema destrutivo e eivado de erros e pecados será derrubado e novas coisas Deus trará a Luz e eternidade perfeita, como descrita no início estará em vigor. Mas até lá, cremos no cremos e ficamos firmes nisso. Homem é homem, mulher é mulher; menino nasce menino e menina nasce menina e qualquer coisa além disso é anomalia. Fomos criados por um Deus perfeito e pronto. Quem advoga causas em contrário, tem lá seus direitos, mas tais direitos não anulam e nem podem obscurecer a verdade bíblica. Fique firme, sua fé tem grande valor.

Pai, obrigado por seu um Deus justo e verdadeiro, fiel em tudo o que faz e diz e digno de toda a nossa confiança. Acreditamos na tua Palavra e no teu propósito e isso nos dá esperança e confiança para agora e para a eternidade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Cara do Pai

Meditação do dia 16/11/2017

I Co 15.48 – E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.

 A Cara do Pai – Ao mesmo tempo que muito simples crer na criação divina, tal qual descrita no Gênesis, também fica um “quê” de suspense e desejo de entender mais e melhor todas as possibilidades dos relatos, uma vez que somos “meio devagar” para pegar as coisas. Também quero registrar aqui, que no meu coração e na minha razão, não há dúvidas ou lacunas a serem preenchidas sobre a veracidade das Escrituras e suas descrições da criação e de tudo que está ali no texto sagrado. Creio, aceito, desfruto e pronto. Sei que não sei muito ou quase nada, portanto se houver espaço para preencher, fico muito à vontade para creditar à minha falibilidade humana e imperfeição no aprendizado; ao mesmo tempo que credito toda honra e veracidade ao Deus criador que sirvo e confio plenamente no seu caráter e nas suas promessas. Me dou o benefício da dúvida e fecho com o apóstolo Paulo: “…sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso… (Rm 3.4). O projeto divino para a existência humana sempre foi maravilhoso desde sua origem na eternidade. Adão foi criado à imagem de Deus e com capacidade de reproduzir nos seus descendentes a sua própria imagem; assim, desde Caim até o último bebê que acaba de nascer, enquanto escrevo estas linhas, a verdade da transmissão de semelhança ainda permanece imutável e assim o será para sempre. Tudo o que tem de ruim e de errado com a humanidade, foi adquirida pós-queda; e cada vez mais inventamos mais novidades, quase sempre elas trazem seus efeitos colaterais. Mas mesmo assim, temos mais a celebrar, do que mesmo a lamentar, pois Adão foi também um tipo, uma figura do redentor que viria e veio para mudar a nossa história e ao fazer isso, consumando lá na cruz o sacrifício mais perfeito e completo aos olhos do Pai, satisfazendo plenamente a justiça divina; deu-nos de volta o direito de aspirar a uma transformação de vida que culminará na restauração da imagem e semelhança divina que aparecia na vida do primeiro homem, Adão. Assim, eu, vivo mais feliz pela expectativa do que me aguarda, do que triste ou infeliz pelo estado deplorável em que as vidas humanas alcançaram pelo domínio do pecado. Olhar para frente, pois vem coisa boa por aí.

Senhor, obrigado por esse dia, uma oportunidade de te conhecer e receber dos benefício de tua misericórdia e fidelidade. Sou o que sou, graças à tua bondade. Louvado seja o teu santo nome e o nome poderoso de Jesus! Amém.

Pr Jason

O Homem Tal e Qual

Meditação do dia 15/11/2017

I Co 15.48 – Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.

 O homem tal e qual – um dos princípios expressos na criação, é que todas os exemplares, se reproduziriam conforme sua própria espécie. Isso é lógico e justo. Assim, um homem feito do pó da terra, que ganhou fôlego de vida e capacidade de transmitir vida à sua semelhança, ao se reproduzir, cria na verdade uma cópia de si mesmo, com a transmissão de todas as suas características e potencialidades. Por ser inteligente e competente, o homem acumula experiências e aprendizado, podendo armazenar conhecimento e transmiti-lo às próximas gerações, sem que se tenha que aprender todo de novo iniciando do zero. Os animais reproduzem nos seus filhotes os instintos da natureza da própria espécie, mas o aprendizado é iniciado e efetivado até que ele saiba prover por si mesmo seus próprios cuidados. Nas palavras de Jesus ao mestre Nicodemos, quando ele ensinou sobre o novo nascimento, ficou muito bem claro esse princípio eterno e imutável da vida. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito (Jo 3.6). São praticamente as mesmas palavras, com o mesmo sentido – Qual o terreno, tais são também os terrestres…” Quando o apóstolo São Paulo ensinava aos Gálatas sobre a permanente luta entre a carne e o espírito, tudo isso aparece novamente. “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis” (Gl 5.16,17). Como cristãos, que buscam uma vida santificação e maior consagração a Deus e permitir o pleno controle do Espírito Santo, todos sabemos, que não se trata apenas de querer fazer o certo ou abandonar o errado. Há, sim, de fato uma guerra interior onde princípios se degladiam dentro da pessoa pelo controle se não absoluto, ao menos em maior parte. Assim, os desejos naturais do corpo e natureza física, que muitas vezes em si mesmos não são maus ou pecaminosos, mas desejos e demandas legítimas, se tornam pecados e maus pela prática inadequada, egoísta e desobediente ao estabelecido por Deus na sua Palavra. O distanciamento de Deus leva ao controle absoluto do pecado na vida da pessoa, que acabará por conduzi-lo à morte. Como Deus colocou à nossa disposição uma ajuda através da Palavra, da fé, e o Espírito Santo; assim também o mal acessora seu sistema através de autoridades espirituais de forma sistematizada para prender e manter presos até a destruição final. É nessa condição que Deus nos alcançou com a graça da salvação. “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” (Ef 2.1,2).

Senhor Jesus, muito obrigado por me alcançar em tempo oportuno, quando me encontrava escravizado aos meus próprios pecados e desejos. Seguindo minha vocação natural e os instintos humanos, a tendência e me distanciar mais e mais de ti. Mas, graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da Vida, que me salvou e me libertou, transportando-me para o reino do filho do seu amor; a Ele seja a glória para sempre, amém.

Pr Jason

O Primeiro Homem da Terra

Meditação do dia 14/11/2017

I Co 15.47 – O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.

 O primeiro homem da terra – Nem preciso argumentar que somos criacionistas por convicção e por definição. Para nós, Deus criou todas as coisas! Deus é a origem e a causa de todas as coisas! Nele tudo veio a existir e ponto. Então, Adão, o da Bíblia é o primeiro homem da terra, ele não veio de fora, não foi formado de partículas que se desprenderam de algum objeto que explodiu. Adão é da terra, é terreno, feito artesanalmente por Deus, de barro da terra. Todos os componentes do corpo humano, são comprovadamente terrenos, isso é cientificamente comprovado. Ele fora criado para administrar e cuidar das coisas aqui. O Salmo 115 diz algo muito interessante sobre o assunto: Sois benditos do Senhor, que fez os céus e a terra. Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens (Sl 115.15,16). A terra foi dada aos filhos dos homens. A nossa herança, que passaria de geração em geração via pai para filho, foi perdido o direito legal de posse, para o pecado e quem está por detrás dele. Não é de admirar que sem Deus no centro novamente da vida, a inclinação humana é somente para coisas terrenas, materiais, passageiras e transitórias. Quando acontece a ação do Espírito Santo, produzindo o novo nascimento, a vida inteira da pessoa tem que passar por um processo de reprogramação inteira. Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.1,2). Embora, sejamos terráqueos, terrenos e viciados em tudo o que diz respeito a esse mundinho e sistema de vida; interiormente somos novas criaturas, criados segundo Deus em verdadeira justiça e verdade. Podemos nos qualificar a viver, pensar e agir como somos interiormente. Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus (Cl 3.1-3). Compreender o que somos, como homens da terra, descendentes de Adão, facilita compreender quem é Cristo e o poder de sua redenção. Se não soubermos de onde viemos e da condição em que estávamos, a salvação e a oferta generosa de Deus em Cristo, nunca será atrativa e muito menos valorizada plenamente. Graças a Deus, que não sou tudo o que poderei ser, mas que alegria, não sou mais o que já fui.

Senhor Jesus, obrigado por ter se feito carne e habitado entre nós cheio de graça e de verdade. Obrigado por se importar conosco, porque somos de fato valiosa para Deus e preciosos como criaturas, que tem propósitos e destino muito especiais diante do Pai. Em nome de Jesus, receba, Senhor, a nossa gratidão e o nosso louvor. Amém.

Pr Jason

Natural e Espiritual

Meditação do dia 13/11/2017

I Co 15.46 – Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.

 Natural e Espiritual – Verdadeiramente há muito o que aprender com Adão, a criação, as primeiras experiências humanas, sejam elas positivas ou não; pois podemos aprender em todo tempo e lugar e é com a nossa história de erros e acertos que construímos o que somos e podemos melhorar. Adão foi o primeiro, nem por isso menor, imperfeito ou digno de ser melhorado, longe disso, porque tudo o que Deus faz, trás a sua marca de perfeição, eternidade e selo de pronto em definitivo. Para minha meditação pessoal e pela generosidade de todos vocês, meus amigos que aceitaram me acompanhar, recebendo o texto, e assim podem não apenas ler, mas também refletir e chegar a novas conclusões sobre o que até então vocês pensavam e criam sobre aquilo. Como afirmei várias vezes em textos anteriores, não tenho aqui a pretensão de discutir teologia e doutrinas, mas buscar alimento devocional para a alma e o espírito; claro que isso não pode acontecer se houver erros doutrinários e fugir da sã interpretação da Palavra de Deus. Estou dizendo com isso, que todos vocês, e cada, tem a livre iniciativa e a liberdade de rejeitar o texto em parte ou no todo, segundo suas convicções sem que de forma alguma isso me ofenda. Isso aqui, é uma reflexão! Obrigado. Então Adão foi criado para viver e trabalhar no Jardim, mas o enredo todo envolvia relações com outras vertentes, pois ele logo ganhou uma esposa e é claro que isso demandava convivência e relações familiares, que geram responsabilidades, aprendizado, exercício de virtudes e habilidades; criatividade para prover o sustento e o conforto em todos os níveis, é daí que vem a engenhosidade humana, de ter que se adaptar e melhorar as condições; assim sendo o trabalho é uma fonte contínua de aperfeiçoamento, aprendizado, desenvolvimento de novas ferramentas e tecnologias, para facilitar a vida. Deixe eu exemplificar, criando uma peça de ficção sobre a vida deles no Paraiso, bem no início: “Quando eles tinham fome, pegavam uma fruta e comim, quando tinham sede, iam ao rio, ribeiro nascente ali perto e bebiam; quando dava vontade de tirar um cochilo, procuram uma sombra e relaxavam, etc. Imaginemos que os dois estivem fazendo algo juntos e então Adão dissesse: ‘Estou com sede, vamos beber água?’ Eva por vez dizia: não posso parar agora, traga água para mim’! Ele então se dirige à fonte, bebe, e enche as conchas das mãos e trás água para Eva; se perde um pouco no trajeto e fica pouca água, ele então tem que repetir o processo. Ele percebe que se pegar uma folha grande de certa planta, dá para fazer um espécie de copo e carregar água o suficiente para saciar e até sobrar; assim ele criou o protótipo do copo e da jarra. Posteriormente, com essa descoberta, podiam trabalhar, passear e ir mais longe da fonte de água, porque havia tecnologia e ferramenta para armazenar e transportar água; a cada nova necessidade, ele aperfeiçoava o que tinha e desenvolvia ou adaptava algo para uma nova função. Esse conceito pode ser aplicado a todas as áreas da vida.” É por aqui, que vejo Adão como o primeiro, o homem natural que é o nosso predecessor e desenvolvedor de todos os recursos naturais e provisionou naturalmente a vida humana para sobreviver e desenvolver-se. Como ele era natural, transmitia vida e conhecimentos naturais e todo adaptado a vida e a cultura terrena, necessária para cumprir a ordem divina de viver aqui, crescer e se desenvolver e multiplicar-se até encher toda a terra. Por isso as sociedades humanas que adotaram o trabalho escravo, nem sempre desenvolveram boas ferramentas e tecnologias, porque não faziam atividades e tarefas manuais e do cotidiano, então não viam necessidade de aperfeiçoar e produzir mais em menos tempo e com menor custo. As sociedades livres, que valorizavam a pessoa humana e onde o trabalho era bem visto e não com condição social para menos favorecidos, criaram ferramentas, tecnologias e máquinas que facilitavam a vida e o trabalho. Mentes criativas, produtivas, estão em constante atividades e investem muito tempo e habilidade para produzir soluções. Não é à toa que o sábio Salomão disse: As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza. Aquele que faz a colheita no verão é filho sensato, mas aquele que dorme durante a ceifa é filho que causa vergonha (Pv 10.4,5).

Pai celeste, obrigado por ter criado Adão com tanta habilidade e capacidade e ele naturalmente desenvolveu-se para ser o provedor da raça humana, ainda que inicialmente eram poucas pessoas. Obrigado pelas pessoas trabalhadoras, criativas e inventivas, que procuram facilitar a vida de todos. Obrigado pelas mentes brilhantes que nos proporcionaram tantas facilidades e nos conectam uns aos outros e até nos permite estudar a tua Palavra de forma prática e acessível em qualquer lugar. Obrigado pelas incontáveis riquezas de glória e sabedoria que ainda estão por serem reveladas e nos tempos por vir, maiores e poderosas coisas ainda conheceremos. Obrigado, em nome de Jesus. Amém.

Pr Jason

Adão Foi Alma Vivente

Meditação do dia 12/11/2017

I Co 15.45 – Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.

 Adão foi alma vivente – Não temos dúvida de que a vida é um dom precioso e muito especial. A vida humana diante de Deus não tem preço. Uma pessoa, vale uma pessoa, dessa forma deve ser compreendido o processo de salvação em Cristo. Nos seus ensinos, Jesus propôs um exercício para que as pessoas pensassem sobre seu valor como pessoa diante de Deus e que isso deveria servir para aferir o valor que damos a nós mesmos e assim evitar esse drama interior de baixa autoestima. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma? (Mt 16.27). Esse valioso presente foi concedido à humanidade por via direta ao soprar Deus o fôlego de vida em Adão. Ele se tornou uma alma vivente, ou seja, um ser com vida própria, física-biológica, emocional, espiritual e intelectual, com capacidades muito elevadas, além de poder transferir vida aos seus descendentes. Até hoje, tem gente filosofando e criando teses sobre como e quando começa a vida, e se é transmitido, inserido, desenvolvido ao longo de algum processo. A verdade é que o primeiro homem, foi alma vivente e capaz de reproduzir outras alma viventes e da sua linhagem, viria o redentor, como um espírito vivificante.

Obrigado Senhor, porque desde o primeiro homem, até os dias de hoje, nada foi modificado no projeto original sobre a transmissão da vida e somos agradecidos pela preciosidade dela. Jesus se sacrificou para adquirir para Deus homens de todas as raças, tribos, línguas povos e nações, e veremos isso aos milhares e milhares diante do trono na glória. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Todos Morrem em Adão

Meditação do dia 11/11/2017

I Co 15.22 – Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.

 Todos morrem em Adão – Como temos visto nesses últimos dias, Adão foi o primeiro homem na face da terra, criado por Deus para um propósito eterno muito grande e maravilhoso; mas o pecado da desobediência entrou em cena e todo aquele potencial de transmitir para sua geração futura, um legado de fé e relacionamento de alto nível com Deus, foi por água abaixo. Como representante de todo uma raça, todos os seus atos levam atrás de si, os efeitos para todos os humanos; então a morte passou a ser uma figura presente em todas as gerações e sem distinção alguma ela cumpre o seu papel. Todos somos descendentes de Adão e ele se tornou mortal, então nele todos nós morremos. Mas também ele foi o precursor da redenção, pois só um humano, da linhagem de Adão poderia reverter os efeitos em vigor, causados pela entrada do pecado e da morte no mundo. Jesus, foi e é para sempre um legítimo filho de Adão, afinal ele se materializou, se fez carne e habitou entre nós, e está registrado entre as genealogias humanos, para legitimar o processo de redenção. Então, tudo o que perdemos em Adão, pode ser recuperado em Cristo; graças a Deus! Hoje, a morte já foi conquistada por Cristo, que se tornou vitorioso, ressurgindo da morte, para nunca mais ser aprisionado por ela e com plenos poderes de transmitir aos que nele creem o mesmo poder de serem vencedores sobre ela. Em breve, ao soar da trombeta, os mortos em Cristo ressurgirão primeiro, em novidade de vida, com novos corpos gloriosos semelhantes ao que o seu Senhor possui desde a ressurreição. Isso, é mais que glorioso! Para os nascidos de novo, e nesse caso, nasceram duas vezes, só há uma opção de morte; para os que não nasceram de novo, nesse caso, ainda estão sujeitos a dois tipos de morte. Depois de todos esses tempos, morrer em Adão, é uma realidade,  mas não mais tão assustador, porque celebramos muito mais o ressurgir com Cristo. Certamente a nova vida é mais interessante e proveitosa, do que a os efeitos da morte em Adão. Já que temos ligação com os dois, agora estamos muito mais próximos de Cristo, o glorioso redentor.

Senhor, obrigado pela vida eterna. Ela significa muito para nós e certamente ainda há coisas boas sobre ela que ainda não sabemos totalmente. Jesus, obrigado por completar a obra de redenção e garantir para toda a linhagem uma nova e viva esperança, que supera em muito o que fora perdido no pecado. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason