O Dia Que Ismael Saiu de Casa

Meditação do dia 18/10/2018

 “Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, pondo-os sobre o seu ombro; também lhe deu o menino e despediu-a; e ela partiu, andando errante no deserto de Berseba.”  (Gn 21.14)

 O Dia que Ismael saiu de casa – Podemos olhar uma história por diversos ângulos e em todos eles haverá oportunidade de aprender. Costumeiramente falamos que “toda moeda tem dois lados,” e estamos nos referindo ou querendo mostrar que existe sempre um outro lado que também precisa ser levado em consideração. Não estamos fazendo tratados de teologia ou firmando uma doutrina; estamos sim, estudando a Palavra de Deus, levando em consideração a vida e a história de personagens que viveram esses fatos e eles, foram exatamente como nós o somos hoje; pessoas humanas com necessidades, desejos, fraquezas, erros e acertos. Como eles, também buscamos conhecer a Deus e à sua vontade. O fato de estarmos militando atualmente, nos permite ver a vida com base nas experiências deles e como tal, evitar os erros, potencializar os acertos e deixar também a nossa marca em nossa geração e firmar boas bases para as próximas gerações possam se espelhar em nós e no legado que deixamos para eles. Assim, já vimos esse texto, do ponto de vista de Abraão, que teve levantar bem cedo, providenciar um pão e um odre de água e se despedir de Agar e de Ismael e vê-los desaparecer na escuridão da madrugada pela estrada que entraria para o deserto. Já vimos também isso, do ponto de vista de Agar, que provavelmente não dormira em toda aquela noite, apenas velava o filho e o levantou para pegar a estrada e ela devia lembrar muito bem, de ver pela última vez a Abraão como Senhor, com um pão e um odre de água na despedida. Mas Ismael também estava presente e era uma peça importante naquilo tudo. Poderia ser um garoto, e era; mas era uma pessoa e a história estava acontecendo ao seu redor e tendo ele como protagonista. Vou me dar o direito de exercitar a criatividade e embora seja uma peça de ficção que eu descreva, mas não deve ser muito distante da verdadeira realidade. Uma festa para ser boa, do ponto de vista de uma criança tem que haver animação, comida, brincadeiras e diversão. Para Ismael, a festa oferecida pelo pai em celebração ao fato de Isaque se desmamar era alegria e era para ser divertida e ainda sobrar restos dela para o dia seguinte. Mas alguma coisa saiu errado e tinha que ser exatamente com ele? Duas crianças brincando ou ele brincando com o irmãozinho, fez ou falou algo que mudou o clima da festa, despertou a fúria da senhora, deixou a mãe dele em pavorosa, porque certamente ela tentava remediar a crise, dando a entender que não havia maldade ou dolo na ação do filho e as tentativas de acalmar a senhora Sara, só piorava as coisas. O próprio pai das crianças, não via motivo para tanto exagero. Opiniões à parte, Ismael deve ter terminado aquele dia separado de tudo mundo, incomunicável e sem entender o mundo e a cabeça dos adultos. Você pai, mãe, jovem, pastor ou líder, consegue entrar na cabeça e no coração de Ismael? Você consegue se lembrar e se identificar com alguma situação em que fez algo errado e a repercussão foi tal que parecia que o mundo iria acabar? Os olhares de todos diziam mais que palavras! “Você estragou tudo! Olha só o que fez?!!!” Como deve ter sido aquela noite para Ismael? O fato é que ainda escuro, de madrugada, sua mãe o acordou e disse que agora temos que ir… ir para onde? Não sei, mas temos que ir, vá despedir de seu pai que está ali fora esperando. Isso parece um pesadelo do qual Ismael gostaria de acordar e ver tudo como antes; mas esse antes não existia mais, nunca mais; Para nunca mais! Era dia de mudança e ele nem imaginava o quantos significados e quantas possibilidades existem para a palavra “mudança.” Você sabe?

 

Pai, que bom que nada acontece sem que estejas no controle. Obrigado por me permitir acreditar que já estiveste nessa mesma situação de ver o filho ter que sair de casa e para uma jornada nada segura, num mundo nada hospitaleiro. O Senhor entende o coração de Abraão, de Sara, de Agar, de Ismael, o meu e dos meus irmãos que todos os dias temos que enfrentar escolhas e mudanças, que nem sempre foram frutos de nossas decisões e nem sempre estamos no controle da coisas, mas ainda assim, podemos contar com a sua graça e misericórdia. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s