Na Velhice Ainda Dará Fruto

Meditação do dia 10/07/2018

 “E Abraão tomou outra mulher; e o seu nome era Quetura; E deu-lhe à luz Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Jisbaque e Suá.”  (Gn 25.1,2)

 Na velhice ainda dará fruto – Esse texto me faz rir e ao mesmo tempo produz alegria pelo alcance da bênção de Deus na vida de uma pessoa. Mas além do aspecto da bênção espiritual, há também os efeitos colaterais abençoadores, que agregam valores e afetam a qualidade da vida e dos relacionamentos dessas pessoas. Não temos problema algum em aceitar que a ausência de filhos na casa de Abraão, devia-se a esterilidade de Sara, sua esposa, não dele. Ele era fértil e habilitado para a paternidade o tempo todo; haja visto que quando Sara deu “um jeitinho” de ajudar a Deus no cumprimento da promessa e disponibilizou a sua serva Hagar, Abraão foi aprovado no primeiro test driver. Isso aconteceu aos oitenta e cinco anos de vida; Isaque nasceu quando ele já tinha cem anos. Agora viúvo aos 137, era de se pensar que o ancião já tinha sossegado; mas não. Ele buscou uma esposa para Isaque e também se casou novamente e teve seis novos filhos, que lhe geraram netos e descendentes por gerações à frente. Ainda que não fizessem parte integrante da aliança entre Deus, Abraão e Sara, certamente são descendentes de Abraão e não duvido nada de que também levaram uma porção da bênção e do favor divino, tal qual Ismael. Quando falei da alegria no meu coração pela vida de Abraão naquela altura dos acontecimentos, me refiro ao processo de rejuvenescimento físico que foi proporcionado ao casal. Sara já não tinha física e humanamente possibilidade de reprodução, mas o favor de Deus operou soberanamente sobre ela, no seu espírito para crer e experimentar a graça do Senhor, mas também fisicamente, para fortalecer a sua estrutura física, hormonal e psicológica, criando condições favoráveis para a gestação saudável de uma criança naquela idade. Mas isso também veio sobre Abraão, pois quarenta anos depois ele se casou novamente e ainda gerou seis filhos. Mais do que engraçado, é abençoador comprovar que Deus não conhece limites e que não foi em vão que ele se revelara como El Shaddai, aquele que é mais do que suficiente. O Deus a quem servimos é o Criador de todas as coisas, céus e terra e tudo que existe, visível e invisível. Quem cria todas as coisas, sabe como fazer a manutenção certa e restauradora. Nossas meditações, nossas orações e nossa fé, sempre devem estar direcionadas a esse ser maravilhoso e Todo-Poderoso, que cuida de nós e isso muito além de nossas necessidades básicas, pedidos ou pensados. O poder do Espírito de vida em Cristo Jesus que habita em cada um dos filhos de Deus, é tremendo, para ser no mínimo razoável. Apresente suas causas e necessidades em oração e gratidão, sabendo quem de fato é o Deus a quem você serve. Lembrando sempre que o Deus da teologia, é diferente do Deus da sua experiência. Pode-se acreditar num conceito teológico intelectual de um Deus grande, mas na vida cristã diária isso não seja verdade é esse segundo que vai agir na sua vida.

Pai, obrigado por fazer coisas grandes na vida dos teus filhos e proporcionar experiências maravilhosas. Precisamos andar contigo em intimidade e profundidade suficiente para nossas orações serem acolhidas e nossa fé ser forte e eficiente. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s