Rebeca, a Promessa e a Graça

Meditação do dia 31/03/2019 

E não somente esta, mas também Rebeca, quando concebeu de um, de Isaque, nosso pai; Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), foi-lhe dito a ela: O maior servirá ao menor. (Rm 9.10-12)

 Rebeca, a Promessa e a Graça – Pesquisando um pouco mais, encontrei essa referencia sobre Rebeca no Novo Testamento, que parece ser a única citação sobre ela, na Nova Aliança, e justamente tratando de um tema muito bonito, importante e alegre, que é a obra da graça de Deus em eleger que ele em sua infinita sabedoria e propósito resolve eleger, sem discriminar e sem ser injusto ou errado, mas dentro dos limites de sua soberania legítima e cumprindo sua aliança estabelecida com Abraão e Sara, que sendo estéril veio ser mãe por um ato de fé nas promessas divinas, tal qual Rebeca, que sendo herdeira das promessas, como consorte de Isaque, também era estéril e concebeu em resposta as orações de Isaque, para igualmente gerar os herdeiros da Aliança. Ela fora agraciada para que através dela a fidelidade das promessas se mantivessem intactas, pois não se cogita pensar que Deus não daria conta de cumprir o que prometera, por estar limitado pela circunstancia de seu herdeiro ter se casado com uma mulher impossibilitada de gerar os filhos da promessa. Nossa teologia sustenta que não há impossível para Deus, nada pode limitar as suas intenções e sua perfeita vontade. Como criador, ele faz, cria, transforma, restaura, corrige, muda, ordena soberanamente. Nas vidas de seus filhos e adoradores, os obstáculos aparecem para ainda mais magnificar o seu poder e sua glória. Aquilo que humanamente é impossível, não é suficiente para impedir o agir de Deus, ainda que haja forças sobrenaturais e espirituais poderosas se opondo, contudo não são páreos para aquele que é simplesmente “O Todo-Poderoso!” “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes” (Ef 6.11-13). O caráter do Diabo é mau. Ele é ruim por natureza, por essência e nunca irá mudar, regenerar ou melhorar. O caráter de é bom. É perfeito, é santo, justo e nunca irá mudar, para mais ou para menos; Deus é o que é, pronto! Paulo demonstra que os dois fetos no ventre de Rebeca, não tinham feito nenhuma escolha moral de bem ou de mal, para merecer ou desmerecer qualquer coisa e mesmo assim O Senhor já determinara a eleição de Jacó, que sempre prevaleceria sobre Esaú. Qualquer que seja a corrente teológica, ideológica que se acolha, até que ponto a predestinação envolve isso ou aquilo, a verdade é que Rebeca foi buscar em Deus as respostas não para sua curiosidade teológica, mas da inquietação materna, pois ela estava consciente de que era um instrumento da graça maravilhosa de Jeová e que concebera para herança espiritual dentro do contexto de uma aliança eterna entre Deus e Abraão, seu marido Isaque e seus filhos e os filhos de seus filhos para sempre e sempre. Ela recebeu a promessa de Deus, que estava tudo bem com sua gestação e aqueles bebês se tornariam nações que se rivalizariam por todos os tempos e o menor prevaleceria sobre o maior. Ela não recebeu explicações de Deus do por que e nem Deus o fez. Ela guardou isso no coração e trabalhou por tornar isso uma realidade, até mesmo quando teve que agir na questão da bênção que Isaque queria dar a Esaú, ela entendeu que a verdade revelada por Deus no passado deveria prevalecer sobre as preferencias individuais do marido que lhe pareciam equivocadas. Me deixe dar o meu pitaco pessoal, mesmo sabendo que deveria me recolher na minha insignificância, mas faltou fé a ela. Não estou dizendo de fé salvadora, ou presença de incredulidade; me refiro a saber esperar em Deus e ver como ele faria para que as coisas se mantivessem dentro da perspectiva das promessas. Pensando com meus botões: se a promessa diria que SEMPRE o menor prevaleceria, será que o fato de Isaque impetrar sua bênção sobre Esaú, invalidaria a promessa para Jacó? Não é uma boa pergunta?

 

Pai, ainda somos humanos e com muitas falhas, por isso mesmo precisamos tanto da tua graça e misericórdia. Nem sempre nossa lógica ou argumentos justificam nossas ações, especialmente quando elas violam a tua Palavra. Cremos na graça, na eleição, e em tudo que o Evangelho ensina e principalmente no teu caráter santo e justo. Nenhuma de tuas promessas jamais foi quebrada e nenhuma deixará de se cumprir ao seu tempo e ao seu modo. Que a perseverança cristã permaneça em nossos corações alimentadas pela verdade que liberta. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s