Voltando à Vida Normal

Meditação do dia 27/06/2018

 “Então Abraão tornou aos seus moços, e levantaram-se, e foram juntos para Berseba; e Abraão habitou em Berseba.”  (Gn 22.19)

 Voltando à vida Normal – Já passei por experiências maravilhosas em termos de experimentar a bênção e a presença de Deus de forma muito intensa. Já pude experimentar reuniões movidas pelo poder do Espírito Santo, que poderia classificar como arrebatadoras. Participei de vigílias e reuniões de oração onde a manifestação do poder de Deus era tão real que até parecia palpável. Igualmente já participei de congressos, conferencias e cultos abençoadíssimos em todos os sentidos, daqueles que dá vontade de repetir a experiencia de Pedro e os outros dois discípulos ali no Monte da Transfiguração, ao contemplarem aquela visão inaudita, disseram a Jesus: “poderíamos fazer aqui três tendas…” Não estou escrevendo isso por saudosismo ou por vontade de viver de novo as boas experiências do passado, mas para dizer e quem sabe, ensinar algo que aprendi e me ajudou muito à lidar com esse fatos e as verdades que seguem depois. Após aquele momento de estar no clímax de uma grande oportunidade diante de Deus e aprender tanto com Jeová-Jireh, o Deus da provisão e ver milagres acontecendo ao vivo e Deus falando do alto céus com brados de instruções e reiterando as promessas e as bênçãos já anteriormente acordadas e poder abraçar Isaque e tirá-lo de sobre o altar e oferecer ali aquele carneiro, quem iria pensar em ir embora, descer daquele lugar sagrado, sair daquela presença maravilhosa e voltar para a vida cotidiana na fazenda e nas lidas do dia a dia? Abraão fez isso. Eu faço isso, você faz isso. Não há nada de errado em tudo isso. Apenas o modo como encaramos ou como acreditamos que deveria ser é que não nos faz bem e deixa aquela ponta de frustração. Por que? Vou começar a explicar por um texto bíblico: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” (2 Co 4.7). A nossa composição estrutural humana, não é apropriada para reter por muito tempo uma carga de energia espiritual muito grande e intensa. Nossa condição física, vaza o poder que adquirimos e experimentamos nessas situações gloriosas. Por mais que se tente manter em alto nível a consagração e a santidade com oração e cuidados, nenhuma pessoa permanece nesse alto pico de energia; ela vai se arrefecendo dia a dia e voltamos ao normal. Não tem à ver com pecado, descuido ou falta de fé. lemos na Bíblia inúmeros relatos de pessoas que experimentaram a manifestação da presença de Deus à ponto de caírem e ficarem prostradas no chão sem forças nenhuma, ou até como Moisés que ao descer do monte onde estava na presença do Senhor, o seu rosto brilhava á ponto de ter que usar um véu para se comunicar com as pessoas e depois isso passou. Daniel relata isso também: “E, estando ele falando comigo, caí adormecido com o rosto em terra; ele, porém, me tocou, e me fez estar em pé. Fiquei, pois, eu só, a contemplar esta grande visão, e não ficou força em mim; transmudou-se o meu semblante em corrupção, e não tive força alguma. Contudo ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo o som das suas palavras, eu caí sobre o meu rosto num profundo sono, com o meu rosto em terra. E eis que certa mão me tocou, e fez com que me movesse sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos. E me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que vou te dizer, e levanta-te sobre os teus pés, porque a ti sou enviado. E, falando ele comigo esta palavra, levantei-me tremendo” (Dn 8.18; 10.8-11). A vida cristã e as experiências com Deus são vividas pela fé. O que cremos é que é importante e não as emoções e sentimentos pelos quais passamos. Após uma tremenda experiência dessas, Deus ainda continua contigo, ainda falará contigo, ainda se revelará e se manifestará; mas não necessariamente na mesma forma ou intensidade. Não adianta tentar replicar as experiências do passado ou forçar a barra para permanecer naquele mesmo nível sensorial. Permanecer cheio do Espírito Santo e do poder de Deus vai muito além daquelas manifestações físicas e emocionais experimentadas no monte, na vigília, no culto de poder ou na imposição de mãos daquelas pessoas ungidas e revestidas da graça. Abraão voltou para baixo, desceu o monte, encontrou os moços e juntos (ele cheio das experiências com Isaque) e os moços que só eram companhia e ajudantes para carregarem bagagens. Voltaram para Berseba, tudo normal de novo.

 

Pai, obrigado por tirar pesos desnecessários dos nossos ombros, quando ficamos emocionalmente envolvidos em sentimentos de culpas falsas, porque as coisas não acontecem como pensamos, mas nosso pensar é que está fora dos teus padrões. Obrigado pelas experiências poderosas com o teu Santo Espírito e pela graça manifestada em nossas vidas, ministérios e na igreja do Senhor. Tudo por obra e graça das tuas mãos. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s